• Malhada: homem é absolvido de acusação de homicídio; júri considerou tiro acidental

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    13/03/2019 - 14:30

    Após júri popular ocorrido nesta quarta-feira (13) no fórum de Carinhanha, José Ricardo Viturino dos Santos, 48 anos, foi absolvido da acusação de homicídio cuja vítima foi Agenaldo Moreira dos Santos, que na ocasião do crime tinha 20 anos. Consta na denúncia que José, no dia 27 de outubro de 1999, teria matado Agenaldo com disparo de arma de fogo. Na ocasião, José que residia no distrito de Parateca, teria ido à uma festa no vizinho povoado de Pau D’Arco, ambos na zona rural de Malhada. Na época o transporte era um trator com uma carreta, e ao finalizar o evento, por volta de 00h, todos se preparavam para retornar para suas casas. José estava com um revólver na cintura, ao tentar subir na carreta a arma estava incomodando, foi então que ele a colocou na mão  e segurou no gigante da carreta para embarcar, momento em que acidentalmente o dedo pressionou o gatilho e a arma disparou alvejando Agenaldo, que morreu no local. Na denúncia inicial, o texto dizia que houve uma desavença entre a vítima e o autor, porém depois de ouvir todas as testemunhas foi constatado que se tratou de um acidente e que a denúncia inicial de quase 20 anos estava equivocada. O Ministério Público (MP) entendeu que o tiro foi acidental e sem amplo embate, acompanhou a tese da defesa e pediu que os jurados votassem como homicídio culposo (sem intenção de matar). Durante a audiência, atuaram os advogados Alekssander Rousseau Antônio Fernandes e Gabriel Fernandes Mangabeira na defesa e na acusação o Promotor de Justiça Ariomar José Figueiredo da Silva.