BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

  • Brumado e outras três cidades são contempladas com o curso de Medicina na Bahia

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por Willian Silva

    22/02/2018 - 14:22

    O Ministério da Educação (MEC) aprovou a criação e posterior implantação do curso em Bacharel em Medicina em faculdades particulares em quatro cidades da Bahia: Valença, Irecê, Porto Seguro e, na região sudoeste, a cidade de Brumado foi também contemplada. A aprovação foi publicada no Diário Oficial da União na edição desta quarta - feria (21) e também premia outras 22 cidades do Brasil com a implantação do curso. Para autorizar a abertura, o MEC consultou o Ministério da Saúde para identificar quais municípios estavam aptos a receber os novos cursos de medicina. Entre os critérios levados em consideração estão a necessidade da região, a infraestrutura da instituição de ensino e a relação do número de médicos por habitante. O município deve ter um hospital com mais de 80 leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) e com potencial para hospital escola.

  • Hospital poderá ser obrigado a dar protocolo de atendimento a paciente

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    21/02/2018 - 20:10

    Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 8269/17, do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB), que obriga hospitais e clínicas a fornecer protocolo de atendimento aos pacientes. Pela proposta, o documento deve constar a data e o horário da chegada ao local. O protocolo deve ser dado mesmo em caso de recusa ou impossibilidade de prestar o serviço com a justificativa dada pelo estabelecimento. Segundo Gouveia, é comum o cancelamento de consultas agendadas, sem garantias de outro agendamento em tempo. “Os pacientes não recebem qualquer documento que comprove a sua busca pela atenção à saúde. São situações que limitam muito as possibilidades de o paciente se defender”, afirmou. A comprovação de que o paciente buscou a atenção especializada à sua saúde, ainda que isso lhe tenha sido negado, é essencial para a defesa de direitos sensíveis, na opinião de Gouveia. Tramitação:  A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

  • Mortes por febre amarela sobem para 98 no país, aponta Ministério da Saúde

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Matheus Morais

    07/02/2018 - 13:37

    Um boletim nacional divulgado, nesta quarta-feira (7), pelo Ministério da Saúde, mostra que o número de casos de febre amarela registrados no Brasil subiu para 353, 140 a mais do que havia sido contabilizado na semana passada. As mortes provocadas pela doença também avançaram. Ao todo, 98 pessoas morreram em decorrência da infecção, 17 a mais do que o informado no último relatório. Ainda conforme os dados, os números de febre amarela se referem a um período iniciado em 1º de julho e contabilizados até 6 de fevereiro deste ano. Mas a maioria começou a ser registrada a partir da primeira semana de 2018. Somente este ano foram 351 confirmações e 97 óbitos. A maior parte dos casos está em São Paulo. O estado reúne 161 registros, com 41 mortes. Em seguida, vem Minas Gerais, com 157 infecções e 44 óbitos. O Rio de Janeiro contabiliza 34 ocorrências e 12 mortes. Os números da pasta, porém, estão desatualizados em relação aos levantamentos das secretarias estaduais. São Paulo, por exemplo, já registrava até a última sexta (2), 163 casos, com 61 mortes. O Rio, nesta terça, 6, já falava em 48 casos, com 22 mortes. Segundo o Ministério da Saúde, isso se deve ao fato de que cidades mineiras já dispõem do quantitativo suficiente para imunizar a população. A pasta informou ainda que, entre julho do ano passado e fevereiro deste ano, foram notificadas 1.286 suspeitas, das quais 510 foram descartadas e 423 continuam em investigação. "No ano passado, de julho de 2016 até 6 janeiro de 2017, eram 509 casos confirmados e 159 óbitos confirmados", diz o boletim.

  • Governo abre licitação para construção da Policlínica de Vitória da Conquista

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Rodrigo Daniel Silva & João Brandão

    06/02/2018 - 16:02

    O governo abriu a licitação para a construção da Policlínica de Vitória da Conquista. A informação consta no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (6). A discussão para erguer o equipamento gerou uma polêmica entre a prefeitura de Conquista e o governo. Da oposição, o prefeito Herzem Gusmão (MDB) disse que a cidade não iria integrar o consórcio de saúde, que faz a gerência da policlínica instalada no município, por causa de “exigências” da administração estadual. Chegou a dizer ainda que a cidade “não tinha interesse”na policlínica. O impasse foi resolvido após um acordo entre as partes. De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, quatro dos 10 terrenos em que a Policlínica Regional de Saúde de Vitória da Conquista será construída foram doados por um empresário. O equipamento vai atender os municípios de Paulo Afonso, Juazeiro, Vitória da Conquista, Senhor do Bonfim e Jacobina.

  • Policlínica Regional de Guanambi realizou mais de 2.500 atendimentos

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    27/01/2018 - 18:26

    Com dois meses de funcionamento, a Policlínica Regional do Alto Sertão, com sede em Guanambi, contabiliza 2.589 atendimentos, entre consultas, procedimentos em radiologia e diagnóstico por imagem. A policlínica, a segunda entregue pelo Governo do Estado, beneficia cerca de 480 mil moradores de 22 municípios baianos do Território de Identidade do Sertão Produtivo, que passaram a ter cobertura de diversos exames gratuitos oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O consórcio responsável por gerir o equipamento reúne 100% dos municípios da região. A diretora-geral da policlínica, Tâmara Miranda, revela que a equipe da unidade é formada por mais de 60 profissionais concursados, incluindo 24 médicos especialistas, e mais 20 colaboradores. Selecionada entre mais de 500 profissionais e preparada há mais de dois anos e meio, pelo Governo do Estado, para assumir a função, ela garante ter grande satisfação em participar do projeto, que vem “revolucionando a saúde no estado da Bahia”. Foram investidos R$ 24 milhões na policlínica, entre obras civis, aquisição de equipamentos e 12 micro-ônibus com capacidade para até 28 pessoas, a fim de transportar os pacientes de seus municípios para a sede da policlínica. A manutenção mensal da unidade é dividida entre Estado, responsável por 40%, e os municípios consorciados, que rateiam os 60% restantes. Inaugurada em novembro do ano passado, a Policlínica Regional do Alto Sertão realizou, até esta semana, 1.464 consultas, a maioria em cardiologia (487), seguida de ginecologia e obstetrícia (246) e gastroenterologia (227). No que se refere a diagnóstico por imagem, as ressonâncias magnéticas foram os exames mais solicitados – 276 -, seguidos de tomografia – 273. Foram feitos também ultrassonografias (234), exames de Raio-X (125), mamografias (123), ecocardiograma (82) e colocados 12 MAPAs. A policlínica atende moradores de Caculé, Caetité, Candiba, Carinhanha, Feira da Mata, Guanambi, Ibiassucê, Igaporã, Iuiu, Jacaraci, Lagoa Real, Licínio de Almeida, Malhada, Matina, Mortugaba, Palmas de Monte Alto, Pindaí, Riacho de Santana, Rio do Antônio, Sebastião Laranjeiras, Tanque Novo e Urandi e disponibiliza, entre outros, os seguintes exames: ressonância magnética, tomografia, mamografia, ultrassonografia com doppler, ecocardiografia, ergometria, mapa, raio-x, eletrocardiograma, endoscopia, colonoscopia, nasolaringoscopia, colposcopia, histeroscopia e cistoscopia. Os pacientes também têm acesso a uma variedade de especialidades médicas, a exemplo de angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastroenterologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia/obstetrícia, mastologia e urologia.

  • Rotavírus pode ter causado surto de vômito e diarreia em Livramento de Nossa Senhora

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    26/01/2018 - 20:56

    Uma infecção por rotavírus pode ter causado o surto de vômito e diarreia em Livramento de Nossa Senhora, no sudoeste da Bahia, conforme informações do diretor da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, Clécio Oliveira. A cidade registrou entre a primeira e a terceira semana do mês de janeiro 394 ocorrências. "O rotavírus tem transmissão oral, o que significa dizer que essas pessoas podem ter entrado em contato com ele por vias aéreas e pelas mãos. O grande volume de pessoas, especialmente pelo fato de muitas serem da mesma família, também apontam para esse vírus", contou, ao portal G1. Segundo Clécio, depois que os pacientes tiveram instruções na UPA, a fim de evitar a proliferação da infecção, os casos reduziram. "Estamos fazendo as pessoas se atentarem para a higiene precária, que é a principal forma de contaminação", disse. Os moradores suspeitam que as crises possam ter sido motivadas pela ingestão da água do município, que tem apresentado coloração diferente da normal. O diretor da UPA, afirmou que as amostras já foram colhidas e os resultados dos laudos vão apontar se a suspeita procede ou não. "Não é possível descartar que tenha sido a água, pelo menos por enquanto", afirmou.

  • Produção de vacina contra febre amarela deve dobrar a partir de junho

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Laura Lorenzo

    25/01/2018 - 14:45

    O ministro da Saúde, Ricardo Barros, informou nesta quinta-feira (25) que a partir de junho deste ano 4 milhões de doses mensais da vacina contra a febre amarela devem entrar no mercado. O pronunciamento foi feito durante a inauguração da linha final de produção da vacina, no Rio de Janeiro. A pasta aguarda a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a comercialização. “A fábrica já está produzindo a vacina e recebendo inspeções da Anvisa. Já fez algumas correções que foram solicitadas e, no final de março, está prevista a vistoria para liberação para iniciar a produção, a validação da planta dentro das normas de vigilância. Se isso acontecer, em junho, estará comercializando as doses”, disse o ministro. Ainda de acordo com Barros, as imunizações serão somadas às 4 milhões de doses contra febre amarela já produzidas mensalmente por Bio-Manguinhos, laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Vai dobrar a nossa capacidade”, completou.

  • Saúde: Sesab confirma primeira morte por malária em Wenceslau Guimarães

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    23/01/2018 - 10:08

    Equipes da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) foram enviadas ao município de Wenceslau Guimarães após a confirmação da morte de uma mulher de 31 anos, identificada como Luciene Souza Santos, por conta de complicações com uma infecção por malária. A pasta foi enviada ao município, foco do surto, para tentar evitar a proliferação da doença. Localizada a 290 km de Salvador, a cidade do baixo sul registrou, na zona rural, todos os 21 casos da enfermidade confirmados pela Sesab no estado da Bahia nos primeiros 22 dias de 2018.A morte de Luciene, ocorrida na tarde desta segunda-feira, 22, no Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus (distante 446 km da capital baiana), pode ser a segunda supostamente provocada pela malária este ano, conforme a secretaria. De acordo com o A Tarde, um outro óbito, de um homem de 33 anos, já havia sido identificada pelo órgão no dia 16 de janeiro, mas ainda está sob investigação se a doença foi mesmo a causa.Ao todo, de acordo com a Sesab, 261 pessoas da zona rural de Wenceslau Guimarães foram testadas em exames, para identificar possíveis novos infectados.

  • Febre amarela: governo de Minas decreta situação de emergência em 94 cidades

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    20/01/2018 - 14:35

    O governo de Minas Gerais decretou hoje (20) situação de emergência de saúde pública em três regionais do estado por seis meses por causa da febre amarela. A medida abrange as unidades regionais de saúde dos municípios de Belo Horizonte, Itabira e Ponte Nova – 94 cidades no total. O decreto assinado pelo governador Fernando Pimentel autoriza a adoção de medidas administrativas necessárias à contenção do surto, em especial a aquisição pública de insumos e materiais. Além disso, a medida assegura a contratação de serviços necessários ao atendimento da situação emergencial. Casos: Com o segundo período de monitoramento epidemiológico dos casos de febre amarela em Minas Gerais, de julho do ano passado até o início deste ano, foram confirmados no estado 22 casos da doença. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, destes, 15 evoluíram para óbito. Nesse período, foram descartados 40 casos suspeitos, e há 46 casos em investigação em 24 municípios. Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela no estado de Minas Gerais está em torno de 82%. De acordo com informe epidemiológico divulgado na quarta-feira (17), estima-se que haja no estado pouco mais de 3 milhões de pessoas que ainda não foram vacinadas, especialmente na faixa etária de 15 a 59 anos, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017.

  • Conquista: Suspeita de H1N1 em criança é descartada pelo HGVC

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Nildo Freitas

    17/01/2018 - 22:59

    O Hospital Geral de Vitória da Conquista emitiu uma nota negando a informação de que uma criança foi internada na unidade com suspeita  de H1N1. De acordo com a unidade de saúde é protocolo colher SWAB e iniciar tratamento empírico para H1N1 de qualquer paciente com Insuficiência Respiratória Aguda Febril (quadro do paciente), seja adulto ou criança. A nota afirma ainda que não ouve suspeita de H1N1, e que esta é uma rotina que acontece em  toda Unidade Hospitalar do Brasil há cerca de um ano. A gripe H1N1 consiste em uma doença causada por uma mutação do vírus da gripe. Também conhecida como gripe Influenza tipo A. Os sintomas da gripe H1N1 são bem parecidos com os da gripe comum e a transmissão também ocorre da mesma forma. O problema da gripe H1N1 é que ela pode levar a complicações de saúde muito graves, podendo ser fatal. Para evitar a gripe, as pessoas devem tomar alguns cuidados. Como a principal forma de transmissão é pelo contato com superfícies contaminadas, é necessário fazer frequente higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel. Também é importante ficar atento aos sintomas.

  • Registros de mortes por febre amarela aumentam cinco vezes em uma semana

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Agência Brasil

    17/01/2018 - 09:55

    Desde julho de 2017 já foram registradas 20 mortes por febre amarela no Brasil. A informação foi divulgada pelo Ministério da Saúde em entrevista coletiva nesta terça-feira (16). O último boletim epidemiológico, atualizado no dia 8 deste mês, mencionava quatro vítimas da doença. Ou seja, os óbitos registrados aumentaram cinco vezes. Os números foram apresentados pelo ministro interino da Saúde, Antônio Carlos Nardi.Quando considerados os casos confirmados, o crescimento entre o boletim anterior e o atual também é representativo. No comunicado do dia 8, havia 11 registros. No documento desta terça-feira, o número saltou para 35, uma ampliação de 320%. Os incidentes ocorreram em matas, não havendo notificação até agora em áreas urbanas. Entre julho de 2016 e janeiro de 2017, houve 271 casos e 99 mortes, em um período marcado por um surto da doença.O número de casos confirmados ainda pode aumentar, pois há 145 episódios em investigação por equipes de secretarias de Saúde. Entre julho de 2017 e janeiro deste ano foram notificados 470 casos suspeitos. Deste total, 290 já foram descartados. Questionados na entrevista coletiva hoje (16), os representantes do Ministério da Saúde evitaram falar em “surto”, mas classificaram o fenômeno de um “aumento de incidência da doença”.A situação é mais grave nos estados de São Paulo (20 casos e 11 mortes), Minas Gerais (11 casos e 7 mortes), Rio de Janeiro (3 casos e 1 morte) e DF (1 caso e 1 morte). Em razão do aumento dos casos, a Organização Mundial da Saúde classificou hoje o conjunto do estado de São Paulo de área de risco e recomendou a viajantes internacionais tomar vacina específica e se imunizar contra o vírus.

  • Estado reforça vacinação contra a febre amarela

    Foto: Clarice Castro | Agência O Globo Foto: Clarice Castro | Agência O Globo
    Por Willian Silva

    16/01/2018 - 11:39

    O último caso da doença no país foi em 2000

    A Bahia entrou em alerta para a febre amarela, desde o surgimento de 12 macacos mortos e outro que estava doente em Salvador, no início deste mês. Nesta segunda (15) um morador de São Paulo, que é da cidade de Itaberaba, a 260km de Salvador, morreu em decorrência da doença. O homem de 46 anos estava internado desde a quinta (11), no Hospital Couto Maia, na capital. A informação foi confirmada pelo Laboratório Central (Lacen) da Secretaria de Saúde do Estado. A morte dos macacos ainda está sendo investigada pela Secretaria de Saúde da Bahia para saber se os óbitos têm relação com a doença. O macaco não transmite a febre amarela. Tanto com animais quanto em humanos, a doença é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti ou o mosquito da dengue. Na cidade de Itaberaba, a prefeitura reforçou a vacinação para todos a partir dos nove meses de idade. A meta é imunizar os cerca de 40 mil habitantes do município. O Sudoeste Bahia, em contato com a Diretoria de Comunicação (Direcom) da Prefeitura de Caetité, informou que no município não há nenhum caso e nem suspeita da doença. Mesmo assim, nas próximas semanas a Direcom informou que estará realizando campanhas no sentido de mobilizar a comunidade para se proteger do mosquito transmissor da doença, principalmente durante o verão, período de maior incidência do mosquito. A Prefeitura ainda orienta para que se tomem cuidados básicos contra o mosquito da dengue como, eliminar pontos de água parada que servem como locais de reprodução do mosquito, vedar reservatórios de água para consumo humano, permitir sempre a entrada dos agentes de saúde, limpar frequentemente a vasilha com água do seu animal de estimação com escova e, trocar regularmente a água do seu animal, entre outros cuidados.

  • Febre amarela: após morte de 12 macacos, vacinação é reforçada em Salvador

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Paloma Morais

    15/01/2018 - 19:33

    Após a morte de 12 macacos contaminados com a febre amarela neste ano, a vacinação contra a doença foi reforçada em Salvador, conforme informou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Do total de ocorrências, seis animais foram encontrados no bairro de Pau da Lima, dois no Subúrbio Ferroviário, outros dois na Barra, um no Cabula e outro em Itapuã. Os símios não transmitem a doença e, assim como em humanos, são contaminados pelo mosquito Aedes aegypt em áreas urbanas. A morte serve como alerta para notificar a presença do vírus onde os primatas foram localizados. A Vigilância em Saúde orienta que a população se direcione aos postos de vacinação para imunização, uma vez que a droga entra em ação somente após cerca de dez dias. Na Bahia, a imunização será fracionada, conforme decisão do Ministério da Saúde, anunciada na última terça-feira (9). A campanha será realizada em oito cidades, entre os dias 19 de fevereiro e 9 de março. Os municípios são: Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Candeal, Itaparica, Mata de São João, São Francisco do Conde e Vera Cruz. A meta será medicar 3,3 milhões de pessoas. Caso da doença no estado – Um homem de 49 anos, morador de Taboão da Serra, em São Paulo, que estava internado em Salvador com febre amarela, morreu na tarde deste domingo (14). De acordo com a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), o homem chegou à cidade de Itaberaba, no dia 5 de janeiro, já com os sintomas da doença. Ele foi transferido para a capital, no Hospital Couto Maia, na última quinta (11). A doença foi confirmada por meio de exame feito com material do paciente.

  • Falhas em hospitais mataram mais de 300 mil pessoas no país em 2016

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Matheus Simoni

    22/11/2017 - 11:11

    Falhas consideradas banais como erros de dosagem ou de medicamento, uso incorreto de equipamentos e infecção hospitalar mataram 302.610 pessoas nos hospitais públicos e privados brasileiros em 2016. A informação foi divulgada no Anuário da Segurança Assistencial Hospitalar no Brasil do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), produzido pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e divulgado nesta quarta-feira (22/11). De acordo com o levantamento, foram, em média, 829 mortes por dia, uma a cada minuto e meio. Dentro das instituições de saúde, as chamadas mortes por “eventos adversos” ficam atrás daquelas provocadas por problemas no coração. O número diário supera as 129 pessoas que morrem em decorrência de acidentes de trânsito no país, 164 mortes provocadas pela violência e cerca de 500 registros de mortos por câncer, e fica atrás das 950 vítimas de doenças cardiovasculares. O problema encontra-se na mira da Organização Mundial de Saúde. De acordo com estudos, anualmente morrem 42,7 milhões de pessoas em razão de eventos adversos no mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, a situação não é muito diferente da brasileira. Com população aproximada de 325 milhões de pessoas, o país registra 400 mil mortes por eventos adversos ao ano, 1.096 por dia, ou 16% menos que nos hospitais brasileiros. A diferença para o Brasil diz respeito as mortes hospitalares que são a terceira do ranking americano, atrás de doentes cardíacos e de câncer.

  • Temer deve assinar decreto para proibir criação de novos cursos de medicina, diz colunista

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    17/11/2017 - 07:00

    O presidente Michel Temer (PMDB) deve assinar um decreto que suspende a criação de novos cursos de medicina no Brasil por um prazo de cinco anos. Segundo informações da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, a medida foi confirmada pelo ministro da Educação, Mendonça Filho. O ministro teria afirmado que o decreto para a adoção da medida está na mesa do presidente e a previsão é que o peemedebista assine o termo até o fim do ano. "Há um clamor dos profissionais de medicina para que se suspenda por um período determinado a abertura de novas faculdades, em nome da preservação da qualidade do ensino", afirma o ministro. No entanto, dois editais – lançados ainda durante a gestão Dilma Rousseff – que estão em andamento para a abertura de novos cursos, serão concluídos.

  • Saúde: Saiba como vai funcionar atendimento nas policlínicas regionais

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    02/11/2017 - 07:05

    Neste mês de novembro e em dezembro, o Governo do Estado vai inaugurar quatro policlínicas que vão atender a cerca de 2 milhões de pessoas dos municípios Guanambi, Jequié, Irecê, Teixeira de Freitas e o entorno dessas cidades, com serviços especializados e exames de alta complexidade. Em todas as unidades, o atendimento será feito através de agendamento realizado nas secretarias da Saúde dos municípios. A primeira policlínica será inaugurada no próximo dia 17, em Teixeira de Freitas, para atender a região do extremo sul. Em 24 de novembro, será a vez da população de Guanambi e municípios do seu entorno receber a nova unidade que vai ampliar e dinamizar o sistema de saúde. Já as policlínicas de Irecê e Jequié serão entregues nos 21 e 22 de dezembro, respectivamente. Como ser atendido: As policlínicas não atendem urgências e emergências ou outros tipos de demanda espontânea. O atendimento é feito através de um agendamento pelas Secretarias da Saúde dos municípios que fazem parte do Consórcio que administra a unidade. Passo 1: O paciente passa por uma consulta em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no seu município ou procura a Secretaria Municipal de Saúde. Passo 2: Médicos identificam a necessidade de o paciente realizar uma consulta com especialista, exames como tomografia ou raio-x, ou procedimentos de média complexidade, como biópsia, pequenas cirurgias e cuidados com o pé diabético, por exemplo. Passo 3: A Secretaria Municipal de Saúde agenda o atendimento do paciente na Policlínica Regional de Saúde. Passo 4: Caso a policlínica não esteja localizada no município em que o paciente reside, ele será encaminhado até o município vizinho em um dos micro-ônibus especiais que farão o deslocamento dos pacientes dos municípios consorciados. É importante saber que todo paciente encaminhado para as policlínicas deverá permanecer em acompanhamento com a Equipe de Atenção Básica de seu município.

  • Em uma semana, UPA de Jequié já realizou mais de 1,7 mil atendimentos

    02/11/2017 - 07:00

    Inaugurada há uma semana pelo Governo do Estado, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) Eunice Jesus Leal Almeida, em Jequié, no sudoeste da Bahia, já realizou 1.736 atendimentos nas áreas de clínica médica, pediatria e enfermagem. Localizada no bairro de Cansanção, a unidade é destinada à assistência aos pacientes acometidos por quadros de urgência e emergência de menor gravidade, nas 24 horas do dia, de acordo com o protocolo de Acolhimento com Classificação de Risco. Com um investimento de R$ 3 milhões, a unidade possui sala de emergência, salas de observação adulto e pediátrica, quarto de isolamento adulto, posto de enfermagem, sala de eletrocardiograma (ECG) e de raio-x, além de dois consultórios.

  • Quatro policlínicas regionais serão inauguradas na Bahia até dezembro

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Luiza Leão

    27/10/2017 - 18:39

    Até o fim deste ano, quatro policlínicas regionais de saúde serão entregues aos moradores das regiões de Teixeira de Freitas, Guanambi, Jequié e Irecê. As unidades vão ofertar consultas em até 18 especialidades diferentes por unidade, além de exames como ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, ecocardiografia, eletroencefalograma, endoscopia e colonoscopia. A iniciativa integra os Consórcios Públicos de Saúde, do Governo do Estado, para levar atendimento especializado e exames de alta complexidade ao interior, para que os pacientes não precisem ir a grandes centros em busca dos atendimentos. 40% do custeio será feito pelo governo do Estado e os 60% restantes serão divididos entre os municípios consorciados. A Bahia já possui 11 Consórcios formados, outros nove em discussão, além de outras cinco policlínicas já em obras. O secretário da Saúde do Estado, Fa?bio Vilas-Boas, destaca a importância da iniciativa. "O projeto das policlínicas irá mudar a realidade da atenção de média complexidade na Bahia, garantindo maior resolutividade às unidades básicas de saúde", disse. 

    Policlínica de Guanambi: A entrega do equipamento, que teve o invetimento de R$ 24 milhões, está prevista para o dia 24 de novembro. Serão beneficiados principalmente os moradores de: Caculé, Caetité, Carinhanha, Guanambi, Ibiassucê, Igaporã, Iuiú, Jacarací, Lagoa Real, Licínio de Almeida, Malhada, Matina, Mortugaba, Palmas de Monte Alto, Pindaí, Rio De Santana, Rio Do Antônio, Sebastião Laranjeiras e Urandi. Os pacientes terão 12 micro-ônibus à sua disposição. Policlínica de Jequié: Com investimento de mais de R$ 20 milhões em construção, aquisição de equipamentos e microônibus, a unidade deve ser inaugurada no dia 16 de dezembro e vai atender, além de Jequié, os municípios de Aiquara, Apuarema, Barra do Rocha, Boa Nova, Brejões, Cravolândia, DarioMeira, Ibirataia, Ipiaú, Irajuba, Iramaia, Itagi, Itagibá, Itamari, Itaquara, Ituruçu,Jaguaquara, Jequié, Jitaúna, Lafaiete Coutinho, Lajedo do Tabocal, Manoel, Vitorino, Maracás, Nova Itarana, Planaltino, Santa Inês. Policlínica de Irecê: No dia 22 de dezembro será inaugurada. Os investimentos na unidade ultrapassam os R$ 25 milhões. A unidade vai atender os municípios de América Dourada, Barra do Mendes, Barro Alto, Cafarnaum, Canarana, Central, Gentio do ouro, Ibipeba, Ibititá, Irecê, Itaguaçú da Bahia, João Dourado, Jussara, Lapão, Mulungu do Morro, Presidente Dutra, São Gabriel, Uibaí e Xique- Xique. Os pacientes contarão com 12 micro-ônibus. Policlínica de Teixeira de Freitas: Os investimentos são de quase R$ 25 milhões. A entrega deve ocorrer no dia 17 de novembro. Além de estar equipada com aparelhos de ponta, haverá sete microônibus para o transporte dos pacientes. Serão beneficiados moradores de Itanhem, Medeiros Neto, Vereda, Lajedão, Ibirapuã, Caravelas, Posto da Mata, Nova Viçosa, Mucuri, Prado,Alcobaça, Itamaraju e Jucuruçu.

    CONTINUE LENDO
  • Governo federal garante R$ 7,2 milhões para UPAS 24 horas na Bahia

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    10/10/2017 - 09:12

    A população da Bahia será beneficiada com a ampliação de serviços de urgência e emergência, possível através da entrega de R$ 7,2 milhões para Unidades de Pronto Atendimento 24 horas (UPAs). Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, os municípios podem contar com o apoio do governo federal, que passará os investimentos anualmente. "O nosso compromisso é de que o prefeito coloca a UPA em funcionamento e, em 2 meses nós estamos pagando o financiamento integral desta unidade, dando previsibilidade ao investimento que o prefeito tem que fazer, e flexibilizando o uso desses prédios como unidade de pronto atendimento 24 horas, mas de uma estrutura de custeio que complemente as demais ações de saúde que o prefeito já tem na sua cidade", declarou o ministro. Segundo o Ministério da Saúde, o objetivo das UPAs é prestar atendimento aos pacientes que estão em situação de urgência e emergência e oferecer os primeiros socorros nos casos de natureza cirúrgica e de trauma. Dados da pasta apontam que 97% dos atendimentos realizados nessas unidades têm resolução na própria UPA. 

  • Técnica inédita no país recupera audição de pacientes

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    22/07/2017 - 09:09

    Uma técnica cirúrgica inédita no Brasil tem ajudado na recuperação da audição de pacientes. O procedimento, que se trata de um implante de prótese auditiva na calota craniana atrás da orelha, é coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e já foi realizado quatro vezes no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP). “Em até 15 minutos é possível colocar o implante auditivo”, explica o médico otorrinolaringologista Miguel Hyppólito, responsável pelas cirurgias, em entrevista à revista IstoÉ. Segundo ele, a cirurgia é minimamente invasiva e o paciente tem a possibilidade de ir para casa no mesmo dia. O implante transmite o som por condução óssea, em vez da aérea, usada por pessoas com audição normal. Para isso, um processador capta as ondas sonoras, transforma em vibrações e transmite diretamente para o ouvido interno. A prótese é composta por um implante de titânio de 3 ou 4 milímetros, além de um pilar, que fica junto à pele, e um processador de som que se encaixa a ele. O dispositivo pode ser removido para dormir ou tomar banho. Podem se beneficiar da cirurgia pessoas com perda auditiva decorrente de problemas na orelha externa e com surdez média ou unilateral, incluindo, crianças.