• Caetité: clientes da Embasa reclamam de aumento nas contas após troca do hidrômetro

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Willian Silva

    08/02/2019 - 07:00

    Gradualmente, a Embasa, filial de Caetité, está realizando a troca dos hidrômetros, que é um medidor de consumo de água residencial. Porém, a troca do mecanismo está dando o que falar na cidade. A reportagem do Sudoeste Bahia, já vinha recebendo diversas reclamações em sua redação. Para comprovar a veracidade das reclamações, o repórter Willian Silva, em sua página pessoal numa rede social, levantou a questão e constatou que, com a substituição do aparato, as contas de água subiram. Um consumidor, entrou em contato com a redação e enviou uma conta. O usuário do sistema de água alega que pagava em torno de R$30. Após a substituição do equipamento, no primeiro mês, chegou uma conta de R$240. Segundo este consumidor, ele se dirigiu até a loja da Embasa e reclamou do valor da conta. Após idas e vindas à sede da Embasa na cidade, ele conseguiu um acordo e pagou só a metade do valor, ou seja, R$120, o que ele classificou como abusivo o valor. No segundo mês, chegou uma conta de R$125. “A Embasa disse que a gente deveria esperar para ver se normaliza. Espero que isso aconteça”, afirmou o consumidor. Procurada pela reportagem a Embasa respondeu alguns questionamentos. Sobre a mudança dos medidores, a empresa disse que a mudança dos equipamentos se faz necessária visando garantir a correta medição do consumo. “Para garantir que os equipamentos registrem o consumo real dos imóveis, uma vez que este equipamento tem vida útil, a Embasa atualiza frequentemente o parque de hidrômetração com a substituição ou instalação de novos hidrômetros (registro) aferidos pelo Ibametro. A utilização de equipamentos defasados pode provocar supermedição tanto para o usuário que poderá pagar mais, quanto para a empresa que não registra o devido consumo do imóvel.”  Também, informamos a Embasa sobre o caso relatado à nossa redação. Sobre esse caso, em específico, a distribuidora de água disse que “O caso desta reclamação não tem relação com a substituição de hidrômetro. Equipes da Embasa estiveram no endereço e constataram a existência de um vazamento não-aparente no interior da residência (quando não é visível aos olhos). O vazamento contribuiu para elevar o consumo do imóvel.” Porém, a Embasa não descarta a possibilidade de haver um desequilíbrio em contas futuras, após a troca do hidrômetro. “Os moradores que constatarem aumento nas contas, fora do padrão do imóvel, devem procurar o escritório local da empresa na cidade para solicitar abertura do procedimento de revisão” e que “O cliente-usuário deve acompanhar o consumo do imóvel diariamente através da leitura do hidrômetro. Caso verifique alguma anormalidade deverá comparecer à Loja de Atendimento para que uma nova inspeção seja realizada e desta forma adotar as medidas providenciais.” Um dos pontos abordados por nossa reportagem à Embasa é a questão da pessoas que moram na casa, se isso, na instalação do novo aparelho medidor, é contabilizado na nota fiscal de consumo. “O consumo está diretamente relacionado aos hábitos dos residentes e, no caso de comércio, o tipo de estabelecimento. Se houver uma solicitação por parte do usuário, a Embasa retira o hidrômetro para aferição a ser realizada pelo Ibametro. Se for constatado problemas no funcionamento deste equipamento, ele é substituído sob responsabilidade da Embasa. Se o hidrômetro estiver em conformidade, a responsabilidade pelos custos do serviço é de responsabilidade do cliente-usuário”, finaliza a empresa.