BUSCA PELA CATEGORIA "ECONOMIA"

  • Petrobras reduz preços de venda de gasolina para as distribuidoras a partir desta terça

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    15/08/2022 - 20:40


    Segundo a empresa, a redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras

    ECONOMIA

    - A Petrobras anunciou uma redução do preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras. O reajuste passa a valer a partir de terça-feira (16) e o valor cairá de R$ 3,71 para R$ 3,53 por litro, uma redução de R$ 0,18. Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,70, em média, para R$ 2,57 a cada litro vendido na bomba. Segundo a empresa, a redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras. 

  • Auxílio Brasil começa a ser pago nesta terça-feira com valor de R$ 600

    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia
    09/08/2022 - 08:00


    O benefício vai ser pago a 20,2 milhões de famílias, e o valor médio será de R$ 607,88

    ECONOMIA

    - O Auxílio Brasil começa a ser pago, nesta terça-feira (9), com o valor de R$ 600. O pagamento deste novo valor valerá até dezembro deste ano. Com a entrada de milhares que estava na fila de espera do programa, o benefício vai ser pago a 20,2 milhões de famílias, e o valor médio será de R$ 607,88. Os primeiros a receber vão ser os beneficiários com número do NIS (Número de Identificação Social) de final 1. Os depósitos continuam sendo feitos seguindo a ordem do número final do NIS, e somente em dias de semana até 22 de agosto. 

  • Petrobras reduz preço do diesel nas refinarias em 3,56%

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    05/08/2022 - 07:00


    É a primeira vez que o preço do diesel é reduzido desde que o novo presidente da estatal, Caio Paes de Andrade, assumiu o comando da empresa

    ECONOMIA

    - A partir desta sexta-feira (5), o preço médio de diesel vendido pela Petrobras será reduzido em R$ 0,20 por litro, de R$ 5,61 para R$ 5,41, informou há pouco a estatal. É uma queda de 3,56%. É a primeira vez que o preço do diesel é reduzido desde que o novo presidente da estatal, Caio Paes de Andrade, assumiu o comando da empresa. Desde maio do ano passado, o preço do diesel só era reajustado para cima. O Palácio do Planalto e integrantes do governo Jair Bolsonaro, especialmente a Casa Civil, vinham pressionando a Petrobras para reduzir o preço do óleo diesel, de acordo com fontes do Executivo, após a empresa ter mexido nos valores da gasolina duas vezes.

  • Petrobras reduz preço da gasolina em R$ 0,15 por litro

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    28/07/2022 - 14:57


    Essa é a segunda redução de preços na gestão do novo presidente da estatal

    ECONOMIA

    - A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (28) que o preço da gasolina vendida às refinarias terá uma redução de R$ 0,15 por litro, um corte de 3,88%. A partir desta sexta-feira (29), o preço passará de R$ 3,86 para R$ 3,71. Essa é a segunda redução de preços na gestão do novo presidente da estatal, Caio Paes de Andrade. No último dia 20, a Petrobras reduzido em R$ 0,20 o litro da gasolina para as distribuidoras. A empresa afirma ainda que, com a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,81, em média, para R$ 2,70 a cada litro vendido na bomba.

  • Auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros tem calendário de pagamentos divulgado

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    25/07/2022 - 13:30


    O BEm-Caminhoneiro será pago em seis parcelas de R$ 1 mil até dezembro de 2022, observado o limite global de recursos, previsto na Emenda

    ECONOMIA

    - A primeira e a segunda parcelas do auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros serão pagas no dia 9 de agosto. O calendário foi divulgado nesta segunda-feira (25) pelo Ministério do Trabalho e Previdência (MPT), órgão gestor do benefício. O auxílio, chamado de Benefício Emergencial aos Transportadores Autônomos de Carga - BEm Caminhoneiro, faz parte da Emenda Constitucional nº 123 e faz parte do conjunto de benefícios sociais previstos na PEC Kamikaze. Terão direito a receber o BEm-Caminhoneiro os transportadores de carga autônomos devidamente cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTR-C) até 31 de maio de 2022. Entre outras exigências, os profissionais deverão estar com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o CPF válidos. O benefício será pago para cada transportador autônomo independentemente da quantidade de veículos que possuir. O BEm-Caminhoneiro será pago em seis parcelas de R$ 1 mil até dezembro de 2022, observado o limite global de recursos, previsto na Emenda. A previsão é de que o terceiro lote esteja disponível para pagamento no dia 24 de setembro e as demais parcelas nos dias 22 de outubro, 26 de novembro e 17 de dezembro.

  • Gasolina fica 3% mais barata nos postos, depois de corte nos preços da Petrobras

    Foto:Reprodução | Folha de Pernambuco Foto:Reprodução | Folha de Pernambuco
    22/07/2022 - 19:30


    Preço médio do combustível nesta semana, iniciada em 17 de julho, ficou em R$ 5,89 por litro no Brasil

    ECONOMIA

    - Pela quarta semana seguida, os preços da gasolina caíram nos postos, segundo pesquisa da Agência Nacional de Petróleo (ANP), poucos dias depois de a Petrobras anunciar uma redução no preço do combustível. O preço médio do combustível nesta semana, iniciada em 17 de julho, ficou em R$ 5,89 por litro no Brasil, o que representa uma queda de quase 3% em relação aos R$ 6,07 da semana passada. Esse é o o menor valor desde julho do ano passado, quando o preço médio do mês ficou em R$ 5,80 por litro, segundo a ANP. A redução é reflexo do corte de 4,9% no preço do litro nas refinarias para as distribuidoras, anunciado na última terça-feira pela Petrobras.

  • Cerveja deve ficar mais cara nos bares e restaurantes em agosto

    Foto: Divulgação | Bar do Adão Foto: Divulgação | Bar do Adão
    13/07/2022 - 08:00


    A previsão leva em conta a alta do preço da bebida nos supermercados, que já é de 9,38% em um ano

    ECONOMIA

    - A alta inflação tem atingido os mais variados produtos e serviços de consumo no Brasil e a cerveja não está de fora dessa realidade. No acumulado dos últimos 12 meses, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 11,89%. No mesmo período, a cerveja subiu cerca de 8,4%. Empresários de bares e restaurantes, ouvidos pelo jornal O Globo, estimam que os fornecedores do setor cervejeiro devem antecipar os reajustes para agosto - que, normalmente, são feitos entre setembro e outubro. A previsão leva em conta a alta do preço da bebida nos supermercados, que já é de 9,38% em um ano. O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci, explicou que a cerveja representa de 20% a 60% do faturamento desses estabelecimentos, a depender do perfil de cada um. 

  • Aneel aprova redução de 0,50% na conta de luz dos baianos

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Rodrigues

    12/07/2022 - 13:00


    A redução começa a partir de quarta-feira (13) sobre as tarifas vigentes.

    ECONOMIA

    - O Ministério de Minas e Energia declarou nesta terça-feira (12) que as faturas de energia elétrica podem cair 19%, em média, ante as valores de abril após a operacionalização de medidas de alívio aprovadas recentemente pelo Congresso. As informações são da Reuters. A pasta leva em consideração três ações: a lei que prevê um teto de 18% para as alíquotas de ICMS nas faturas de energia; a capitalização da Eletrobras, que direcionou R$ 5 bilhões para modicidade tarifária em 2022; e a lei que estabeleceu a devolução total aos consumidores de energia de créditos tributários depois da decisão que excluiu o ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins. Na Bahia, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (12) uma redução de cerca de 0,50% das tarifas de energia dos consumidores da Neoenergia Coelba. A redução começa a partir de quarta-feira (13) sobre as tarifas vigentes. De acordo com a Aneel, a redução será de 0,49%, em média, para os consumidores conectados em alta tensão — empresas — e de 0,50%, em média, para aqueles conectados em baixa tensão — pequenas empresas e os residenciais.

  • Ministério divulga canal para consumidor denunciar posto de combustível

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    11/07/2022 - 16:09


    Determinação vale até 31 de dezembro de 2022

    ECONOMIA

    - O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) divulgou um link onde os consumidores podem fazer denúncias na internet sobre o descumprimento do Decreto que obriga os postos de combustível a divulgar os valores cobrados por litro no dia 22 de junho. O formulário, disponível no link denuncia combustível, permite aos consumidores informar o nome do posto, a localização e se o estabelecimento informa em local visível o preço dos combustíveis cobrado no dia 22 de junho e o preço atual. Também será possível enviar uma foto do posto. Editado no dia 6 de julho, o decreto determina que os postos devem disponibilizar aos consumidores informações corretas, claras, precisas, ostensivas e legíveis sobre os preços dos combustíveis automotivos praticados no estabelecimento em 22 de junho de 2022, de modo que os consumidores possam compará-los com os preços no momento da compra. A determinação vale até 31 de dezembro de 2022. Segundo o ministério, a intenção é saber se o valor cobrado na revenda aos postos segue a redução do imposto para que o preço final seja repassado ao consumidor.

  • Preços médios da gasolina caem após redução do ICMS e valores recordes em junho, diz ANP

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Rodrigues

    02/07/2022 - 08:00


    Valor máximo encontrado nos postos foi R$ 8,890

    ECONOMIA

    - Os preços da gasolina e do diesel recuaram nesta semana, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta sexta (1). Segundo o levantamento da ANP, o valor médio do litro do diesel passou de R$ 7,568 para R$ 7,554, queda de 0,18%. O valor mais alto encontrado pela agência foi de R$ 8,990. Já o preço médio do litro da gasolina caiu de R$ 7,39 para R$ 7,127, uma queda de 3,55%. O valor máximo encontrado nos postos foi R$ 8,890. Na semana passada, os preços do litro do diesel e da gasolina alcançaram os maiores valores nominais pagos pelos consumidores para a gasolina e o diesel desde que a ANP passou a fazer levantamento semanal de preços, em 2004.

  • Aneel reajusta em até 64% cobrança extra na conta de luz para 2022-2023

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Rodrigues

    22/06/2022 - 06:00


    Novos valores entram em vigor em 1º de julho e serão válidos até meados de 2023

    ECONOMIA

    - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça (21) o reajuste nos valores das bandeiras tarifárias (cobrança extra aplicada às contas de luz quando aumenta o custo de produção de energia no país). Pela proposta aprovada pela agência, a maior alta será no valor da bandeira vermelha patamar 1 (alta de 63,7%). A bandeira amarela vai subir 59,5%, e a vermelha patamar 2 aumentará 3,2%. A bandeira verde seguirá sem cobrança. Os novos valores entram em vigor em 1º de julho e serão válidos até meados de 2023. Bandeira verde: continua sem cobrança adicional; Bandeira amarela: de R$ 1,874 para R$ 2,989 a cada 100 kWh consumidos (+ 59,5%); Bandeira vermelha patamar 1: de R$ 3,971 para R$ 6,500 a cada 100 kWh consumidos (+ 63,7%); Bandeira vermelha patamar 2: de R$ 9,492 para R$ 9,795 a cada 100 kWh consumidos (+3,2%).

  • Preço da gasolina nos postos chega a R$ 8,99 e o do diesel a R$ 8,63, aponta ANP

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    21/06/2022 - 14:30


    Pesquisa da ANP foi feita entre os dias 12 e 18 de junho e ainda não reflete totalmente o último reajuste

    ECONOMIA

    - O preço do litro da gasolina nos postos do país chegou a R$ 8,990 na semana passada, e para o diesel o maior valor encontrado foi de R$ 8,630, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta terça (21). A pesquisa da ANP foi feita entre os dias 12 e 18 de junho e ainda não reflete totalmente o último reajuste anunciado pela Petrobras nas suas refinarias. Na sexta-feira (17), a estatal anunciou uma alta de 5,18% na gasolina e de 14,26% no diesel.

  • Após novo reajuste nos combustíveis, presidente da Petrobras renuncia ao cargo

    Foto: André Ribeiro | Agência Petrobras Foto: André Ribeiro | Agência Petrobras
    20/06/2022 - 11:00


    ECONOMIA

    - A Petrobras informou nesta segunda-feira (20), que o presidente da companhia, José Mauro Ferreira Coelho pediu demissão do seu cargo. O anúncio ocorre logo após o mais recente reajuste nos preços dos combustíveis, vigente desde sábado (18). Coelho é o terceiro presidente da Petrobras no governo Bolsonaro. Ele sofria pressões para deixar o cargo desde a nomeação de Caio Mário Paes de Andrade, atual secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia. O governo já indicou um novo nome para ser analisado pelo Conselho de Administração da estatal, Caio Paes de Andrade. Para ele assumir a presidência, no entanto, é preciso que o conselho o aprove em assembleia.

  • Petrobras anuncia aumento da gasolina e do diesel

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    17/06/2022 - 11:30


    A estatal justificou que o reajuste da gasolina ocorre após 99 dias e do diesel após 39

    ECONOMIA

    - A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (17) um novo reajuste nos preços da gasolina e do diesel. A partir de sábado (18), o preço médio de venda de gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro, o que representa um aumento de mais de 5%. Com essa nova tarifa, o preço para o consumidor deve chegar acima dos R$ 8, em média, nas bombas de combustível. Já o diesel passará de R$ 4,91 para R$ 5,61 o litro nas distribuidoras — um aumento de mais de 14%. Hoje, o preço médio nacional do diesel é de R$ 6,88, o litro — na Bahia, o preço médio é R$ 7,26. Em comunicado, a empresa diz ter "buscado o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse imediato para os preços internos da volatilidade das cotações internacionais e da taxa de câmbio". A estatal justificou que o reajuste da gasolina ocorre após 99 dias e do diesel após 39. "Quando há uma mudança estrutural no patamar de preços globais, é necessário que a Petrobras busque a convergência com os preços do mercado", continuou o texto.  O aumento já era previsto e, na quinta-feira (16), o conselho de administração da Petrobras se reuniu para analisar um pedido do governo de tentar barrá-lo, em vão.

  • Senado aprova projeto que fixa teto do ICMS sobre combustíveis

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    14/06/2022 - 08:36


    Proposta foi aprovada por 65 votos a 12

    ECONOMIA

    - O Senado aprovou, na noite desta segunda-feira (13), o Projeto de Lei Complementar n°18, que limita as alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidentes sobre combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo. O projeto limitará a cobrança do imposto a uma faixa de 17% a 18%. O texto-base foi aprovado por 65 votos a 12. Como passou por alterações, a proposta ainda voltará para a Câmara dos Deputados, que já havia aprovado o texto com o objetivo de reduzir os preços do combustível e da energia elétrica em ano eleitoral. Durante a tramitação do projeto na Câmara, deputados chegaram a avaliar que a limitação do ICMS possibilitaria uma redução de até 12% no preço do combustível e até 11% na conta de luz. O texto foi aprovado com modificações propostas por senadores e pelo relator Fernando Bezerra (MDB-PE), ex-líder do governo no Senado. Os senadores também aprovaram uma sugestão de alteração no conteúdo do projeto, apresentada pelo MDB. Ela garante que, caso os recursos de estados e municípios sofram grandes perdas com a lei, a União vai compensá-los para que sejam mantidos os pisos constitucionais da saúde e da educação e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). O projeto estabelece que combustíveis, energia elétrica, as comunicações e o transporte coletivo serão considerados bens e serviços essenciais. Isso faz com que os estados sejam proibidos de cobrar sobre esses itens uma taxa superior à alíquota geral do ICMS, que varia entre 17% e 18%. Atualmente, esses bens e serviços são classificados como supérfluos. Em alguns estados, ICMS sobre esses itens chega a superar 30%. 

  • Bolsonaro prevê redução de ‘R$ 2’ no preço da gasolina

    Foto: Reprodução | Ranu Abhelakh Foto: Reprodução | Ranu Abhelakh
    Por Juliana Rodrigues

    13/06/2022 - 17:30


    ECONOMIA

    - Com a proposta do governo federal de limitar em 17% a alíquota do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de combustíveis, do setor elétrico e de telecomunicações, cobrados pelos governos estaduais, a previsão é reduzir o valor do litro da gasolina em R$ 2 e o do diesel, em R$ 1. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (13) pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). “A previsão é cair por volta de R$ 2 o litro da gasolina e cair por volta de R$ 1 o preço do diesel”, afirmou o mandatário em entrevista à CBN Recife. Estimativa semelhante havia sido apresentada pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), relator de duas propostas sobre o tema no Senado. Segundo o parlamentar, os textos prometem reduzir em R$ 1,65 o preço do litro da gasolina e R$ 0,76 o do diesel. O chefe do Executivo federal estuda estratégias para reduzir os preços, tendo em vista a proximidade do processo eleitoral. O pacote de medidas, apresentado pelo chefe do Palácio do Planalto na semana passada, inclui uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para permitir repasse de até R$ 29,6 bilhões da União, a fim de subsidiar a redução de impostos estaduais até o fim do ano. Há ainda o projeto de lei complementar (PLC) nº 18, que fixa um limite máximo para as alíquotas de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre combustíveis, energia, telecomunicações e transportes. A proposta já foi aprovada pela Câmara e deverá ser votada no Senado nesta semana.

  • Bolsonaro propõe corte de impostos para baixar preço dos combustíveis

    Foto: Marcello Casal Jr | Agência Brasil Foto: Marcello Casal Jr | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    06/06/2022 - 21:00


    O anúncio foi feito após reunião no Palácio do Planalto com os presidentes da Câmara e do Senado

    ECONOMIA

    - O presidente Jair Bolsonaro (PL) anunciou, nesta segunda-feira (6), uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com o objetivo de reduzir os impostos sobres os combustíveis em ano eleitoral. Dentre as medidas, está a que visa zerar os impostos federais (PIS/Cofins e CIDE) sobre a gasolina e o etanol, uma novidade em relação que vinha sendo discutido até agora. “O governo federal, conversando com as duas lideranças do Congresso, resolveu avançar nessa diminuição da carga tributária para os brasileiros. No tocando ao diesel, nós já zeramos o imposto federal do mesmo e estamos propondo que os 17% que fica para ele, uma vez aprovado o projeto, nós zeramos o ICMS do diesel e nós pagaríamos aos governadores isso que eles deixariam de arrecadar”, discursou o presidente. Bolsonaro aproveitou a situação e pressionou os governadores avisando que isso só será feito caso haja uma redução dos tributos estaduais. “No caso da gasolina e etanol, o governo pretende zerar os tributos federais, PIS, Cofins e Cide, caso os estados topem manter a alíquota do ICMS em 17%”. O anúncio foi feito em pronunciamento após reunião no Palácio do Planalto com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Os ministros Paulo Guedes (Economia), Adolfo Sachsida (Minas e Energia) e Ciro Nogueira (Casa Civil) também participaram. Durante coletiva de imprensa, no Palácio do Planalto, o ministro da Economia disse que a medida deve valer até 31 de dezembro deste ano. A proposta do governo chega a quatro meses da eleição e sob a justificativa de reduzir o preço dos combustíveis que subiu mais neste ano por causa da guerra na Ucrânia. O governo, porém, não explicou como seria feito o ressarcimento, valores, nem o tamanho da perda para os estados. 

  • Petrobras oficializa risco de falta de diesel no primeiro trimestre deste ano

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    27/05/2022 - 09:30


    Conselheiros da Petrobras se dizem perplexos com o fato de o governo Bolsonaro até agora não ter apresentado ao país um plano de emergência

    ECONOMIA

    - A possibilidade de desabastecimento de diesel no Brasil no terceiro trimestre deste ano é real, apontou a Petrobras nesta sexta-feira (27). Em ofício enviado ao governo federal, a estatal formalizou o alerta de que pode haver falta do insumo. A ideia é que a equipe de Jair Bolsonaro e o presidente não poderão alegar desconhecimento nem jogar a responsabilidade nas costas da companhia caso a crise, de fato, se instale. A escassez do combustível é uma das justificativas da empresa para defender a sua venda a preço de mercado. Qualquer alteração na regra, diz a Petrobras, poderá afetar a importação do produto e agravar a situação, ‘que já é delicada’. As bombas ficariam secas justamente no terceiro trimestre, quando a demanda por diesel aumenta sazonalmente no Brasil e nos EUA. A época é a de maior exportação de grãos pelo país. Uma crise poderia afetar o PIB brasileiro. Conselheiros da Petrobras se dizem perplexos com o fato de o governo Bolsonaro até agora não ter apresentado ao país um plano de emergência para enfrentar uma provável escassez do diesel. Eles definem a reação do governo como “descaso”. E dizem que já deveriam estar sendo desenhadas propostas de economia do combustível e de priorização de seu fornecimento para alguns setores essenciais –como os de saúde e distribuição de alimentos. O mundo passa pela mais grave escassez do combustível em 14 anos, por causa da guerra da Rússia contra a Ucrânia. O país de Vladimir Putin, que sofre sanções, é um dos maiores exportadores de petróleo do mundo. Com estoques internacionais em níveis mínimos históricos, refinarias do Golfo dos EUA, que fornecem ao Brasil, por exemplo, começaram a redirecionar cargas para a Europa.

  • Câmara aprova projeto que limita alíquotas sobre combustível e energia

    Foto: Paulo Sérgio | Câmara dos Deputados Foto: Paulo Sérgio | Câmara dos Deputados
    26/05/2022 - 07:00


    O ICMS é um imposto estadual e, de acordo com cálculos de alguns governos locais, sua fixação da alíquota pode gerar uma perda de até R$ 100 bilhões por ano na arrecadação dos estados

    ECONOMIA

    - A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de quarta-feira (25), o projeto que limita a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre energias e combustíveis. No texto, também foi acrescentado uma nova tentativa de fixar a tributação do diesel. O ICMS é um imposto estadual e, de acordo com cálculos de alguns governos locais, sua fixação da alíquota pode gerar uma perda de até R$ 100 bilhões por ano na arrecadação dos estados. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado do presidente Jair Bolsonaro, é apontado como um dos principais articuladores do projeto, que demonstra uma tentativa de reduzir o preço da energia no país e, consequentemente, a inflação. O texto-base do projeto foi aprovado por 403 a 10 e agora segue para o Senado. Os estados, porém, podem tentar barrar a proposta no Senado ou até no Supremo Tribunal Federal (STF). Assista a reportagem da Agência Câmara:

  • INSS paga a segunda parcela do 13º salário a partir desta quarta

    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia
    Por Agência Brasil

    25/05/2022 - 07:00


    Aposentados e pensionistas receberão até o dia 7 de junho

    ECONOMIA

    - O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa a pagar nesta quarta-feira (25) os valores da segunda parcela do décimo terceiro salário de aposentados e pensionistas. Inicialmente, recebem aqueles que ganham um salário mínimo (R$ 1.212). Os que ganham acima disso recebem a partir do dia 1º até 7 de junho. A primeira parcela foi paga em abril. Para consultar o valor, o beneficiário pode entrar no aplicativo Meu INSS (para dispositivos eletrônicos com tablets ou celulares) ou no portal gov.br/meuinss. Outra opção é a central de atendimento por telefone, pelo número 135. Nesse caso, é preciso informar dados como o número do CPF e outras informações cadastrais. O atendimento por telefone está disponível de segunda a sábado, das 7h às 22h. Ao todo, com a primeira e segunda parcelas pagas, serão injetados cerca de R$ 56,7 bilhões na economia. Mais de 36 milhões de pessoas vão receber a segunda cota da gratificação, que vai cair na conta junto com o pagamento regular de maio. Este é o terceiro ano consecutivo que os pagamentos do décimo terceiro salário do INSS ocorrem entre abril, maio e junho. O adiantamento foi possível após edição de portaria do INSS, ainda em março. Quem recebe Benefício de Prestação Continuada (BPC) não tem décimo terceiro.