BUSCA PELA CATEGORIA "Política"

  • Aliados e oposição criticam sigilo imposto pelo governo a estudos sobre reforma da Previdência

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Daniel Brito

    22/04/2019 - 08:00

    A medida levou o Ministério da Economia a classificar com nível de acesso restrito argumentos, estatísticas, dados econômicos e sociais relativos ao texto

    O sigilo imposto sobre estudos e pareceres técnicos sobre a reforma da Previdência provocou críticas tanto de parlamentares de oposição ao governo quanto de aliados. Revelada hoje (21) pelo jornal Folha de S. Paulo, a medida levou o Ministério da Economia a classificar com nível de acesso restrito argumentos, estatísticas, dados econômicos e sociais relativos ao texto. Ao tentar consultá-los, a publicação foi suepreendida com a decisão. O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) disse que a medida vai contra a Constituição e, ainda, declarou que vai acionar a Justiça para garantir o direito à transparência. Integrantes do partido de Bolsonaro também criticaram a medida. Para o deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP), o nível de restrição é "ridículo" e não há motivo para omitir as informações. Já a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) afirmou que o governo erra com a decisão, pois, segundo ela, a publicidade deve ser regra na gestão pública.

  • STF vai autorizar Lula a dar entrevistas

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Kamille Martinho

    18/04/2019 - 18:00

    A decisão deve ser anunciada ainda hoje (18)

    O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu liberar o ex-presidente Lula para dar entrevistas aos veículos que pediram autorização para falar com ele na prisão. O ministro Luiz Fux suspendeu uma liminar, em setembro de 2018, que autorizava a Folha a entrevistar Lula na prisão, em Curitiba. Fux cassou a permissão e disse que sua divulgação seria censurada, caso já tivesse sido realizada. 

  • José Rocha sobre coordenação do governo Bolsonaro: 'Está um bate-cabeça muito grande'

    Foto: Marcos Oliveria Foto: Marcos Oliveria
    Por Juliana Almirante

    16/04/2019 - 08:00

    Ainda assim, deputado acredita que é possível votar a reforma da Previdência nesse primeiro semestre

    O deputado federal José Rocha (PR-BA) avalia que a coordenação política do governo Jair Bolsonaro ainda tem enfrentado resistência na Câmara dos Deputados. Ontem (15), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou analiar a Proposta de Orçamento Impositivo, que aumenta os gastos do governo, antes da reforma da Previdência. "Realmente está um bate-cabeça muito grande na Câmara em relação à coordenação politica do governo. Ontem foi feito um acordo no sentido de votar primeiro o Orçamento Impositivo, isso por exigencia do Centrão. Logo depois será votação da reforma,que ocorrerá hoje a partir das 10h", disse o parlamentar. Ainda assim, deputado acredita que é possível votar a reforma da Previdência nesse primeiro semestre. "Vai depender muito dessa arrumação da liderança do governo no sentido de colocar para andar. Nós tivemos uma posição muito firme da liderança de indicar o presidente e o relator da comissão que será formada", opinou.

  • Bolsonaro gasta 63% a mais com publicidade; Record supera Globo

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Almirante

    15/04/2019 - 08:30

    Valor chegou a R$ 75,5 milhões, de acordo com levantamento do UOL com base em dados divulgados pela Secom

    Os gastos em publicidade dos primeiros três meses do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) aumentaram 63% em relação ao mesmo período do ano passado. O valor chegou a R$ 75,5 milhões, de acordo com levantamento do UOL com base em dados divulgados pela  Secretaria Especial de Comunicação (Secom), vinculada ao Palácio do Planalto. O levantamento mostra ainda que, no primeiro trimestre, a Record passou a Globo e foi o grupo de comunicação que mais recebeu verbas publicitárias do governo. É a primeira vez em que ocorre essa inversão em ao menos dois anos, segundo as análises por trimestre. Os dados indicam que os gastos da Secom com publicidade institucional saíram de R$ 44,5 milhões no primeiro trimestre de 2018 para R$ 75,5 milhões no mesmo período de 2019. Se os números forem corrigidos pelo  Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que no período variou 4,2%, chega-se a um aumento de 63% entre um ano e outro. No entanto, em 2019, o padrão mudou. Em primeiro lugar, ficou a Record, com R$ 10,3 milhões. Em segundo, está o SBT, com R$ 7,3 milhões. Em terceiro no ranking, veio a Globo, com R$ 7,07 milhões.

  • Deputados de centro analisam possibilidade de derrubar decretos de Bolsonaro

    Foto: Alan Santos | PR Foto: Alan Santos | PR
    Por Juliana Rodrigues

    15/04/2019 - 07:00

    Segundo o blog de Andréia Sadi, no G1, medida serviria para dar ao Planalto o recado de que os parlamentares precisam ser ouvidos

    Deputados do bloco de partidos de centro avaliam a possibilidade de tentar derrubar na Câmara os decretos anunciados pelo presidente Jair Bolsonaro. As medidas foram divulgadas na última quinta (11) e são relacionadas às metas dos 100 primeiros dias de governo. De acordo com o blog de Andréia Sadi, no G1, os parlamentares avaliam que o presidente quer “governar por decretos”, e pode revogar o que quiser. Bolsonaro é alvo de críticas nos bastidores pelos decretos já editados, o que fez com que técnicos da câmara e de lideranças partidárias passaram os últimos dias analisando detalhes dos decretos para saber se cabe questionamento. A possível derrubada das medidas serviria como uma tentativa de dar um novo recado ao governo, de que o Planalto precisa ouvir os parlamentares se quiser aprovar a reforma da Previdência. Um decreto do Executivo só pode ser sustado caso o texto ultrapasse o poder regulamentar ou os limites de delegação legislativa.

  • Maia articula pauta mínima de apoio à Previdência entre governadores do Nordeste

    Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    14/04/2019 - 08:30

    De acordo com a coluna Painel, da Folha, o presidente da Câmara já conversou com o governador do Piauí, Wellington Dias, e outros aliados

    O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se reuniu com governadores do Nordeste em busca de uma articulação a favor da reforma da Previdência. Segundo a coluna Painel, da Folha, o parlamentar participou de um jantar com Wellington Dias (PT), do Piauí, e outros aliados, antes de viajar para os Estados Unidos. O petista saiu do encontro com a missão de consultar os colegas da região, a maioria de partidos de oposição, sobre uma pauta mínima que tenha o apoio do grupo para, a partir daí, buscar o apoio de deputados nordestinos. Um governador nordestino afirmou à coluna que eventuais conversas sobre o apoio ao projeto só acontecerão caso o Planalto entenda que o grupo não topa, além das mudanças no BPC e na aposentadoria rural, o sistema de capitalização e a desconstitucionalização. Também há cobrança por alterações menos ambiciosas no regime geral e foco no combate aos privilégios de algumas categorias.

  • Com medo de greve dos caminhoneiros, governo recuou em aumento do diesel

    Foto: Alan Santos | PR Foto: Alan Santos | PR
    Por Alexandre Galvão

    13/04/2019 - 07:00

    A intervenção do Planalto na política de preços da estatal fez a empresa perder R$ 32 bilhões de valor de mercado ontem (13), na Bolsa de Valores

    O governo do presidente Jair Bolsonaro recuou no aumento do preço do diesel após ser pressionado por caminhoneiros, de acordo com a Folha. Segundo a publicação, a intervenção do Planalto na política de preços da estatal fez a empresa perder R$ 32 bilhões de valor de mercado ontem (13), na Bolsa de Valores. A crise foi vitaminada após Wallace Landim, conhecido como Chorão, um dos líderes dos caminhoneiros, avisar por mensagem aos ministros Onyx Lorenzoni, da Casa civil, e Floriano Peixoto, da secretaria-geral da Presidência, que os motoristas estavam com indicativo de greve. Onyx prometeu resolver. Por volta das 22h, Chorão soube por funcionários da Casa Civil que o Planalto havia suspendido o reajuste.

  • Rui diz que espera 'bom senso' para fim da greve em universidades estaduais

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Almirante

    12/04/2019 - 09:00

    Ele destacou que o governo teria feito um "esforço adicional" na liberação de R$ 36 milhões para as UE's

    O governador Rui Costa (PT) afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole, nesta sexta-feira (12), que espera "bom senso" para o fim da greve nas universidades estaduais, iniciada na terça-feira  (9). Ele destacou que o governo teria feito um "esforço adicional" na liberação de R$ 36 milhões para as UE's. A medida acabou sendo criticada pela categoria, que afirmou que o investimento já era previsto. "Eu espero que haja bom senso e que as aulas voltem o mais rápido possível. Como disse antes, só farei o que for possível fazer. Não sairei da minha responsabilidade com as contas públicas", afirmou. O governador disse ainda ter orgulho que a Bahia está entre os três estados brasileiros que mais investem em educação superior. O ranking ainda inclui São Paulo e Paraná. Segundo Rui, a Bahia tem cerca de R$ 1 bilhão e 700 milhões de orçamento para ensino superior, além dos recursos com o programa Mais Futuro que dá bolsa para jovens de baixa renda em universidades. "Tenho orgulho de estar entre os estaods brasileiros que pagam melhor ao professor. Mesmo considerando as federais", declarou o governador, que lamentou que o estado seja o 20º em arredação per capita do país. Rui diz ainda que foi feito aos professores uma proposta de remanejamento do quadro de vagas que resultaria em promoções. "Essa é a proposta que nós fizemos, que é o impacto suportável", disse.

  • Em 100 dias, Bolsonaro cumpre 20% das promessas de campanha, diz levantamento

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    10/04/2019 - 08:54

    Segundo o G1, número de compromissos atendidos é maior que os de Dilma e Temer no mesmo período

    Por volta das 12h30 de terça-feira (09), a guarnição do PETO da 34ª CIPM recebeu um comunicado via CICOM informando que na Rua João A. Costa, bairro Olhos d'Água, em Brumado, em um determinado "sobrado", com portas de madeira, estaria ocorrendo tráfico de drogas e que um indivíduo estaria armado.  Por isso, a guarnição se deslocou ao local e foi recebida por uma jovem, que tentou se evadir, mas foi alcançada pelos policiais. A guarnição passou a efetuar buscas na casa, tendo encontrado um homem portando 01 revólver calibre 38, com cincos munições intactas. Além disso, foi encontrada uma pequena porção de maconha e a quantia em espécie de R$ 37,00 (trinta e sete reais), três aparelhos de telefone celular, um da marca LG, um Samsung e um Lenovo, uma carteira de identidade e um cartão de banco. O casal de jovens foi conduzido e apresentado na sede da Delegacia de Polícia Civil, para que sejam adotadas as medidas cabíveis.

  • Aprovação a Bolsonaro chega a 62% entre seguidores de rede social

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Almirante

    09/04/2019 - 08:00

    Entre os internautas que não acompanham os perfis de Bolsonaro, a taxa de ótimo/bom é de 23%.

    A avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem forte oscilação entre as pessoas que seguem o mandatário em redes sociais e aquelas que utilizam esses serviços e não o seguem, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (9). Na parcela da população em geral, 32% dizem que o governo até agora é ótimo/bom, 33%, regular, e 30%, ruim/péssimo. Já entre os entrevistados que seguem o presidente em redes sociais (Twitter, Facebook e Instagram), a aprovação (ótimo/bom) dele salta para 62%. Entre os internautas que não acompanham os perfis de Bolsonaro, a taxa de ótimo/bom é de 23%. Desde a campanha eleitoral, o presidente mantém a rotina de atualizar as redes, onde faz anúncios importantes sobre o governo, além de diversas críticas à imprensa. Bolsonaro aposta na estratégia de se comunicar diretamente com seus apoiadores por meio das redes, gerenciadas pelo filho e vereador Carlos (PSC-RJ).

  • Senado instala comissão que acompanhará reforma da Previdência na quarta-feira

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Almirante

    08/04/2019 - 13:40

    “Não haverá nenhuma interferência nas decisões da Câmara, que tem toda a autonomia”, disse o presidente do colegiado, Otto Alencar

    A Comissão Especial do Senado que vai acompanhar a tramitação da proposta de reforma da Previdência na Câmara dos Deputados será instalada na próxima quarta-feira (10). Sem poder de tomar decisões, o colegiado foi criado com apoio do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), com a expectativa de que o texto siga para o Senado já com questões consideradas importantes pelos senadores, que pretender fazer sugestões aos deputados. Sendo assim, a matéria aprovada na Câmara poderia ser aprovada até mesmo sem alterações pelo Senado. No entanto, poucos dias da instalação o presidente da comissão, senador Otto Alencar (PSD-BA), negou, em entrevista à Agência Brasil, que os senadores tenham a intenção de fazer sugestões aos deputados. “Não haverá nenhuma interferência nas decisões da Câmara, que tem toda a autonomia”, afirmou Otto. O senador declarou ainda que nada será sugerido aos deputados. Para ele, a intenção do colegiado é de acompanhar os debates em torno da proposta, a fim de facilitar o entendimento quando o texto chegar ao Senado.

  • Bolsonaro anuncia saída de Vélez Rodrigues da Educação e indica substituto

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    08/04/2019 - 11:44

    "Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta", disse o presidente

    O presidente Jair Bolsonaro confirmou na manhã desta segunda-feira, 8, a demissão do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, alvo de críticas dentro e fora do governo e pressões diversas. O ministro enfrentava uma crise que vem desde sua posse, com disputa interna entre grupos adversários, medidas contestadas, recuos e quase 20 exonerações. Bolsonaro informou em seu Twitter que Abraham Weintraub será o novo chefe da Pasta. “Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta. Aproveito para agradecer ao Prof. Velez pelos serviços prestados”, escreveu.

  • Governo determinará revisão geral em decretos, portarias e outras normas

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    08/04/2019 - 09:00

    Apelidado de "revogaço", o decreto deve ser publicado nos próximos dias, segundo o blog de Andréia Sadi

    O governo federal decidiu revisar todos os decretos, portarias, resoluções e outras regras federais. Segundo o blog de Andréia Sadi, no G1, a previsão do Palácio do Planalto e da equipe econômica é publicar nos próximos dias um decreto com a determinação, apelidado de "revogaço". O texto estabelecerá prazos para ministérios, órgãos federais e órgãos da administração indireta começarem o processo, com o objetivo de "desburocratizar e simplificar" a vida do governo e da população. Entre os decretos que serão revogados, estão textos que tratam de temas como regulamentação de desapropriações para fins de reforma agrária, concessão de outorgas a companhias aéreas que não existem mais e referentes a programas governamentais com prazo de execução vencido.

  • Relator da Previdência apresenta parecer sobre reforma na CCJ na terça

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Matheus Simoni

    07/04/2019 - 18:30

    Na avaliação do parlamentar, o relatório, que está quase pronto, terá entre 20 e 25 páginas

    O relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Marcelo Freitas (PSL-MG), anunciou que vai apresentar o relatório sobre a constitucionalidade da proposta de emenda à Constituição (PEC 6/19) nesta terça-feira (9). Na última quinta-feira (4), ao chegar ao Palácio do Planalto para acompanhar as reuniões do presidente Jair Bolsonaro com dirigentes de partidos políticos, Freitas afirmou que a proposta deve ser aprovada no colegiado. "Nós vamos passar na CCJ com certeza", disse. Na avaliação do parlamentar, o relatório, que está quase pronto, terá entre 20 e 25 páginas. A votação do texto deverá ocorrer na semana que vem, no dia 17 de abril. A proposta é vista como uma das principais medidas do governo para viabilizar a agenda econômica. A CCJ analisará se a proposta está em conformidade com a Constituição. Depois, o texto segue para discussão em comissão especial e, se aprovado, será votado pelo plenário. Para ser aprovada, a medida precisa de apoio de dois terços dos deputados por se tratar de Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Dessa forma, precisa ser aprovada por 308 deputados, em dois turnos de votação, para seguir para o Senado.

  • Bolsonaro tem pior avaliação entre presidentes de 1º mandato, diz Datafolha

    Foto: Antonio Cruz | Agência Brasil Foto: Antonio Cruz | Agência Brasil
    Por Kamille Martinho

    07/04/2019 - 08:00

    Bolsonaro tem pior avaliação entre presidentes de 1º mandato, diz Datafolha

    A pesquisa Datafolha divulgada hoje (7) indica que o presidente Jair Bolsonaro tem a pior avaliação entre os presidentes de primeiro mandato após três primeiros meses de governo. Segundo o instituto, 30% dos brasileiros consideram o governo de Bolsonaro ruim ou péssimo, 32% consideram ótimo ou bom (32%), 33% consideram regular e 4% dos entrevistados não souberam opinar. O instituto ouviu 2.086 pessoas com mais de 16 anos em 130 municípios nos dias 2 e 3 de abril. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Antes da posse, 65% esperavam que Bolsonaro fizesse um governo ótimo ou bom, 17%, regular, e 12%, ruim ou péssimo. Agora, a expectativa é positiva para 59%, mediana para 16% e negativa para 23%.

  • Rui diz que governo federal não honrou compromissos e deu 'calote' na Bahia

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Aline Reis e Juliana Rodrigues

    06/04/2019 - 11:00

    Apesar das críticas, governador não quis comentar as polêmicas do governo do presidente Jair Bolsonaro

    Em entrevista coletiva durante a inauguração da Avenida 29 de Março, hoje (6), o governador Rui Costa (PT) afirmou que, mesmo com o "calote" do governo federal e a baixa arrecadação, as finanças do estado permanecem em equilíbrio e as obras anunciadas são entregues. "Eu tô suprindo o calote que o governo federal está me dando. Se tem alguém que está com dificuldade de honrar seus compromissos, não é o governo da Bahia. Só dessa obra aqui e da [avenida] Gal Costa, eles devem ao estado da Bahia R$ 150 milhões, então eu não sei quem é quem. Acho que os fatos falam mais do que as versões. Do metrô, o governo federal deve R$ 180 milhões", alfinetou. Apesar das críticas, o governador não quis comentar as polêmicas mais recentes do governo do presidente Jair Bolsonaro. "Vamos falar da obra, gente, uma obra dessa, eu duvido que vocês não tenham ficado encantados", esquivou-se.

  • Moro cria plano para reduzir crimes violentos no país

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Daniel Brito

    05/04/2019 - 06:00

    A expectativa é de que o projeto seja implementado no segundo semestre deste ano em cinco cidades de médio porte do país

    O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, apresentou hoje (4) ao presidente Jair Bolsonaro um projeto que visa a redução de crimes violentos. A proposta inclui a ação integrada de forças da União, estados e municípios, a fim de diminuir as taxas de homicídio no país. A expectativa é de que o projeto seja implementado no segundo semestre deste ano em cinco cidades de médio porte do país, ainda não definidas. O plano consiste em aumentar a repressão policial de um lado e, do outro, ampliar a presença de programas sociais do governo federal. De acordo com o portal UOL, o projeto se inspirou em experiências na França que  estabelecem uma espécie de "contrato" entre os governos federal, estadual e municipal. Na repressão policial, a União poderá atuar, diz o site, no fornecimento de informações de inteligência para as policiais locais, capacitação e, eventualmente, a utilização de tropas das Força Nacional de Segurança Pública. Já na área social, planeja-se aumentar a atuação de programas sociais dos governos estaduais e federal nos municípios escolhidos.

  • Ministro diz que não houve golpe em 1964 e que livros didáticos vão mudar

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    04/04/2019 - 07:00

    Segundo Vélez, modificação faz parte do "resgate de uma história mais ampla"

    O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, disse, ontem (3), em entrevista ao jornal Valor Econômico, que serão feitas mudanças na abordagem dos livros didáticos do país em relação ao golpe militar de 1964 e à ditadura que se seguiu durante 21 anos. Para Vélez, não houve golpe, e o regime militar não foi uma ditadura. "Haverá mudanças progressivas [no conteúdo dos livros didáticos] na medida em que seja resgatada uma versão da história mais ampla", afirmou o ministro. Vélez classificou o golpe de 31 de março de 1964 como "uma decisão soberana da sociedade brasileira" e a ditadura um "regime democrático de força". "O papel do MEC é garantir a regular distribuição do livro didático e preparar o livro didático de forma tal que as crianças possam ter a ideia verídica, real, do que foi a sua história", afirmou.

  • Senado deve votar PEC do Orçamento hoje

    Foto: Marcos Oliveira | Agência Senado Foto: Marcos Oliveira | Agência Senado
    Por Juliana Rodrigues

    03/04/2019 - 08:00

    Acordo costurado ontem junto ao governo prevê mudanças no texto aprovado pela Câmara

    O Senado deve votar hoje (3) a proposta de emenda à Constituição que estabelece a obrigatoriedade de o governo pagar as emendas parlamentares de bancada previstas no Orçamento. O projeto, aprovado pela Câmara de Deputados em votação-relâmpago na semana passada, é o primeiro item da pauta do plenário nesta quarta. Antes, porém, o texto será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Após um acordo costurado ontem (2) por parlamentares junto ao governo, os senadores deverão modificar a redação aprovada pela Câmara. Com isso, caso o texto seja aprovado pela Câmara Alta hoje, os deputados terão que discutir a PEC novamente. O projeto aprovado pela Câmara prevê que quando a PEC entrar em vigor, no primeiro ano, o pagamento das emendas terá caráter obrigatório e valor correspondente a até 1% da Receita Corrente Líquida (RCL), enquanto nos anos seguintes a quantia será corrigida segundo a inflação. O acordo com o Senado estabelece que o aumento do percentual será feito em duas etapas: 0,8% em 2020 e 1% em 2021.

  • Empresários montam 'escritório de lobby' por aprovação da reforma da Previdência

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Almirante

    31/03/2019 - 09:00

    Iniciativa surge com a dificuldade do governo de Jair Bolsonaro em articular a aprovação da medida no Congresso

    Com a dificuldade do governo de Jair Bolsonaro em articular a reforma da Previdência no Congresso, empresários decidiram adotar medidas para garantir votos suficientes para aprovar a proposta. A estratégia começa em campanhas nas redes sociais, pela abertura de um escritório de lobby em Brasília e até por um convite para trocar informações com o Ministério da Economia. A informação é do Estadão. Formado por um grupo de executivos que desde a corrida presidencial apoia Bolsonaro e as ideias do ministro Paulo Guedes, o movimento "Brasil 200" lidera as iniciativas. A entidade reúne empresários como Flávio Rocha (Riachuelo), Luciano Hang (Havan), Sebastião Bomfim (Centauro) e João Apolinário (Polishop). Segundo o presidente do grupo, Gabriel Rocha Kanner, a Secretaria da Previdência ofereceu um espaço para que o grupo participe da elaboração de ajustes à proposta. A ideia é se aliar com o governo para troca de informações. Procurado, o Ministério da Economia negou a concessão do espaço físico, mas confirmou a parceria para permuta em dados.