• Caetité: defensores da causa animal realizam passeata com os animais

    Foto: Divulgação
    Foto: Divulgação
    Por Willian Silva

    10/10/2018 - 18:00

    No último dia 04 de outubro, a Igreja Católica comemorou o dia de São Francisco de Assis, padroeiro dos animais. Mas a profusão de eventos em torno das eleições ofuscou a data, e pouca gente lembrou do santo. Por isso, um grupo de apoiadores da causa animal irá comemorar o dia no próximo domingo (14), com uma caminhada. Um pet shop da cidade, que organiza o evento, está trocando um quilo de ração por uma bandana, que irá vestir o animal para a “procissão” dos bichos. A referida procissão sairá da Praça doutor Jairo Pontes (Parque das Árvores), as 09h do domingo, percorrendo a rua Barão de Caetité e finalizando na Praça da Catedral com a tradicional “bênção aos animais”.  A organização espera um bom número de participantes e de defensores da causa animal.  O evento também serve de alerta para a causa animal já que, ultimamente, o número de animais mortos, atropelados ou deixados à própria sorte, têm sido elevado. Segundo a Organização Mundial de Saúde, no Brasil, existem, pelo menos, 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães abandonados. Em cidades de grande porte, para cada cinco habitantes há um cachorro. Destes, 10% estão abandonados. As causas para o abandono são as mais diversas. As três primeiras são: 20% - Destrutivo dentro de casa; 18,5% - Suja a casa; 12,6% - Destrutivo fora de casa. São Francisco de Assis e a sua relação com os animais: Giovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como São Francisco de Assis (Assis, 5 de julho de 1182 [1] — 3 de outubro de 1226), foi um frade católico da Itália. Depois de uma juventude badalada e mundana, voltou-se para uma vida religiosa de completa pobreza, fundando a ordem dos Franciscanos. Com o hábito da pregação itinerante, quando os religiosos de seu tempo costumavam fixar-se em mosteiros, e com sua crença de que o Evangelho devia ser seguido à risca, imitando-se a vida de Cristo, desenvolveu uma profunda identificação com os problemas de seus semelhantes e com a humanidade do próprio Cristo. Sua atitude foi original também quando afirmou a bondade e a maravilha da Criação num tempo em que o mundo era visto como essencialmente mau, quando se dedicou aos mais pobres dos pobres, e quando amou todas as criaturas chamando-as de irmãos. É o autor do conhecido Cântico às Criaturas, onde ele exalta a maravilha da natureza. Francisco morreu ao pôr do sol de 03 de outubro de 1226, após ler algumas passagens do Evangelho a todos que o rodeavam, pois sentiu a morte próxima e pediu que chamassem todos os seus amigos. Também pediu para ser enterrado nu e sem pompa alguma. Segundo a tradição católica, foi o primeiro santo a receber os estigmas, ou seja, as mesmas marcas que Cristo tinha quando foi crucificado. Logo após o seu falecimento, a mesma tradição diz que um bando de pássaros pousou no telhado da casa onde estava Francisco e cantou. Em 1230, foi inaugurada uma Basílica em sua homenagem, na cidade de Assis, na Itália onde também se encontra sua sepultura. Na basílica existem uma série de pinturas que retratam as principais passagens da vida do santo.

MAIS NOTÍCIAS