BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

  • Ministério da Saúde aumenta nível de alerta para sarampo

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Por Lara Curcino

    07/08/2019 - 06:00


    A pasta criou o Comitê Operativo de Emergência para monitorar os casos

    Após aumento dos registros de sarampo em São Paulo e notificação de casos em outros 7 estados brasileiros, o Ministério da Saúde colocou em operação o Comitê Operativo de Emergência em Saúde ontem (5). O grupo, com representantes de vigilância, vacinação, atendimento hospitalar, atenção básica e assistência farmacêutica, vai ficar responsável por realizar um acompanhamento diário da evolução da epidemia. Antes dessa medida, o monitoramento da pasta era semanal. Com isso, o país aumenta o nível de alerta para a doença e reduz a distância para que seja decretado estado de emergência.

  • Ministério da Saúde libera R$ 7,3 milhões para cirurgias eletivas na Bahia

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Almirante

    29/07/2019 - 10:00


    Estado vai receber a quarta maior fatia de recursos

    O Ministério da Saúde liberou R$ 7.389.183,45 em recursos para cirurgias eletivas no estado da Bahia, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de acordo com portaria publicada no Diário Oficial da União de hoje (29). Os recursos beneficiam todos os 26 estados e Distrito Federal. No total, foram R$ 100 milhões ofertados. A Bahia vai receber a quarta maior fatia de recursos. Os primeiros estados no ranking são São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Os valores ficam disponiveis por meio do Componente Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC). A medida foi assinada por João Gabbardo dos Reis, da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde.

  • Comissão do Senado aprova meia-entrada a doadores regulares de sangue

    Foto: Geraldo Magela | Agência Senado Foto: Geraldo Magela | Agência Senado
    Por Kamille Martinho

    10/07/2019 - 21:00


    Para ter direito ao benefício, os doadores precisarão comprovar a realização de, no mínimo, três doações por ano

    A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou nesta quarta-feira (10) projeto que concede a doadores regulares de sangue o direito à meia-entrada em eventos. O projeto pode ser submetido diretamente à análise da Câmara, sem passar pelo plenário do Senado porque foi analisado pela comissão em caráter terminativo. Isso, caso nenhum senador apresentar recurso. Para ter direito ao benefício, os doadores de sangue precisarão comprovar a realização de, no mínimo, três doações por ano. Além disso, será necessário apresentar carteira de identidade e carteira de doador emitida por órgão do governo.

  • Governo deve mudar Mais Médicos mais uma vez e reincorporar cubanos

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    Por Juliana Almirante

    10/07/2019 - 07:30


    Esboço da nova proposta para o programa deverá ser apresentado a parlamentares nesta semana

    O governo Jair Bolsonaro quer editar, no próximo mês, uma medida provisória que altera o Programa Mais Médicos e reincorpor os profissionais cubanos, de acordo com reportagem do Estadão. Eles saíram do programa em novembro de 2018 com o rompimento do acordo de colaboração entre Brasil e Cuba. A ideia é de que os profissionais do país caribenho voltem a trabalhar na atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) por um período de dois anos. Depois desse prazo, eles devem revalidar o diploma. A estimativa é de que dois mil dos oito mil profissionais que vieram para o Brasil continuaram aqui depois do fim do acordo, muitos na esperança de serem readmitidos no SUS. Apenas 700 médicos tiveram a situação regularizada, porque se casaram com brasileiros. Somente os cubanos que trabalharam no Mais Médicos e permaneceram no país teriam direito à reincorporação, por meio de um credenciamento. O esboço da nova proposta para o programa deverá ser apresentado a parlamentares nesta semana.

  • Bahia: Casos prováveis de dengue crescem 535% no 1º semestre

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por Juliana Almirante

    04/07/2019 - 11:00


    Coeficiente de incidência da doença na Bahia chegou à marca de 276 para cada 100 mil habitantes

    O número de casos prováveis de dengue na Bahia aumentou 535,3% no primeiro semestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018. De acordo com o Correio, os dados são da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Foram registrados 40.886 casos da doença de 1º de janeiro até o dia 18 de junho deste ano, em 345 municípios da Bahia. No mesmo período do ano passado, os casos de dengue notificados eram em torno de 6,4 mil em todo o estado. O coeficiente de incidência da dengue na Bahia chegou à marca de 276 para cada 100 mil habitantes. Por outro lado, houve redução nas notificações de zika e chikungunya, também transmitidas pelo Aedes aegypti. No primeiro semestre deste ano, foram registrados 1.524 casos prováveis de chikungunya, o que significa uma redução de 47,2% em relação ao mesmo período de 2018. Já com relação aos casos de zika, o decréscimo foi de 12,2%. Nos primeiros seis meses de 2019, foram 781 casos prováveis notificados.

  • Bahia e mais sete estados não atingem meta de vacinação da gripe

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Almirante

    25/06/2019 - 12:27


    Cobertura vacinal ficou em 86% no estado até ontem (24)

    A Bahia e outros sete estados não atingiram a meta de 90% de vacinação em grupos prioritários contra a gripe. A cobertura vacinal ficou em 86% no estado até ontem (24). De acordo com o Ministério da Saúde, 18 estados e o Distrito Federal conseguiram vacinar 90% do público-alvo. Os grupos prioritários tiveram entre os dias 10 de abril e 31 de maio para se vacinar com exclusividade e depois as doses foram abertas para os demais. Mais de 53,5 milhões de pessoas dos grupos prioritários já se imunizaram, entre eles, professores, gestantes, profissionais das forças de segurança de salvamento, crianças e idosos. Ainda foram vacinadas 5,6 milhões de pessoas que não integram os grupos prioritários.

  • Sudoeste Baiano: Doença conhecida como Mayaro pode ter chegado à região; sintomas são parecidos com a dengue

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    06/06/2019 - 09:01


    O vírus Mayaro é transmitido por diferentes mosquitos – principalmente o Haemogogus – e causa principalmente febre e dores nas articulações, que podem persistir por meses. Ele já é considerado endêmico na região Amazônica, mas há indícios de que pode ter se espalhado para outros locais, como o estado do Rio de Janeiro. Não há vacina que previna contra a chamada febre do Mayaro. Por outro lado, é possível evitar a infecção e, se for o caso, controlar seus sintomas. Os sintomas do Mayaro são: Febre, Dores musculares, dores e inchaço nas articulações, que podem persistir por meses, manchas vermelhas pelo corpo, náuseas. Há relatos de complicações graves, que envolvem problemas neurológicos, hemorragia e até morte. Contudo, esses casos são raríssimos. Na maioria das vezes, os sintomas desaparecem com o tempo. Na região Sudoeste da Bahia, algumas cidades tem recebido pacientes com sintomas similares ao desta doença, que tem sintomas semelhantes aos da dengue, zika e chikungunya. A suspeita é de que a região esteja vivendo um surto de arboviroses, doenças transmitidas por mosquitos, como a dengue, chikungunya e o zika vírus.

  • Vacinação contra gripe é aberta a toda a população hoje

    Foto: Tomaz Silva | Agência Brasil Foto: Tomaz Silva | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    03/06/2019 - 11:52


    Durante a campanha nacional, que aconteceu entre os dias 10 de abril e 31 de maio, quase 80% do público prioritário foi vacinado

    Após o término da campanha nacional exclusiva para o público prioritário, a vacinação contra a gripe está aberta a toda a população, inclusive quem faz parte do grupo e ainda não se imunizou. Segundo o Ministério da Saúde, as doses serão aplicadas enquanto durarem os estoques. Durante a campanha nacional, que aconteceu entre os dias 10 de abril e 31 de maio, quase 80% do público prioritário foi vacinado, o que representa 47,5 milhões de pessoas. Na Bahia, a cobertura vacinal alcançou 76% da população. No período, a vacina foi aplicada em gestantes, puérperas, crianças entre 6 meses a menores de 6 anos, idosos, indígenas, professores, trabalhadores de saúde, pessoas com comorbidades, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade, além de profissionais de segurança e salvamento. Até agora, seis estados já bateram a meta de 90%: Amazonas (98,5%), Amapá (98,5%), Pernambuco (93,6%), Espírito Santo (91,3%), Rondônia (90,4%) e Maranhão (90%).

  • Sete vacinas infantis têm cobertura abaixo da meta no país

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Por Juliana Almirante

    03/06/2019 - 10:05


    Apesar de ter alcançado avanços, as imunizações continuam abaixo da meta considerada ideal pelo Ministério da Saúde

    O alerta no último ano sobre a queda nas coberturas vacinais de crianças no país ainda não foi suficiente para alavancar os índices de imunização, de acordo com reportagem da Folha divulgada ontem (3). Apesar de ter alcançado avanços, as imunizações continuam abaixo da meta considerada ideal pelo Ministério da Saúde para manter a proteção contra doenças. Dados apontam que, das oito principais vacinas indicadas a bebês, apenas uma atingiu em 2018 a meta recomendada. É o caso da BCG, que previne tuberculose e costuma ser aplicada em maternidades. Mesmo assim, apresentou queda em relação ao ano anterior. As demais vacinas tiveram coberturas entre 80% e 91,5%. O resultado, portanto, está abaixo da meta de 95%. O objetivo da BCG é de 90%. Antes da queda na vacinação nos últimos três anos, os índices ficavam sempre acima da meta. Por outro lado, no ano passado, algumas vacinas tiveram estabilidade ou já apresentam sinais de melhora. Mesmo assim, ainda estão abaixo do ideal. O balanço foi feito pelo Programa Nacional de Imunizações, principal estratégia de prevenção na saúde do país. Dados preliminares apontam que, em 2018, três vacinas (hepatite A, meningite e a própria BCG) registraram leve queda, sendo que a menor cobertura foi da hepatite A, com apenas 80,9% das crianças de um ano imunizadas. Outras duas vacinas revelam índices semelhantes a 2017 e três tiveram leve recuperação, mesmo abaixo da meta. Foi o caso, por exemplo, das vacinas contra pólio e rotavírus e da que protege contra difteria, tétano e coqueluche.

  • Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe termina nesta sexta

    Foto: Tânia Rêgo | Agência Brasil Foto: Tânia Rêgo | Agência Brasil
    Por Juliana Almirante

    30/05/2019 - 13:54


    Dois estados já bateram a meta de 90%: Amazonas (94,4%) e Amapá (94,7%).

    Termina amanhã (31) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A meta é imunizar 90% do público prioritário, entre eles, idosos, crianças, gestantes, profissionais de saúde e professores. De acordo com o Ministério da Saúde, a partir de segunda-feira (3), as doses restantes da campanha ficarão disponíveis para a população em geral. De acordo com a Agência Brasil, até ontem, 44,6 milhões de pessoas que buscaram os postos de vacinação, o que representava 75% da população-alvo. O público-alvo é formado por 59,4 milhões de pessoas. Dois estados já bateram a meta de 90%: Amazonas (94,4%) e Amapá (94,7%). Os estados com menor cobertura vacinal são Rio de Janeiro (57,6%), Acre (64,9%) e São Paulo (65,4%).

  • Prefeito de Urandi reclama que Guanambi sobrecarrega Hospital Regional

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por BNews

    28/05/2019 - 13:51


    O presidente do Consórcio Público Interfederativo de Saúde do Alto Sertão e prefeito de Urandi, Dorival Barbosa do Carmo (PP), denunciou, em entrevista ao site BNews, supostas irregularidades que acontecem no Hospital Regional de Guanambi (HRG), no centro-sul baiano.O consórcio, formado por 22 municípios baianos, é responsável por administrar a policlínica de múltiplas especialidades médicas, em Guanambi. A manutenção da unidade que recebe pacientes de baixa e média complexidade é compartilhada entre o Governo do Estado, que financia 40% dos custos, e também pelos municípios consorciados, que cobrem os 60% restantes, proporcionalmente à sua população. À reportagem, o prefeito esclareceu que os atendimentos prestados à população na policlínica são eficientes, no entanto, a insatisfação é grande com a gestão do hospital, que deveria receber apenas casos de alta complexidade médica. Segundo o gestor, sem Hospital Municipal, a cidade de Guanambi sobrecarrega a unidade de saúde. “O hospital funciona muito mais para atender uma demanda de Guanambi do que dos outros municípios. Guanambi representa 18% da população dos municípios que estão no consórcio, mas ocupa 60% dos leitos do hospital. As outras cidades têm dificuldade. Tem paciente morrendo porque as vagas estão sendo ocupadas por Guanambi que usa o Hospital Regional como Hospital Municipal”, reclama. De acordo com Dorival, a situação já foi discutida com o secretário da Saúde do Estado Fábio Vilas-Boas, no início do ano. “Não temos acesso ao hospital. O secretário não percebe isso. Ele não entende a problemática, quando acontece algo, os munícipes procuram o prefeito. Encaminhamos uma pauta para o governador Rui Costa e estamos esperando há mais de 15 dias o retorno dele. Nós não queremos conversar com Fábio, ele não entendeu e não resolveu o problema. Guanambi não tem onde internar um paciente com pneumonia, usa a infraestrutura do estado para resolver o problema deles”, dispara.

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia

    Outra reclamação do presidente do consórcio é a demora para realização de cirurgias ortopédicas. “Tem paciente que fica esperando até 50 dias pelo procedimento. Pai de família que quebra a perna e fica 50 dias esperando a cirurgia. Nós não temos onde operar. Quando conseguimos, o Município tem que pagar pela cirurgia porque o Estado não está conseguindo resolver o problema”, pontua. Dorival também denuncia que há interferência política no sistema estadual de regulação. “Além do problema de a vaga demorar de surgir para um paciente nosso, por amizade, por interferência de político da região, conseguem dar um jeitinho e transferem o paciente. A vaga sai por intermédio político. Nós, os municípios, não estamos conseguindo transferir pela via normal”, denuncia. Ao ser questionado sobre quem seriam os envolvidos, o gestor afirma que não vai revelar nomes. “Não vale a pena falar”. O prefeito também pediu a nomeação de um nome técnico para direção do Hospital Regional. “Foi uma indicação política. A gente quer que os problemas sejam discutidos com o consórcio, que se coloque uma diretora que seja técnica, que tenha respaldo de todos os prefeitos. Enviamos uma pauta para antiga diretora, mas não tivemos resposta”, diz. Recentemente, a direção do HRG passou por mudanças. Após Maria das Graças Costa Cotrim pedir exoneração do cargo de diretora-geral, no fim do último mês, o Governo do Estado nomeou Paula Luísa Lima Melo para o cargo. O ex-diretor administrativo Dorisvaldo Lobo também pediu exoneração, depois de uma visita do secretário da Saúde. No último dia 15, Humberto Carvalho Júnior foi nomeado para a vaga. Outro lado: Procurada, a assessoria da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) informou que não procede a informação de que haja desassistência aos pacientes no Hospital Regional de Guanambi. Acrescentou ainda que todos são acolhidos e classificados de acordo com o risco, utilizando critérios internacionalmente estabelecidos. A Sesab também disse que não há interferência política na unidade, visto que todas as internações são controladas pela Central Estadual de Regulação. Além disso, a secretaria explicou que Guanambi é o maior município da região de saúde, com cerca de 20% da população, sendo natural, portanto, que a maior parcela do atendimento seja do município-sede. Leia a nota na íntegra.

  • Campanha de vacinação contra gripe será prorrogada, diz ministro

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    28/05/2019 - 11:04


    Na Bahia, a cobertura vacinal é de 68%, menor que o índice nacional

    O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse ontem (27) que a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, inicialmente prevista para ser encerrada nesta sexta (31), será prorrogada. No entanto, ele não informou por quanto tempo a campanha permanecerá ativa. A meta do Ministério da Saúde era vacinar 90% do público-alvo, composto por 59,4 milhões de pessoas, até o dia 31. No entanto, até esta segunda-feira, 42,5 milhões de pessoas haviam sido vacinadas. O número corresponde a 71,6% do público-alvo. Na Bahia, a cobertura vacinal é de 68%, menor que o índice nacional. Mandetta estima que a maioria dos estados deverá atingir, até o final da semana, 85% do público-alvo. Os estados com maior cobertura até o momento são: Amazonas (93,6%), Amapá (85,5%), Espírito Santo (75,3%), Alagoas (73,4%), Rondônia (72,6%) e Pernambuco (72,2%). Já os estados com menor cobertura são: Rio de Janeiro (45,8%) Acre (49,7%), São Paulo (57,0%), Roraima (57,4%) e Pará (59,2%).

  • Bahia tem redução de 89% nos casos de H1N1 em 2019

    Foto: Marcello Casall Jr | Agência Brasil Foto: Marcello Casall Jr | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    23/05/2019 - 07:00


    De acordo com a Sesab, também houve queda nos índices de mortes

    O número de casos de H1N1 na Bahia teve redução de 89,3% em 2019, segundo o Boletim Epidemiológico da Influenza do estado, divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Foram 24 casos registrados este ano, enquanto o mesmo período de 2018 teve 225 ocorrências. Também houve queda no número de mortes: este ano, a Bahia registrou quatro, todas em Salvador. Já no ano passado, foram 27, uma redução de 85,2%. Os números dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), ligados aos demais tipos de Influenza, também indicam queda de 63,25%, com 467 notificações, ante 1.271 no mesmo período de 2018. Dos casos anotados, 48 foram confirmados para Influenza, 55 por outros vírus respiratórios e 128 com amostras negativas. Há ainda outros 236 casos em processo de investigação. Além dos 24 casos de H1N1, o levantamento considera 18 or H3N2, um por Influenza A não subtipado e outros cinco por Influenza B. A vacina contra a gripe imuniza a população contra todos os tipos de vírus. A campanha nacional de imunização segue até o dia 31 de maio.

  • Vírus 'primo' da chikungunya é descoberto na UFRJ

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Catarina Lopes

    16/05/2019 - 20:00


    O vírus mayaro provoca sintomas semelhantes ao chikungunya

    Foi anunciado hoje (16) por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) a descoberta do vírus mayaro, que provoca sintomas semelhantes ao chikungunya. Não há registro dele na Bahia, mas ele pode causar uma epidemia no sudeste do país. De acordo com o jornal O Globo, testes mostraram que o vírus pode ser transmitido pelo mosquito Aedes e pelo comum (Culex). Segundo pesquisadores do Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ, isso aumenta o risco de epidemia. Os sintomas são dores incapacitantes nas articulações, que podem durar meses. Ainda não há vacina ou tratamento específico.

  • Prefeito de Urandi diz que crise no Hospital Regional de Guanambi é causada por interferências políticas

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    15/05/2019 - 13:00


    O presidente do Consórcio de Saúde da Região de Guanambi e prefeito da cidade de Urandi, Dorival Barbosa do Carmo (PP), se manifestou através de áudio divulgado no WhatsApp  sobre os boatos de que sua esposa seria demitida do Hospital Regional de Guanambi (HRG), onde trabalha há cerca de 18 anos como médica Neonatologista na UTI. Demissão esta, que segundo o gestor seria devido a questões políticas. O prefeito declarou que as informações começaram a ser divulgadas após os prefeitos que compõem o consórcio darem início a uma campanha contra a crise vivida na unidade de saúde. “Os interesses políticos dentro do Hospital Regional são maiores do que a vida das pessoas. Estive no hospital, juntamente com o prefeito de Candiba, registrando o descaso com a saúde pública e foram contabilizadas 43 pessoas espalhadas em macas nos corredores aguardando atendimento, além da falta de medicamentos. As imagens serão encaminhadas ao governador na esperança de que o mesmo resolva a problemática na unidade, que encontra-se insustentável. A situação é vergonhosa. A própria política está causando um entrave no Hospital Regional porque tem muitas pessoas mandando dentro dele. Estamos lutando para acabar com essa situação”, asseverou o prefeito.

  • Programa Mais Médicos oferece vagas em 145 cidades baianas

    Foto: Secom | Governo da Bahia Foto: Secom | Governo da Bahia
    Por Juliana Almirante

    14/05/2019 - 08:00


    Vagas foram abertas depois que o estado teve o segundo maior número de desistências no programa federal

    O novo edital do Programa Mais Médicos abriu cerca de 265 vagas em 145 cidades baianas. A lista completa com as cidades e o número de vagas está disponível no site do Ministério da Saúde. Os municípios com maior número de oportunidades são Itaberaba (7), Jequié e Vitória da Conquista (6 cada uma), Teixeira de Freitas e Feira de Santana (5 cada uma). Os profissionais precisam ter registro brasileiro e se inscrever entre 27 e 29 de maio. Caso sobrem vagas, as oportunidades serão estendidas, em um segundo edital, aos profissionais brasileiros formados em outros países. As vagas foram abertas depois que o estado teve o segundo maior número de desistências no programa federal. Em todo o país, 1.052 desistiram, o que representa 15% das vagas preenchidas por médicos brasileiros após a saída de Cuba.

  • Governo lança novo edital do Mais Médicos

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Catarina Lopes

    13/05/2019 - 21:00


    Cerca de 2 mil vagas foram disponibilizadas

    O Ministério da Saúde publicou hoje (13) um novo edital do programa Mais Médicos, com cerca de 2 mil vagas disponíveis. Também foi divulgado o cronograma para a seleção de novos profissionais, que irão atuar em 790 municípios que estão renovando a participação no programa. As inscrições ocorrerão entre 27 e 29 deste mês pelo site Mais Médicos. Segundo a secretária de Gestão do Trabalho na Saúde, Mayra Pinheiro, para o jornal Folha de S. Paulo, o edital abrange vagas de brasileiros que se inscreveram para ocupar postos deixados por cubanos, mas desistiram após o início das atividades. Ele também abrange parte das vagas que estavam abertas desde o ano passado, mas não tinham sido ocupadas, e 60 novas vagas em 36 municípios que não faziam parte do programa, mas haviam solicitado entrada. Quem tem residência ou especialização em medicina de família e comunidade tem prioridade para escolher a cidade em que será alocado. Esta etapa do edital serve para médicos formados no Brasil. Médicos formados fora do país devem ser chamados em um próximo edital, caso haja desistência ou vagas remanescentes neste.

  • Anvisa ordena recolhimento de 200 lotes de remédio contra a pressão alta

    Reprodução | Google Reprodução | Google
    10/05/2019 - 15:02


    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, na noite desta quarta-feira (8), o recolhimento de 200 lotes de remédios contra a pressão alta. De acordo com a agência, a medida é preventiva e foi tomada para "garantir a saúde da população". Existe a suspeita de que os medicamentos foram contaminados por "impurezas" que podem causar câncer. A lista de medicamentos  recolhidos  pela Anvisa é composta pelas chamadas "sartanas", como a losartana, valsartana e irbesartana. Confira aqui a lista publicada pela Anvisa. Segundo o portal Último Segundo, Os remédios foram rertirados pois existe uma suspeita de que eles tenham sido contaminados por "impurezas" que podem causar câncer em casos de exposição a longo prazo. 

  • Bahia tem 24 medicamentos para Aids e outras doenças com estoque zerado

    Reprodução | Google Reprodução | Google
    Por Juliana Almirante

    09/05/2019 - 15:24


    De acordo com Sesab, os remédios são fornecidos pelo Ministério da Saúde, que tem sido cobrado sobre desabastecimento

    Vinte e quatro medicamentos adquiridos pelo Ministério da Saúde e distribuídos para estados e municípios estão com estoque zerado na Bahia, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) (veja lista). Pacientes com HIV/ Aids vão sofrer com o abastecimento da Zidovudina. O medicamento está associado ao prolongamento da sobrevida dos pacientes, com redução das possíveis infecções e outras melhoras imunológicas. Os remédios com estoque zerado também são usados para tratamento de doenças como tuberculose, hanseníase, hepatite, artrite reumatóide, Alzheimer, Parkinson, esclerose múltipla. Os medicamentos atendem ainda a pacientes com tecidos transplantados, dentre outros. Conforme a secretaria estadual, a maioria dos medicamentos não tem substituto, nem solução de abastecimento imediata. A Sesab informa que faz notificações ao Ministério da Saúde a respeito do desabastecimento e também comunica ao Ministério Público Federal (MPF). O último comunicado foi feito no dia 22 de abril. Outros 19 outros medicamentos encontram-se com estoque crítico e só deve durar 45 dias.

  • Criança brumadense é transferida com para hospital de Vitória da Conquista com suspeita de dengue hemorrágica

    Foto: Luciano Santos | 97 News Foto: Luciano Santos | 97 News
    29/04/2019 - 09:30


    Após familiares procurarem atendimento no Hospital Municipal Professor Magalhães Neto, em Brumado, um menino de 12 anos de idade foi avaliado pela equipe médica e transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Vitória da Conquista neste sábado (27), com sintomas de dengue hemorrágica. De acordo com informações do site 97 News, devido a gravidade do caso, o permanece internado. O menino apresentava na ocasião do internamento febre muito alta e um exame de sangue feito na unidade de saúde de Brumado apontou uma quantidade muito baixa de plaquetas. A Secretaria Municipal de Saúde de Brumado já havia alertado a população sobre o aumento das notificações de arboviroses no município. A Vigep relatou que os números não são alarmantes, mas preocupam devido ao histórico de surtos registrados no município. O índice de infestação predial do Aedes-Aegypti é de 2.4, um número considerado alto, porém ainda dentro da realidade, segundo a Vigilância Epidemiológica Municipal.