BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • Acusados de feminicídio podem ser obrigados a pagar despesas do INSS

    Foto: Reprodução | AdobeStock Foto: Reprodução | AdobeStock
    06/07/2022 - 09:00


    Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou a proposta nesta terça-feira (5)

    BRASIL

    - Os acusados de feminicídio poderão ter que devolver os valores pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou a proposta nesta terça-feira (5), através de um projeto de lei, o PL 6.410/2019. Atualmente, o INSS entra com ação judicial apenas contra os autores de feminicídio em relação familiar com a vítima. A matéria aprovada pela CAE estende essa previsão para todos os feminicidas, independente de ter relação familiar com as vítimas. O projeto é da senadora Daniella Ribeiro (PSD-PB). Se não houver pedido para votação em Plenário, a proposta segue para a Câmara dos Deputados.

  • Senado aprova PEC do piso salarial da enfermagem

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    02/06/2022 - 14:30


    No primeiro turno foram 71 votos a favor e nenhum contra. No segundo turno, 72 a favor e nenhum contrário.

    BRASIL

    - O Senado aprovou, nesta quinta-feira (2), em plenário, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 11/2022) que visa dar segurança jurídica ao piso salarial nacional de enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras. O texto segue para a Câmara dos Deputados. No primeiro turno foram 71 votos a favor e nenhum contra. No segundo turno, 72 a favor e nenhum contrário. O piso foi aprovado pelo Senado (em novembro) e pela Câmara dos Deputados (em maio) na forma de um projeto de lei (PL 2.564/2020), de autoria do senador Fabiano Contarato (PT-ES), com relatoria da senadora Zenaide Maia (Pros-RN). Ao inserir na Constituição o piso, a intenção é evitar uma eventual suspensão do piso na Justiça, sob a alegação do chamado “vício de iniciativa” (quando a proposta é apresentada por um dos Poderes sem que a Constituição Federal lhe atribua competência para isso). A primeira signatária da iniciativa, senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), fez uma homenagem aos mais de 700 profissionais da enfermagem mortos durante a pandemia da Covid-19. Ela lembrou que o piso terá efeito tão logo seja sancionado pelo presidente da República, ainda que esteja em andamento a discussão sobre a fonte de recursos no Orçamento. O relator de Plenário, senador Davi Alcolumbre (União-AP), rejeitou as emendas apresentadas e pediu aos senadores que retirassem os destaques, para acelerar a aprovação. Ele garantiu que há várias opções em debate para encontrar os recursos orçamentários que garantam o pagamento do piso. Alcolumbre citou entre as possíveis fontes futuras de receita os impostos arrecadados com a eventual legalização dos cassinos no Brasil, tema do PL 2.648/2019. Angelo Coronel (PSD-BA) subiu à tribuna para apoiar a ideia, ao passo que o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) qualificou de “oportunista” a associação entre a aprovação do piso e a legalização dos cassinos.

  • Sobe para 106 o número de mortos em Pernambuco devido a deslizamentos

    Foto: Diego Nigro | Prefeitura do Recife Foto: Diego Nigro | Prefeitura do Recife
    31/05/2022 - 17:30


    BRASIL

    - O Corpo de Bombeiros encontrou na tarde desta terça-feira (31) mais seis corpos de vítimas soterradas após deslizamentos causados pelas fortes chuvas em Recife e região metropolitana. Três pessoas foram encontradas na Vila dos Milagres, na Zona Oeste, pelos bombeiros baianos, e outras três, em Jardim Monte Verde, entre o Recife e Jaboatão, ponto em que morreram mais de 20 pessoas após o temporal. Com isso, subiu para 106 o total de mortes causadas pelas chuvas. O número de pessoas desaparecidas caiu para dez, segundo os bombeiros. Em Jardim Monte Verde, as buscas foram encerradas depois que todas as vítimas desaparecidas na localidade foram achadas.

  • Sobe para 56 o número de mortos por temporais em Pernambuco

    Foto: Reprodução | AFP Foto: Reprodução | AFP
    29/05/2022 - 16:30


    Dados somam óbitos ocorridos desde a quarta-feira, 25

    BRASIL

    - As chuvas torrenciais que atingem a região metropolitana de Recife, capital de Pernambuco, já deixaram 56 mortos, segundo o último balanço oficial deste domingo (29), enquanto equipes de resgate trabalham horas extras em busca de outros 56 desaparecidos. "Até este domingo, foi confirmada a morte de 56 pessoas e outras 56 continuam desaparecidas nos municípios de Recife e Olinda. Há também o registro de 3.957 desabrigadas", informou a Defesa Civil de Pernambuco em nota. Anteriormente, falava-se em 44 mortos e 56 desaparecidos. A chuva, que deu trégua esta manhã, voltou a cair à tarde, enquanto centenas de bombeiros e outros corpos de emergência e assistência trabalhavam contra o relógio, com a ajuda de helicópteros e barcos, na busca de desaparecidos e no resgate de pessoas ilhadas. A fúria da tempestade provocou deslizamentos de terra em morros, transbordamento de rios e grandes torrentes de lama que devastaram tudo em seu caminho em vários municípios. Imagens aéreas mostram alguns pontos da capital pernambucana e municípios vizinhos completamente alagados.

  • Câmara aprova novo piso salarial de R$ 4,7 mil para enfermagem

    Foto: Paulo Sergio | Câmara dos Deputados Foto: Paulo Sergio | Câmara dos Deputados
    05/05/2022 - 11:00


    Valor deve custar cerca de R$18 milhões aos serviços de saúde públicos e privados

    BRASIL

    - A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (4), o projeto de lei que cria um piso salarial para profissionais da enfermagem. O texto, de origem do Senado, fixa o valor em R$ 4.750 a nível nacional. O piso deve gerar aos serviços de saúde públicos e privados um custo de até R$ 18 bilhões, de acordo com o presidente da Casa, deputado Arthur Lira (PP-AL). O projeto determina ainda que o piso da categoria seja reajustado anualmente com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Além disso, o texto assegura a manutenção de salários eventualmente superiores ao valor inicial sugerido, independentemente da jornada de trabalho para a qual o profissional tenha sido contratado. Segundo a relatora da proposta, a deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), o PL só deve seguir para a sanção do presidente após promulgação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 122/15, que proíbe a União de criar despesas aos demais entes federativos sem prever a transferência de recursos para o custeio. Profissionais da enfermagem, desde a última segunda-feira (2), passaram a circular pela Câmara buscando apoio dos parlamentares. A mobilização rendeu 449 votos a favor e apenas 12 contrários ao projeto, apesar de o governo Bolsonaro ter se posicionado contra.

  • Com surto, Brasil chega em 4 meses ao mesmo patamar de casos de dengue de 2021

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    03/05/2022 - 09:00


    Boletim epidemiológico do governo federal aponta um aumento de 113%

    BRASIL

    - Com um surto em alta, o Brasil registrou nos quatro primeiros meses deste ano o mesmo nível de casos de dengue verificados oficialmente em todo o ano de 2021. Foram 542 mil casos até 23 de abril, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta segunda-feira (2). No ano passado inteiro, o Brasil somou 544 mil casos. O boletim epidemiológico do governo federal aponta um aumento de 113% nos casos da doença na comparação com o ano passado.

  • “Tenho fome”: Legado da pandemia, escalada inflacionária faz retornar pobreza extrema no Brasil

    Foto: Manuela Cavadas | Metropress Foto: Manuela Cavadas | Metropress
    Por Geovana Oliveira

    21/04/2022 - 11:01


    BRASIL

    - Lentamente um cenário é desmontado. Tiram-se as máscaras, caem os decretos emergenciais, leitos hospitalares deixam de ser exclusivos para a Covid-19 e já não há filas quilométricas para a vacina. Mas algo permanece. Debaixo das marquises, o número de pessoas aumenta. Nos ônibus e nas ruas, é recorrente o pedido por comida. No novo contexto, a fome e a pobreza são mantidas como um legado da pandemia. “Nós temos dois restaurantes populares e neles tivemos que aumentar a nossa oferta de alimentação de 700 para 1000 refeições diárias”, disse Kiki Bispo, que deixou a secretaria municipal de Combate à Pobreza na última segunda-feira. Apesar da falta de dados recentes — a última pesquisa foi feita pelo IBGE, em 2019 —, gestores e movimentos sociais apontam os sinais do empobrecimento no país nos últimos dois anos. Na capital baiana, de acordo com Kiki, mudou ainda o perfil de quem buscava o serviço dos restaurantes populares. Se antes, a maioria era de pessoas em situação de rua, agora trabalhadores autônomos e desempregados também passaram a ocupar as filas. As procuras por cestas básicas nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) também cresceram na Bahia, conforme a superintendente de Assistência Social da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Leisa Sousa. “A gente vem monitorando o volume de atendimentos que o CRAS vem fazendo. Todos os municípios repassam os dados. Quando a gente comparou os dados de 2021 para 2020, a demanda por benefício eventual, como cesta básica ou auxílio moradia, que garantem a sobrevivência cresceu mais que 50%”, conta. São 3,6 milhões de famílias baianas inscritas no CadÚnico, registro do governo para acompanhar pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza. Destas, mais de 2 milhões recebem o Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família). Desde 2020, mais 500 mil pessoas fizeram o cadastro. “No nosso estado, a gente tem o maior número de famílias em situação de extrema pobreza [dado de 2019], o Auxilio Brasil tem a identificação pelo CadÚnico, que tem faixas de família em extrema pobreza, pobreza e vulnerabilidade social. A grande maioria, acho que 80%, é de extrema pobreza”, diz Leisa Sousa. Apenas nos três primeiros meses deste ano, mais de 50 mil famílias de Salvador se cadastraram no CadÚnico para receber o benefício. A massoterapeuta Taciane Silva, de 28 anos, constata os dados na rotina. Trabalhando na Pituba e morando em Pau da Lima, Taciane viaja diariamente de ônibus. Após alguns meses de pandemia, começou a perceber o aumento de pedintes e de vendedores no transporte público. Em geral, com uma mesma história: perderam o emprego durante a quarentena e não conseguem mais se sustentar. “Se eu pegar um ônibus por dia, pode ter certeza que vai entrar 3 ou 4 com a mesma fala — que precisa ir para a rua porque não consegue comer. Tinha um homem que estava pedindo ajuda e até biscoito, bolacha, o que tivesse ele estava aceitando, porque estava com fome. A menina que estava no ônibus deu a marmitinha dela para ele”, conta.  

    Parceiros e a Inflação - De acordo com a Defensoria Pública do Estado, durante a pandemia, muitas pessoas que perderam seus empregos passaram a desenvolver atividades informais, como catar recicláveis, ou vender picolé e balas. Mas apesar de terem um local para onde voltar, se mantiveram nas ruas por não ter comida em casa, dinheiro suficiente para pagar transporte ou mesmo por vergonha de voltar de mãos vazias. Quem não consegue auxílio, muitas vezes se encaixa em outra estatística: o aumento de furtos por fome, chamados de ‘furtos famélicos’. Segundo levantamento da DPE, entre 2017 e 2021, o número de pessoas enquadradas pela Justiça nesta tipificação subiu de 11% para 20%. “A gente percebeu que aumentou gritantemente o número de pessoas em situação de rua. Não tem dados sobre isso porque infelizmente a Pop Rua vive num apagão estatístico. Então, a gente não sabe quais são os números reais . De forma experimental, vemos que o desemprego é o principal fator”, diz o presidente da ONG ‘Salvador Invisível’, Lucas Gonçalves. De acordo com o estudante de direito, que atua com a população de rua, basta dar uma volta no Largo dos Mares e na Djalma Dutra para perceber a nova realidade. “A Djalma Dutra é interessante porque antes da pandemia eu andava muito por lá e tinha diminuído o número de pessoas nesta região. Ano passado, a gente foi fazer entrega, e dobrou o número de pessoas. Se antes tínhamos que mandar 20 quentinhas, agora mandamos 40 ou mais”, conta. Os voluntários da ONG ‘Seja Semente’, que atua há sete anos em Salvador, relatam situações semelhantes. “Mudou muita coisa. Nas últimas semanas, a gente tava levando 200 marmitas, mas já tem duas ações que acabam ficando pessoas na fila, principalmente no Fórum, sem comer”, conta Andressa Borges, de 27 anos. O número de doadores também diminuiu, à medida que os preços para a cesta básica e as quentinhas aumentaram. “Está tudo muito caro. O que a gente comprava antes de 20 kg de frango por R$ 200, hoje em dia é R$ 500 ou R$ 600. Gastamos R$ 1.600 em uma ação. E tinham pessoas que eram nossos voluntários, ajudavam, e hoje já não podem mais — porque sabemos que o custo de vida é muito caro”, conta Andressa. De acordo com a superintendente de Assistência Social, a culpada pelo empobrecimento não é apenas a pandemia. A inflação também afeta diretamente a vida dos brasileiros. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) indica uma inflação de 10,06% em 2021. “A gente já vinha num processo [de ampliação da extrema pobreza] crescente com a crise que o país vem vivenciando — o desemprego, a redução de investimento federal na assistência social”, afirma Leisa Souza. De acordo com ela, mesmo que as famílias tenham hoje a possibilidade de receber o Auxílio Brasil, elas têm menos condições de fazer uma boa alimentação por causa do aumento de preços. O custo da cesta básica aumentou 48,3% em três anos. “Esse recurso deveria garantir uma boa alimentação. Mas voltamos ao mapa da fome”, conclui. Reportagem publicada originalmente no Jornal da Metropole em 21 de abril de 2022.

    CONTINUE LENDO
  • Em março, 445 mil jovens de 15 a 18 anos tiraram o título de eleitor

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    06/04/2022 - 08:30


    Dados foram divulgados pelo TSE

    BRASIL

    - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou hoje (5) que 445,5 mil jovens entre 15 e 18 anos tiraram o primeiro título eleitor no mês de março. O número foi conquistado após uma campanha realizada pelo tribunal nas redes sociais para engajar o público a comparecer às urnas durante as eleições de outubro. Segundo o TSE, a emissão de novos títulos teve crescimento de 27,6% em relação ao mês de fevereiro deste ano, quando 349 mil eleitores emitiram o documento. De acordo com o levantamento, a procura pelo primeiro título foi maior entre os jovens com 17 anos. Nessa faixa etária, 158,9 mil documentos foram concedidos em março. O prazo para tirar o primeiro título de eleitor, regularizar a situação do documento ou solicitar transferência do local de votação termina em 4 de maio. Após a data, o cadastro eleitoral será fechado e nenhuma alteração poderá ser feita nos registros. Para verificar se há pendências, o eleitor deve entrar no site do TSE e checar se há algum débito em seu nome pela aplicação de multa por não ter votado em eleições anteriores, caso mais comum de irregularidade. O primeiro turno será realizado no dia 2 de outubro, quando os eleitores vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno para a disputa presidencial e aos governos estaduais será em 30 de outubro. Checagem de notícias - Nesta terça-feira, o TSE também lançou um robô virtual para tirar dúvidas dos eleitores e combater a desinformação sobre as eleições. A conversa com o assistente virtual pode ser iniciada adicionando o número +55 61 9637-1078 à lista de contatos do WhatsApp.

  • Ministério da Saúde flexibiliza uso de máscara em ambiente de trabalho

    Foto: Reprodução | AFP Foto: Reprodução | AFP
    01/04/2022 - 12:00


    A flexibilização acontece em meio a discussões sobre abrandar restrições sanitárias diante da queda de casos e óbitos de Covid-19

    BRASIL

    - Uma portaria do Governo Federal publicada nesta sexta-feira (1º) desobriga o uso de máscara em ambientes fechados de trabalho. A medida assinada pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério do Trabalho e Previdência, faz parte das ações da União para flexibilizar as restrições sanitárias diante da queda de casos e óbitos de Covid nas últimas semanas. A portaria estabelece distanciamento no local de trabalho, mantém prazo de afastamento de 10 dias caso seja confirmada infecção por Covid-19 e permite teletrabalho para aqueles que estão em grupo de risco. As novas regras no entanto, dispensam o uso e também fornecimento de máscaras cirúrgicas ou de tecido em estados que não exigem o uso do equipamento de proteção em ambientes fechados. A flexibilização acontece em meio a discussões sobre abrandar restrições sanitárias diante da queda de casos e óbitos de Covid-19. O governo federal estuda, ainda, decretar o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin) e encarar a pandemia como uma endemia.

  • Desemprego cai a menor patamar desde 2016, mas renda do brasileiro continua em declínio

    Foto: Reprodução  Foto: Reprodução
    18/03/2022 - 10:00


    Assim como no trimestre terminado em agosto, neste, a renda média do brasileiro também apresentou retração, com queda de 1,1%

    BRASIL

    - A taxa de desemprego caiu 0,9 ponto percentual, ficando em 11,2% no trimestre encerrado em janeiro. O dado foi compartilhado pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (18) na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). Com a queda, a taxa chegou ao seu menor patamar para o período desde 2016. O valor superou a expectativa do mercado, que esperava que o indíce ficasse em 11,4%. Em dois trimestres consecutivos o indíce de desemprego no Brasil apresentou baixa. Porém, a mesma história se repete. Assim como no trimestre terminado em agosto, neste, a renda média do brasileiro também apresentou retração, com queda de 1,1% ante o trimestre anterior e de quase 10% na comparação anual. “Embora haja expansão da ocupação e mais pessoas trabalhando, isso não está se revertendo em crescimento do rendimento dos trabalhadores em geral", afirma Adriana Beringuy, coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE. Atualmente, há 12 milhões de pessoas procurando emprego no mercado de trabalho brasileiro. Em outubro, este número era de 12,4 milhões.

  • Fiocruz aponta precipitação em relaxamento do uso de máscara

    Foto: Tomaz Silva | Agência Brasil Foto: Tomaz Silva | Agência Brasil
    Por Geovana Oliveira

    13/03/2022 - 08:00


    Pesquisadores também defendem a necessidade de aplicação de uma quarta dose para pessoas com mais de 78 anos

    BRASIL

    - A desobrigação do uso de máscaras, já adotada por diversos estados e municípios, é um relaxamento precoce das medidas preventivas, segundo boletim da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) publicado na última sexta-feira (11). No dia 11, se completaram dois anos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do coronavírus. Segundo os pesquisadores do Observatório, responsáveis pelo boletim, é necessário ter prudência na adoção de qualquer medida de flexibilização, tanto pelo possível impacto do Carnaval e o potencial aumento de casos e internação, como pela "vacinação que avançou bastante, mas precisa ir além". Os pesquisadores defendem ainda a necessidade de aplicação de uma quarta dose para pessoas com mais de 78 anos, seis meses após a aplicação da dose de reforço. De acordo com o boletim, metade dos óbitos ocorrem em pessoas desse grupo, que possuem maior vulnerabilidade às formas graves e fatais da Covid-19.

  • Ligação de empresas de telemarketing passa a ter prefixo obrigatório a partir desta quinta

    Foto: Reprodução  Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    10/03/2022 - 10:00


    A Anatel considerou como telemarketing qualquer prática de oferta de produtos ou serviços pagos. Ou seja, doações e cobranças não usarão o prefixo

    BRASIL

    - A partir desta quinta-feira (10), os usuários de telefonia móvel poderão dar adeus às ligações indesejadas. Isso porque as chamadas feitas por empresas de telemarketing passam a contar com o código 0303 no início da identificação do número. A mudança havia sido anunciada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no início de dezembro e visa ajudar os usuários a identificar facilmente esse tipo de chamada, para que eles possam decidir se vão atender ou não. A Anatel considerou como telemarketing qualquer prática de oferta de produtos ou serviços pagos. Ou seja, doações e cobranças não usarão o prefixo.

  • Número de mortos em Petrópolis chega a 104; bombeiros não conseguem estimar total de vítimas

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    17/02/2022 - 08:00


    Às 5h30 desta quinta-feira (17), os bombeiros retomaram os trabalhos de busca por pessoas desaparecidas

    BRASIL

    - Subiu para 104 o número de mortos em meio à tragédia causada pelas fortes chuvas em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, até o final de quarta-feira (16). Às 5h30 desta quinta-feira (17), os bombeiros retomaram os trabalhos de busca por pessoas desaparecidas nas áreas em que houve deslizamento - a Defesa Civil registrou 325 ocorrências, das quais 269 foram deslizamentos -.e desabamentos. Até o momento, 24 pessoas foram resgatadas com vida. A tragédia deixou 372 pessoas desabrigadas ou desalojadas, 89 áreas atingidas, 26 deslizamentos e mais de 180 moradores de áreas de risco foram acolhidos em escolas. Ainda não há um número oficial de desaparecidos. O número de mortos pode continuar a subir e os bombeiros dizem ser impossível estimar um total de vítimas com a tragédia. 

  • Sobe para 44 o número de mortos em decorrência das chuvas em Petrópolis, no Rio

    Foto: Reprodução | CNN Foto: Reprodução | CNN
    16/02/2022 - 13:30


    Cidade de Petrópolis, na região serrana, sofre as consequências de deslizamentos e enchentes

    BRASIL

    - Subiu para 44 o número de mortos em decorrência das fortes chuvas que atingiram a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, desde a terça-feira (15). Os números foram atualizados no fim da manhã desta quarta-feira (16). A Defesa Civil contabilizou, até o momento, 229 ocorrências e 189 deslizamentos. O município segue em situação de calamidade e a prefeitura pede que população evite sair de casa. Durante a madrugada, agentes da Defesa Civil percorreram alguns pontos da cidade que foram afetados pelas fortes chuvas. Em seis horas choveu 260 milímetros. O acumulado foi maior do que todo o esperado para o mês de fevereiro. Com o acúmulo de lama e lixo arrastado pelas águas, vários pontos do Centro estão com vias obstruídas. A orientação é que pessoas de outras regiões evitem a cidade. As aulas na rede pública foram suspensas. A Secretaria de Estado de Defesa Civil acredita que de 35 a 50 casas foram atingidas pelos deslizamentos.

  • Brasil entra em alerta para epidemia de dengue

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    10/02/2022 - 15:00


    Último boletim do governo federal revelou que em janeiro deste ano foram registrados 40.127 casos de dengue no país

    BRASIL

    - Dados do Ministério da Saúde, do boletim Infodengue da Fiocruz e das secretarias municipais e estaduais de saúde indicam que o Brasil corre grande risco de enfrentar uma epidemia de dengue este ano. O último boletim do governo federal revelou que em janeiro deste ano foram registrados 40.127 casos de dengue no país. O número é 48,1% maior que no mesmo período do ano passado. A região Centro-Oeste apresentou a maior taxa incidência da doença, seguida das regiões Norte, Sudeste, Sul e Nordeste. Para o infectologista Antonio Carlos Bandeira, coordenador do serviço de infectologia do Hospital Aeroporto, na Bahia, e professor de infectologia da UniFTC Salvador, três fatores contribuem para a possibilidade de uma epidemia da doença no país: a intensa quantidade de chuva, a própria periodicidade da doença e a circulação simultânea de dois sorotipos de dengue.

  • Câmara aprova urgência de projeto que facilita aprovação de agrotóxicos no Brasil

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    10/02/2022 - 09:00


    Criticada por ambientalistas, proposta apresentada em 2002 prevê que decisão sobre uso de substâncias não passe mais por Anvisa e Ibama

    BRASIL

    - A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (9) a urgência de um projeto de lei que facilita a aprovação de agrotóxicos no Brasil. A decisão contou com 327 votos a favor, 71 contrários e uma abstenção. Com isso, a proposta pode ser votada diretamente no plenário. Apelidada de "PL do Veneno", o projeto, apresentado em 2002, é bastante criticado por ambientalistas. Defendida pela bancada ruralista, a proposta na pauta do governo federal é chamada de “Lei do Alimento Mais Seguro”. Hoje, o registro dos agrotóxicos passa pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e pelos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), além do Ministério da Agricultura. Pela última versão do parecer aprovado em 2018, a decisão passaria apenas pelo Ministério da Agricultura. O projeto permite ainda um registro temporário, ativo até que a análise do pedido seja concluída. O texto também propõe a substituição do termo "agrotóxicos" por "pesticidas". 

  • Mulher amarra marido antivacina e leva para tomar o imunizante contra a Covid

    Foto: Reprodução | Redes Sociais Foto: Reprodução | Redes Sociais
    Por Redação do Sudoeste Bahia

    02/02/2022 - 17:00


    BRASIL

    - Um vídeo simplesmente viralizou nas redes sociais desde o último domingo (30), que mostra um homem amarrado pela própria esposa, sendo conduzido para um posto de saúde para ser imunizado contra a Covid-19. Pelo que consta, o alagoano faz parte daquele grupo minoritário conhecido como antivacina. De acordo com o site Sete Segundo, o caso aconteceu em Rio Largo, em Maceió, Alagoas. Nas imagens aparece uma senhora com um homem amarrado, que seria seu esposo, sentado em um banco, que aparenta ser um posto de saúde e, em seguida, um agente aplica a vacina.  

  • Asfalto cede e cratera gigantesca abre próximo ao metrô de São Paulo

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    01/02/2022 - 16:30


    O desmoronamento ocorreu por volta das 9h desta terça-feira (1º)

    BRASIL

    - O asfalto cedeu e abriu uma cratera ao lado da obra do metrô, na Zona Norte de São Paulo. Não há informações sobre feridos. O desmoronamento ocorreu por volta das 9h desta terça-feira (1º). O Corpo de Bombeiros informou que foi acionado para um acidente na linha Laranja do Metrô. Segundo a corporação, a escavação feita por um "tatuzão" atingiu algum rio ou adutora, o que fez com que o túnel escavado se inundasse. Não é a primeira vez que um acidente de graves proporções atinge uma obra do metrô. Em 2007, um desmoronamento no canteiro de obras da Linha-4 Amarela provocou a abertura de uma cratera de 80 metros de diâmetro às margens da Marginal Pinheiros, na Zona Oeste da Capital.

  • Chuvas causam 24 mortes no estado de São Paulo

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    31/01/2022 - 17:00


    Ainda há 11 pessoas desaparecidas

    BRASIL

    - Chega a 24 o número de mortes causadas pelas chuvas dos últimos dias no estado de São Paulo. Em Franco da Rocha, na região metropolitana da capital, já são oito vítimas dos temporais. Entre as pessoas que perderam a vida no estado, oito eram crianças. Segundo a Defesa Civil, há ainda 11 pessoas desaparecidas. Os estragos provocados pelas chuvas deixaram 660 famílias desabrigadas ou desalojadas. A Defesa Civil está fornecendo cestas básicas e kits de higiene aos atingidos. As chuvas causaram alagamentos, quedas de árvores, deslizamentos e interdições em rodovias por todo o estado. Até agora os municípios que contabilizam mortos são: Itapevi – 1 vítima; Arujá – 1 vítima; Francisco Morato – 4 vítimas; Embu das Artes – 3 vítimas; Franco da Rocha – 8 vítimas; Várzea Paulista – 5 vítimas; Jaú – 1 vítima; Ribeirão Preto – 1 vítima. Situação de emergência - As cidades de Francisco Morato, Caieiras, Franco da Rocha, Jaú, Embu das Artes e Capivari decretaram situação de emergência. O governo estadual montou uma força-tarefa com o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Defesa Civil para dar suporte aos municípios atingidos pelas chuvas. Também foram liberados R$ 15 milhões para cidades que sofreram danos causados pelos temporais.

  • 79% dos brasileiros são a favor da vacinação em crianças de 5 a 11 anos, diz Datafolha

    Foto: Reprodução      Foto: Reprodução
    17/01/2022 - 12:00


    79% dos brasileiros é a favor da vacinação. Os que rejeitam a imunização para esse público são 17%. Os que não sabem opinar sobre a questão somam 4%

    BRASIL

    - A vacinação contra Covid para crianças de 5 a 11 anos tem o apoio de 79% da população brasileira. Os números são do instituto Datafolha. Esse percentual equivale a 132,5 milhões de pessoas no país. Os que rejeitam a imunização para esse público são 17%. Os que não sabem opinar sobre a questão somam 4%. A pesquisa foi feita por telefone nos dias 12 e 13 de janeiro, com 2.023 pessoas de 16 anos ou mais em todos os estados do Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. No Sudeste do país, 83% acham que as crianças deveriam ser vacinadas, ante 14%. No Sul, os índices são de 72% e 21%, respectivamente. No Nordeste, 78% são a favor e 18% contra, e na região Centro-Oeste/Norte (o levantamento agrupou essas duas partes do Brasil) tem 77% favoráveis e 20% contrários.