BUSCA PELA CATEGORIA "CULTURA"

  • Comercial ou cultural: Em meio a artistas do Arrocha e Sertanejo, Forró perde espaço no São João

    Foto: Mateus Pereira | GOVBA Foto: Mateus Pereira | GOVBA
    Por Laisa Gama

    19/06/2024 - 12:30


    Entre os cinco artistas mais contratados na Bahia, apenas um é do Forró

    CULTURA

    - Com mais de 1.200 artistas contratados, os festejos juninos já começaram com muita empolgação em mais de 300 municípios da Bahia. Apesar disso, o forró, estilo musical típico e tradicional do período, não é mais o protagonista. Apenas uma banda do gênero está entre os cinco artistas mais contratados no estado. Mastruz com Leite, banda de forró eletrônico, ficou atras dos três artistas mais contratados: Toque Dez, Devinho Novaes, Heitor Costa, de outro ritmo baiano, o Arrocha. Fecha a lista em quinto lugar Tayrone, do mesmo gênero. O cachê destinado a estes artistas também fica para trás quando comparado a outros gêneros. Neste ano, o artista com maior cachê é Gusttavo Lima, do sertanejo, com valor de contrato de R$1,1 milhão, em Luís Eduardo Magalhães. Apenas dois artistas do forró estão entre os mais bem pagos: um deles é Nattan, artista que traz o forró, mas mistura com samba, pagode, música regional brasileira e trap. Wesley Safadão, com forró eletrônico, também está entre os mais bem pagos. Os dados são do Painel Junino do Ministério Público da Bahia. A cultura dançou? A perda da tradicionalidade e a necessidade de agradar o público são apontados pelo professor Milton Moura, doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia, como uma das principais razões para a falta de protagonismo do forró. Moura avalia como um “absurdo” a hipervalorização de artistas da cultura do rodeio, tradicional do eixo Minas Gerais - São Paulo - Mato Grosso do Sul, em detrimento de artistas locais. “A intenção é conquistar grandes públicos, mas acaba estimulando os públicos de pequenas cidades ou até do campo a acharem que o que é bom é o que vem de fora”, avalia. A opinião de Milton é compartilhada pelo pesquisador e compositor Roberto Mendes, que acredita que há uma falta de compromisso no Brasil como um todo com a cultura. “Não tem um estudo, uma investigação sobre o comportamento nacional com o São João, uma das festas mais populares do país”, aponta. Fraco comercialmente - Mas há também quem pense diferente. Por exemplo, o forrozeiro Léo Macedo, que comanda a banda Estakazero, defende que a questão principal não é a desvalorização do forró, mas sim a falta de artistas com grande expressividade do gênero musical. “Não há tantos artistas de forró que tenham popularidade e notoriedade. Você pega todos os artistas de forró e não daria conta de fazer tanta festa. É uma questão matemática mesmo”.  O problema, segundo ele, é que gênero musical não está em um momento tão bom comercialmente, como o piseiro, o sertanejo e o arrocha. Forró no Congresso - Em meio a discussões sobre a falta do forró na festividade, um projeto de lei  entrou em discussão na Câmara dos Deputados no ano passado. Além de tentar regulamentar a destinação de recursos públicos para as festas juninas, ele determina que, no mínimo, 80% da verba destinados à contratação de artistas e conjuntos musicais sejam usados para apresentações de forró. À época, a proposta gerou repercussão nacional após ter sua urgência aprovada, mas sua discussão está paralisada na Casa. Celso Moura acredita que, caso sancionada, a legislação pode ser um grande passo na valorização da cultura local. Já Léo Macedo defende que outra alternativa seria mais interessante para a resolução do problema, como a criação de um cadastro e estudo detalhado sobre os artistas de Forró com relevância histórica, para ajudar a formalizar esses artistas.

  • Criador de Dragon Ball, morre Akira Toriyama, aos 68 anos

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    08/03/2024 - 11:00


    "Ele deixou muitos títulos de mangá e obras de arte para este mundo", diz um trecho do comunicado publicado no site da famosa franquia

    CULTURA

    - Criador da franquia "Dragon Ball", morreu aos 68 anos Akira Toriyama, vítima de um hematoma subdural, que é quando acontece um acúmulo de sangue entre o cérebro e o crânio. A morte aconteceu no dia 1º de março, mas só foi divulgada, por estúdios ligados ao artista, na madrugada desta sexta-feira (8). "Lamentamos profundamente que ele ainda tivesse vários trabalhos em andamento com grande entusiasmo. Além disso, ele teria muito mais a realizar", diz o comunicado publicado no site do Dragon Ball. E continua: "Ele deixou muitos títulos de mangá e obras de arte para este mundo. Graças ao apoio de tantas pessoas ao redor do mundo, ele pôde continuar suas atividades criativas por mais de 45 anos. Esperamos que o mundo único de criação de Akira Toriyama continue a ser amado por todos por muito tempo". O funeral do artista foi reservado apenas para a família. Além de Dragon Ball, Toriyama foi criador de vários outros mangás, como Dr. Slump (1980), Cowa! (1998), Kajika (1999), Sand Land (2000) e Neko Majin (2000).

  • Gaby Amarantos, Marília Mendonça e Tiago Iorc vencem Grammy Latino

    Foto: Redes Sociais Foto: Redes Sociais
    17/11/2023 - 10:30


    CULTURA

    - O Grammy Latino 2023 foi entregue na tarde desta quinta-feira (16), premiando cantores e artistas da América Latina. A cerimônia foi realizada em Sevilha, na Espanha. A premiação, uma das mais importantes do cenário musical, tem categorias específicas para trabalhos em língua portuguesa. Entre as vencedoras, está a cantora paraense Gaby Amarantos, que ganhou na categoria Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa, com Tecnoshow, que mistura ritmos brega e eletrônico. Esta foi a terceira indicação da cantora. No discurso de agradecimento, ela dedicou o prêmio às mulheres negras, da Amazônia e da periferia. “Eu sou uma artista da Amazônia, da Floresta Amazônica do Brasil. E faço música da periferia negra de Belém do Pará. Quero agradecer, sou uma artista independente. Estou há 20 anos trabalhando com esse estilo. Recebo com muita honra, alegria esse prêmio reconhecendo a música como música de raízes brasileira. Viva o tecnobrega!”, disse. O destaque foi o prêmio póstumo a Marília Mendonça na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja, por Decretos Reais, lançado em maio deste ano. A cantora morreu em novembro de 2021, em um acidente aéreo. “Não é e nunca será a mesma coisa sem você aqui, sabemos quanto você estava focada em buscar esse Grammy e fazer seu tão sonhado discurso em espanhol. Discurso que seria um fomento a união latino-americana através da música, das artes e do respeito. Que só a arte poderia romper as barreiras que a diferença das línguas promover. E temos esperança que o seu legado inspire novos talentos a brilhar e superar as dificuldades”, postou a equipe da cantora nas redes sociais. A banda de rap e rock Planet Hemp levou dois gramofones nas categorias: melhor álbum de rock ou de música alternativa em língua portuguesa e melhor interpretação urbana em língua portuguesa. Veja abaixo a lista dos brasileiros vencedores do Grammy Latino 2023: Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa; Xênia França – Em nome da Estrela; Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa - Planet Hemp – Jardineiros; Melhor Interpretação Urbana em Língua Portuguesa -Planet Hemp e Criolo – Distopia; Melhor Álbum de Samba/Pagode; - Martinho da Vila – Negra Ópera; Melhor Álbum de Música Popular Brasileira; - João Donato – Serotonina; Melhor Álbum de Música Sertaneja; - Marília Mendonça – Decretos Reais; Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa; - Gaby Amarantos – Tecnoshow; Melhor Canção em Língua Portuguesa; - Tiago Iorc e Duda Rodrigues – Tudo O que A Fé pode Tocar; Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa; - Eli Soares - Nós. 

  • Forró é reconhecido como manifestação da cultura nacional

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por Sabrina Craide

    08/11/2023 - 09:30


    Ritmo musical existe há cerca de 70 anos no país

    CULTURA

    - O gênero musical forró foi reconhecido como manifestação da cultura nacional O projeto de lei que já havia sido aprovado na Câmara dos Deputados e no Senado foi sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta terça-feira (7). Segundo o projeto de lei, o forró é um dos mais autênticos gêneros musicais brasileiros. Nascido a partir da mistura de ritmos tradicionais da Região Nordeste como baião, xaxado, coco, arrasta-pé e xote, existe há cerca de sete décadas. Em 2021, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) declarou as matrizes tradicionais do forró como Patrimônio Cultural do Brasil. Participaram da assinatura a ministra da Cultura, Margareth Menezes, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e o deputado federal Zé Neto (PT-BA), autor da proposta, e a senadora Teresa Leitão (PT-PE), que foi relatora do projeto no Senado. “Um passo gigantesco para o nosso forró nordestino, e que passará a ter muito mais grandeza, respeito e possibilidade de fazer parte das políticas públicas em nosso país”, disse o deputado nas redes sociais.

  • Aos 83 anos, morre a atriz Aracy Balabanian

    Foto: Jair Magri Foto: Jair Magri
    07/08/2023 - 11:30


    A atriz foi diagnosticada com câncer de pulmão no fim do ano passado

    CULTURA

    - Morreu, nesta segunda-feira (7), aos 83 anos, Aracy Balabanian. A atriz foi diagnosticada com câncer de pulmão no fim do ano passado e estava internada na Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro. A notícia é do portal Metrópoles. A artista passava por um tratamento para um derrame pleural, que causa acúmulo de líquido nos pulmões quando descobriu dois tumores nos órgãos e ficou bastante abalada, em outubro do ano passado, segundo o programa A Tarde é Sua. Aracy deixou sua marca na televisão brasileira com atuações em séries e novelas, incluindo "Sai de Baixo", "Vila Sésamo", "Corrida do Ouro", "Ti-Ti-Ti" e "A Próxima Vítima". Seu último trabalho completo na TV foi a novela "Sol Nascente", de 2016. Desde então, ela fez participações esporádicas em produções como "Malhação" e "Juntos a Magia Acontece".

  • Lula decreta luto oficial de três dias por morte de Rita Lee

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    10/05/2023 - 08:00


    O decreto deve ser publicado ainda nesta terça-feira (9), na edição extra do Diário Oficial da União

    CULTURA

    - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decretou, nesta terça-feira (9), luto oficial de três dias, ao redor de todo o território nacional, em razão da morte da cantora Rita Lee Jones de Carvalho. Segundo o governo, o decreto já foi assinado pelo mandatário  e deve ser publicado ainda durante a tarde desta terça, na edição extra do Diário Oficial da União. “Cantora, compositora, atriz e multi instrumentista. Uma artista a frente do seu tempo. Julgava inapropriado o título de rainha do rock, mas o apelido faz jus a sua trajetória”, escreveu o petista nas redes sociais. “Jamais será esquecida e deixa na música e em livros seu legado para milhões de fãs no mundo inteiro. Meu abraço fraterno aos filhos Beto, João e Antônio, familiares e amigos”, concluiu.

  • Morre Rita Lee, rainha do rock brasileiro, aos 75 anos

    Foto: Reprodução | Redes Sociais Foto: Reprodução | Redes Sociais
    09/05/2023 - 11:30


    Artista foi diagnosticada com com câncer de pulmão em 2021 e vinha fazendo tratamentos contra a doença

    CULTURA

    - Morreu, no fim da noite desta segunda-feira (8), a cantora e compositora Rita Lee, aos 75 anos. Consagrada como a rainha do rock brasileiro, a artista foi diagnosticada com com câncer de pulmão em 2021 e vinha fazendo tratamentos contra a doença. Rita Lee faleceu na sua residência, na cidade de São Paulo. Segundo o comunicado publicado na conta da artista nas redes sociais, Rita Lee morreu "cercada de todo o amor de sua família, como sempre desejou". "Nesse momento de profunda tristeza, a família agradece o carinho e o amor de todos", fecha a nota. De acordo com a vontade de Rita, seu corpo será cremado. A cerimônia será particular. Já o velório será aberto ao público, no Planetário do Parque Ibirapuera, na quarta-feira, dia 10, das 10h às 17h. Nascida em São Paulo, a cantora ajudou a incorporar a revolução do rock à explosão criativa do tropicalismo. A artista formou a banda brasileira de rock mais cultuada no mundo, os Mutantes, e criou canções na carreira solo com enorme apelo popular sem perder a liberdade e a irreverência.

  • Sequência de ‘O Auto da Compadecida’ é confirmada após 23 anos

    Foto: Redes Sociais Foto: Redes Sociais
    Por Carolina Papa

    13/03/2023 - 18:00


    Novidade foi anunciada pelo ator Selton Melo neste domingo (12) no Instagram

    CULTURA

    - A produção ‘O Auto da Compadecida’ ganhará uma sequência após 23 anos do lançamento do primeiro filme. A novidade foi anunciada pelo ator Selton Melo neste domingo (12) no Instagram. ‘O Auto da Compadecida 2’ vai estrear nos cinemas em 2024. O primeiro filme, baseado na peça teatral de Ariano Suassuna (1927-2014), escrita em 1995, é considerado um clássico do cinema nacional desde o lançamento em 2000. A produção que narra a história de João Grilo e Chicó arrecadou a maior bilheteria nos cinemas em 2000 e acumulou prêmios de melhor diretor e melhor roteiro. “Desde a sua estreia ‘O Auto da Compadecida’ continua sendo exibido nas telinhas e parece que João Grilo e Chicó estavam querendo pular pra fora para viver novas peripécias.  Pedimos licença a Ariano Suassuna para dar uma continuidade à história desta grande amizade”, declarou Guel Arraes, diretor do primeiro filme, no anúncio. 

  • Imperatriz Leopoldinense é a campeã do Carnaval do Rio de 2023

    Foto: Divulgação     Foto: Divulgação
    Por Bruna Fantti e Júlia Barbon

    22/02/2023 - 18:30


    Enredo da escola se baseou na literatura de cordel para contar a história do cangaceiro Lampião

    CULTURA

    - Com rima de cordel, mas batuque de samba, a Imperatriz Leopoldinense venceu o Carnaval 2023 no Rio. A escola contou a história de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião. O enredo teve um dos nomes mais compridos do Carnaval 2023: "O Aperreio do cabra que o excomungado tratou com má-querença e o santíssimo não deu guarda". O carnavalesco, Leandro Vieira, usou como fio condutor o sertão e a chegada do bando de cangaceiros de Lampião. O diferencial do enredo foi o que ocorreu com Lampião após sua morte: nem o céu nem o inferno o queriam. O controverso personagem foi representado junto com Maria Bonita pelo primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Phelipe Lemos e Rafaela Theodoro. A agremiação, das cores verde, branco e ouro, é conhecida pela excelência técnica e foi mais uma entre as escolas que apostaram em temas vinculados ao Nordeste. O mestre de bateria da Imperatriz, Luiz Alberto Lolo, por sua vez, disse que não conseguia encontrar as palavras certas para a vitória após 22 anos. "Não sei como descrever. Fomos rebaixados, agora somos campeões, passamos por muita humilhação. É uma sensação incrível ser campeão e com notas 10", afirmou. A presidente da Imperatriz, Catia Drumond, agradeceu a moradores do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. "É para vocês", disse, na comemoração. Em festa, o complexo de favelas e o bairro de Ramos, na zona norte do Rio, entoavam com toda força o samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense depois da confirmação do título da escola após o jejum de 22 anos. A agremiação anunciou a distribuição de 15 mil latinhas de cerveja na quadra enquanto esperava a chegada dos dirigentes e componentes que acompanharam a apuração no Sambódromo da Sapucaí. Após quatro quesitos, a escola assumiu a liderança isolada na disputa, seguida seguida pela Viradouro, o que se manteve até o anúncio da vitória para a Imperatriz. As duas escolas foram as únicas entre as 12 a tirar a nota máxima em Alegoria e Adereços. Para os desfiles, o carnavalesco da campeã, Leandro Vieira, apostou em um visual popular e de fácil identificação para contar o enredo. Uma ala de mandacarus, plantas que compõem a paisagem sertaneja, abriu o desfile. Em seguida, a escola simbolizou cangaceiras que, segundo a descrição do carnavalesco, "encarnam o espírito arredio das mulheres que marcaram o bando de Lampião". As fantasias faziam referência à cangaceira Dadá, a primeira a portar um fuzil. O segundo carro alegórico, chamado "Dia 28: rebuliço no olho do mamulengo", também trouxe uma interpretação lúdica da famosa fotografia das cabeças degoladas em exposição, após a morte de Lampião, Maria Bonita e membros do cangaço, dia 28 de julho de 1938. As cabeças usadas para reproduzir o episódio eram de bonecos mamulengos, arte tradicional do Nordeste. Mais à frente, desfilaram "fantasmas sertanejos", com fantasias com véus. Na história de cordel contada pela Imperatriz, Lampião não é aceito nem pelo inferno, nem pelo céu. Sem abrigo, ele vagueia pela cultura nordestina e vira um fantasma sertanejo.

  • Maria Marighella é oficialmente nomeada como presidente da Funarte

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    07/02/2023 - 18:30


    A nomeação foi divulgada no Diário da União e assinada pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT)

    CULTURA

    A vereadora Maria Marighella (PT), nesta terça-feira (7), foi nomeada para assumir o cargo de presidente da Fundação Nacional das Artes (Funarte). A nomeação foi divulgada formalmente no Diário Oficial da União, e assinada pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT). "Assumo com muita honra a missão que me foi confiada pela ministra Margareth Menezes - a quem celebro e agradeço. É uma grande responsabilidade ser a primeira mulher nordestina a ocupar esta Presidência", declarou. Além disso, após o anúncio, Marighella realizou uma publicação agradecendo pela oportunidade de retornar à Funarte. "Junto aos segmentos artísticos e em constante diálogo com servidoras e servidores, vamos retomar a construção e a implantação da Política Nacional das Artes, e refundar a Fundação Nacional de Artes que, em 2025, completará 50 anos!", escreveu.

  • Morre o cantor e compositor Erasmo Carlos

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    22/11/2022 - 12:30


    Erasmo Carlos havia sido internado na manhã desta terça-feira (22) no Hospital Barra Dór, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, às pressas

    CULTURA

    - Morreu, nesta terça-feira (22), o cantor e compositor Erasmo Carlos. A causa da morte ainda não foi divulgada. Erasmo Carlos havia sido internado na manhã desta terça-feira (22) no Hospital Barra Dór, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, às pressas. No início do mês, o artista comemorou a alta após duas semanas de internação no Barra D'Or para realizar exames e tratar uma síndrome edemigênica. A doença ocorre quando há um desequilíbrio das forças bioquímicas que mantêm os líquidos dentro dos vasos sanguíneos. Geralmente é causada por patologia cardíacas, renais e dos próprios vasos. O artista completou 81 anos de idade em 5 de junho. Nascido e criado na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro, Erasmo sempre foi apaixonado por música. Conhecido por ser um dos pioneiros do rock brasileiro e por sua parceria com Roberto Carlos, ele deixa um grande legado para a música no Brasil. Gravou sucessos como  "Gatinha manhosa", "Vem quente que eu estou fervendo" e  "Minha fama de mau". Erasmo participou ainda efetivamente junto com Roberto Carlos e com Wanderléa do programa Jovem Guarda, e recebeu o apelido de "Tremendão".

  • Apresentador Jô Soares morre aos 84 anos em São Paulo

    Foto: Reproducão Foto: Reproducão
    05/08/2022 - 06:30


    Entrevistador estava internado desde o fim de julho

    CULTURA

    - O apresentador e humorista Jô Soares faleceu na madrugada desta sexta-feira (5). Jô estava internado desde o fim de julho no Hospital Sírio Libanês em São Paulo. A confirmação da morte foi feita pela ex-mulher do entrevistador, Flávia Pedras Soares, através das redes sociais, mas a causa da morte não foi divulgada. “Faleceu há alguns minutos o ator, humorista, diretor e escritor Jô Soares. Nos deixou no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, cercado de amor e cuidados. O funeral será apenas para família e amigos próximos”, escreveu. Jô trabalhou nas emissoras Continental, TV Rio, Tupi, Excelsior, Record, SBT e na Globo. Fez carreira como humorista antes de se tornar apresentador. No humor programas como 'Viva o Gordo' foram sucesso na televisão. Já nas entrevistas começou no Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) com o programa “Jô Soares Onze e Meia”, que foi ao ar entre 1988 e 1999. Em 2000, o humorista iniciou aquele que se tornou seu programa mais famoso, o “Programa do Jô”, encerrado em 2016. Jô também fez sucesso no teatro e na literatura. Durante a carreira escreveu as seguintes obras: “O astronauta sem regime” (1983), coletânea de crônicas publicadas originalmente em “O Globo”, e seu livro de estreia. O romance, “O Xangô de Baker Street” (1995), liderou as listas dos mais vendidos e foi adaptado para o cinema em 2001. As obras seguintes foram “O homem que matou Getúlio Vargas” (1998), “Assassinatos na Academia Brasileira de Letras” (2005) e “As esganadas” (2011).

  • Podcast Rádio Antiquis lança episódios sobre impactos da pandemia em festas populares

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    23/03/2022 - 11:46


    Bate-papo reúne pesquisadores e produtores culturais para discutir consequências da covid-19 na Romaria de Bom Jesus da Lapa e Festas de Reis do Alto Sertão Baiano

    CULTURA

    - Como ficam as tradições culturais e religiosas de rua em tempos de pandemia? Essa é a questão que norteia os dois episódios de estreia do podcast Rádio Antiquis que discute os impactos da Covid-19 na Romaria de Bom Jesus da Lapa e nas Festas de Reis do Alto Sertão baiano, a partir de um bate-papo entre pesquisadores e produtores culturais. O projeto é realizado através da parceria entre o Antiquis – Núcleo de Estudos do Sertão Primeiro e o Gepercs - Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação, Religião, Cultura e Saúde da UNEB. O podcast será disponibilizado nas principais plataformas digitais: Spotify, Deezer e Youtube nos dias 28 e 31 de março, mais informações podem ser acompanhadas pelo instagram @antiquis.nucleo. O podcast é conduzido por Anderson Cunha, coordenador do Antiquis e Sandra Célia Coelho, coordenadora do Gepercs. O primeiro episódio fala sobre a origem, tradição e perspectivas futuras da Romaria de Bom Jesus da Lapa, a maior da Bahia e a terceira maior do Brasil, e conta com a participação Krzystof Dworak, Doutor em Ciências das Religiões (PUC/SP), pesquisador de romarias e liturgia e  Rafaela Carvalho, Mestranda em Intervenção Educativa e Social. Já o segundo episódio traz o pesquisador e produtor cultural Luiz Benevides, que produz há mais de 34 anos o Festival de Terno de Reis de Caetité, e destaca os desafios de manter viva a tradição frente à nova realidade da saúde pública. Os participantes também discutem  a dificuldade na transmissão dos saberes às novas gerações e a preservação da memória cultural. "São tradições com séculos de história. A Romaria do Bom Jesus data do século XVII e existem Ternos de Reis na região que os descendentes tem relatos de dois séculos de atuação, ou seja, o que vivenciamos não tem precedente e o impacto é muito grande", pontua Anderson Cunha. Frente à importância dessas manifestações para a cultura identitária do sertão, onde a presença física se faz imprescindível para a realização das cerimônias, os convidados da Rádio Antiquis analisam os impactos e possíveis soluções no atual cenário de saúde pública. "A impossibilidade da realização dessas festas interromperam um ciclo sagrado de fé, de confraternização e renovação da vida em comunidade. É necessário entender o dano causado pela covid para que se possa pensar no futuro das tradições que dependem da presença física para se realizar", explica Anderson. O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Prêmio Cultura na Palma da Mão/PABB) via Lei Aldir Blanc, redirecionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

  • Elomar tem melhora clínica e já deve receber alta da UTI em Conquista

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por André Uzêda

    16/03/2022 - 11:00


    Elomar está internado desde o dia 21 de fevereiro, por complicações da Covid

    CULTURA

    - O cantor e compositor Elomar Figueira Mello, de 84 anos, teve melhora clínica e está muito próximo de receber alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). As informações são do boletim do Hospital Samur, em Vitória da Conquista, onde o artista está internado desde o dia 21 de fevereiro. Elomar deu entrada após ter complicações da Covid-19, compremetendo parte do seu pulmão. O violeito havia tomado apenas uma dose de vacina (da Janssen), sem ter retornado para a dose de reforço. Durante a internação, o músico chegou a ser intubado duas vezes. No momento, de acordo com o boletim, ele está lúcido e "evolui sem intercorrências", com "boa evolução clínica". Mesmo depois de sair da UTI, Elomar continuará em observação no hospital.

  • Cantor Elomar volta a ser intubado; equipe médica diz que quadro é estável

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    05/03/2022 - 13:00


    O artista está internado desde o dia 21 de fevereiro em decorrência da Covid-19

    CULTURA

    - O cantor, compositor e violeiro baiano Elomar Figueira Mello, 84 anos, voltou a ser intubado. Ele está internado no Hospital Samur, em Vitória da Conquista, desde o dia 21 de fevereiro, em decorrência da Covid-19. Segundo o boletim médico, o músico apresenta quadro clínico estável, sem febre, sem complicações cardíacas ou renais. "No entanto, apresentou necessidade de retornar à ventilação mecânica, sendo necessária intubação. O procedimento foi feito hoje pela manhã, sem intercorrências", informa o boletim. Ainda segundo o boletim, Elomar não tem previsão de alta e está na Unidade de Terapia Intensiva, sob os cuidados das equipes médicas da UTI Respiratória do Hospital Samur.

  • Internado na UTI, Elomar tem ‘melhora progressiva dos parâmetros ventilatórios’

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    Por Jamile Amine

    01/03/2022 - 12:00


    Músico deu entrada no dia 21 de fevereiro, diagnosticado com Covid-19

    CULTURA

    - Internado desde o dia 21 de fevereiro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Samur, em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, o cantor e compositor Elomar apresenta melhora, segundo boletim médico divulgado nesta terça-feira (1º). O artista, que deu entrada na unidade de saúde após ser diagnosticado com Covid-19, está sob ventilação mecânica desde a noite de quarta-feira (23), mas agora, de acordo com relatório médico, “vem apresentando melhora progressiva dos parâmetros ventilatórios”. “[O paciente] tolerou bem à suspensão do bloqueador neuromuscular e foi retirada a sedação venosa. Seu quadro clínico é estável e segue com os protocolos médicos, adequados para o caso dele”, diz o boletim. Ainda não há previsão de alta.

  • Em velório aberto, fãs se despedem de Paulinha Abelha em Aracajú

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    24/02/2022 - 07:00


    Cerimônia acontece no Ginásio Constâncio Vieira, aberto desde às 7 desta sexta-feira

    CULTURA

    - O Ginásio Constâncio Vieira, em Aracajú, abriu as portas para que os fãs se despeçam da cantora Paulinha Abelha, vocalista da banda Calcinha Preta. A artista morreu na noite de quarta-feira (23), no Hospital Privamera, após complicações renais. O corpo saiu da unidade hospitalar e seguiu para um velatório no Centro da capital, por volta das 23h, para familiares e amigos mais próximos. Às 6h, seguiu em cortejo pelas ruas da cidade até o ginásio, que tem capacidade para 6 mil pessoas. Um corredor foi preparado para as visitas, que farão a despedida e sairão do local. Na sexta (25), o corpo segue para o Ginásio de Esportes José Maria, cidade natal da cantora, Simão Dias, onde também será aberto ao público. A vocalista da Calcinha Preta estava internada há quase duas semanas em unidades de terapia intensiva (UTI), para tratamento renal. A cantora morreu às 19h26 em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico, segundo nota divulgada pela assessoria de comunicação do Hospital Primavera.

  • Morre Arnaldo Jabor, cineasta e jornalista, aos 81 anos

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    15/02/2022 - 12:00


    Jabor sofreu em dezembro um acidente vascular cerebral

    CULTURA

    - Faleceu nessa terça-feira (15), aos 81 anos, o jornalista e cineasta Arnaldo Jabor. O jornalista estava internado desde o dia 17 de dezembro no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após sofrer um acidente vascular cerebral. Segundo a Folha de S. Paulo, a causa da morte foram complicações do AVC. Jabor fez parte da geração do cinema novo e dirigiu sucessos como "Toda Nudez será Castigada" (1973) e "Eu sei que vou te amar" (1986), indicado à Palma de Ouro de melhor filme do Festival de Cannes. Como jornalista se tornou mais conhecido por seus comentários nos telejornais da TV Globo desde os anos 1990. O último comentário foi no dia 18 de novembro de 2021, quando abordou as suspeitas de interferência política no Enem.

  • Cantora Elza Soares morre aos 91 anos

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    Por Luciana Freire

    20/01/2022 - 18:11


    Artista morreu de causas naturais; informação foi divulgada pela sua assessoria

    CULTURA

    - A cantora Elza Soares morreu aos 91 anos nesta quinta-feira (20), no Rio de Janeiro. A informação foi divulgada pela sua assessoria. "É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos em sua casa, no Rio de Janeiro, por causas naturais", diz o comunicado ."Ícone da música brasileira, considerada uma das maiores artistas do mundo, a cantora eleita como a Voz do Milênio teve uma vida apoteótica, intensa, que emocionou o mundo com sua voz, sua força e sua determinação [...] A amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares fãs por todo mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim". Elza Gomes da Conceição é cantora e compositora. Em 1999, foi eleita pela Rádio BBC de Londres como a cantora brasileira do milênio. 

  • Ator e humorista Batoré morre aos 61 anos em São Paulo

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    10/01/2022 - 19:30


    Ivanildo morreu vítima de um câncer

    CULTURA

    - O ator e humorista Ivanildo Gomes Nogueira, de 61 anos, conhecido como Batoré, morreu nesta segunda-feira (10), em São Paulo, vítima de câncer. De acordo com nota da prefeitura, que lamenta o falecimento, Batoré morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, Zona Norte da capital. Seu principal personagem, Batoré, integrou o elenco do programa "A Praça é Nossa", do SBT. Já em 2016, Ivanildo foi contratado pela Rede Globo para a novela "Velho Chico".