BUSCA PELA CATEGORIA "Política"

  • Comissão pode aprovar Previdência na próxima semana, diz Maia

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Por Catarina Lopes

    17/06/2019 - 16:46

    Segundo ele, o posicionamento de Guedes teve efeito positivo

    O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), disse hoje (17) que a reforma da Previdência pode ser aprovada pela comissão até o próximo dia 26. Segundo Maia, a crítica do ministro da Economia, Paulo Guedes, teve um efeito positivo. Guedes disse que as alterações propostas no parecer do relator da reforma, Samuel Moreira, podiam "abortar" a reforma. De acordo com Maia, isso uniu o Parlamento. "Nos deu chance de estar mais próximos dos governadores e prefeitos. Tem crises ou críticas que vêm para bem. Essa é uma delas", apontou. "Fortaleceu a certeza de que a Câmara e o Senado podem ter neste momento o papel de protagonista que nunca tiveram nos últimos 20 anos”, disse o presidente da Câmara.

  • Editor do Intercept Brasil ironiza Moro por vazamentos: 'Nós agora devolvemos

    Foto: Alice Vergueiro | Abraji Foto: Alice Vergueiro | Abraji
    Por Matheus Simoni e Alexandre Galvão

    17/06/2019 - 13:00

    'Sobre isso acabar ou não com a Lava Jato, o papel do jornalista é divulgar informação verídica. Quem cometeu irregularidades durante a Lava Jato não fomos nós', afirmou Leandro Demori

    Editor executivo do site Intercept Brasil, Leandro Demori comentou a fala do ministro da Justiça e ex-juiz federal Sérgio Moro por vazamentos na Operação Lava Jato que envolviam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Durante entrevista à Mário Kertész hoje (17), durante o Jornal da Metrópole no Ar da Rádio Metrópole, o jornalista apontou que o próprio ex-magistrado já havia declarado que conteúdos obtidos de forma ilegal poderiam valer como prova por conta da relevância do conteúdo. A declaração foi em abril deste ano, durante o programa Conversa com Bial da Rede Globo, sobre a ilegalidade do grampo que ele, como juiz, cometeu em 2016, quando interceptou uma conversa da então presidente Dilma Rousseff com o ex-presidente Lula para nomeá-lo ministro da Casa Civil. Naquele caso, Moro ressaltou que valia o conteúdo da conversa e não o meio como foi obtida, dada a relevância do interesse público sobre o diálogo. "Ninguém nunca se importou. São dois pesos e duas medidas. Poucos meses atrás, o Moro, no Pedro Bial, falou que a divulgação da Dilma e do Lula. O ex-juiz no programa de Bial falou: 'Não importa se poderia ser gravado ou não, importava o conteúdo'. Nós agora devolvemos: não importa como foi gravado, mas sim o conteúdo", ironizou Demori. Ainda de acordo com ele, é necessário que os leitores e telespectadores saibam da importância de se preservar a fonte anônima que garantiu que o conteúdo fosse publicado. "As pessoas têm que saber que sem a fonte anônima, muita coisa não sairia. Sobre isso acabar ou não com a Lava Jato, o papel do jornalista é divulgar informação verídica. Quem cometeu irregularidades durante a Lava Jato não fomos nós, foram eventualmente procuradores e Moro. Isso causar danos ao bom trabalho da Lava Jato, a responsabilidade é única e exclusivamente de quem cometeu ilegalidades em conversas secretas", declarou o editor.

  • Moro diz não reconhecer autenticidade de novas mensagens vazadas

    Foto: Valter Campanato | Agência Brasil Foto: Valter Campanato | Agência Brasil
    Por Daniel Brito

    15/06/2019 - 09:00

    Nas mensagens, ele aparece zombando de Lula e seus advogados enquanto fornecia instruções privadas para a Lava Jato sobre como se portar publicamente e controlar a narrativa dos veículos de comunicação

    Após a nova divulgação de mensagens trocadas com procuradores da força-tarefa da Lava Jato feita ontem pelo site The Intercept Brasil, o ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou hoje (15), por meio de nota, que não reconhece a autenticidade do conteúdo. No entanto, ele não demonstra certeza se o conteúdo foi ou não adulterado. "O Ministro da Justiça e Segurança Pública não reconhece a autenticidade e não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas. Reitera-se a necessidade de que o suposto material, obtido de maneira criminosa, seja apresentado a autoridade independente para que sua integridade seja certificada", afirmou a assessoria. Nas mensagens, Moro aparece zombando de Lula e seus advogados enquanto fornecia instruções privadas para a Lava Jato sobre como se portar publicamente e controlar a narrativa dos veículos de comunicação. "Talvez vocês devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele. Por que a Defesa já fez o showzinho dela", escreveu. Confira a íntegra da reportagem do Intercept Brasil.

  • Vaza Jato: diálogos mostram Moro instruindo procuradores e questionando defesa de Lula: 'Showzinho'

    Foto: Lula Marques Foto: Lula Marques
    Por Matheus Simoni

    14/06/2019 - 22:30

    Na conversa, divulgada de forma exclusiva pelo site Intercept Brasil, Moro aparece fornecendo instruções privadas para a Lava Jato

    A sexta fase da divulgação de mensagens trocadas entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, e procuradores da força-tarefa da Lava Jato mostraram o magistrado discutindo alternativas e instruindo os membros do Ministério Público Federal (MPF) para abordar os diversos pontos da audiência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Foi o primeiro encontro entre o petista e o então representante da Justiça Federal em Curitiba. Na conversa, divulgada de forma exclusiva pelo site Intercept Brasil, Moro aparece zombando Lula e de seus advogados enquanto fornecia instruções privadas para a Lava Jato sobre como se portar publicamente e controlar a narrativa dos veículos de comunicação. "Talvez vocês devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele. Por que a Defesa já fez o showzinho dela", escreveu o ministro aos procuradores. O episódio ocorreu em 10 de maio de 2017, quando Moro já presidia um processo criminal contra o ex-presidente no caso do “apartamento triplex do Guarujá”. O ex-juiz conversa com o então procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, que discutiu com outros procuradores a melhor forma de apontar as contradições de Lula no depoimento. Deltan Dallagnol, que também faz parte da força-tarefa da Lava Jato, também é envolvido na troca de mensagens. "Caros, mantenham avaliando a repercussão de hora em hora, sempre que possível, em especial verificando se está sendo positiva ou negativa e se a mídia está explorando as contradições e evasivas. As razões para eventual manifestação são: a) contrabalancear as manifestações da defesa. Vejo com normalidade fazer isso. Nos outros casos não houve isso. b) tirar um pouco o foco do juiz que foi capa das revistas de modo inadequado", escreve Deltan. Confira a íntegra da reportagem do Intercept Brasil.

  • Moro diz que pode ter cometido um 'descuido formal'

    Foto: Isaac Amorim | AG.MJ Foto: Isaac Amorim | AG.MJ
    Por Kamille Martinho

    14/06/2019 - 18:44

    O ministro, entretanto, afirma que não cometeu "nenhum ilícito"

    O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse hoje (14) que pode ter cometido um "descuido formal" ao trocar mensagens com membros da Força-Tarefa Lava Jato por meio de um aplicativo de mensagens. "Eu não cometi nenhum ilícito. Estou absolutamente tranquilo em relação a todos os atos que cometi enquanto juiz da Lava Jato" , disse o ministro durante apresentação do esquema de segurança da Copa América, evento que começa na noite de hoje, em São Paulo. "Eventualmente, pode ter havido algum descuido formal, mas, enfim, isso não é nenhum ilícito", disse o ministro. "Temos que entender o contexto do trabalho que havia na 13ª Vara naquela época. Atendíamos a várias questões urgentes, operações que envolviam o enfrentamento a pessoas muito poderosas envolvidas em corrupção. Então, tinha uma dinâmica de trabalho que era muito intensa", acrescentou.

  • Em entrevista, Lula diz que país ‘pariu coisa chamada Bolsonaro’

    Foto: Reprodução | Twitter Foto: Reprodução | Twitter
    Por Juliana Rodrigues

    14/06/2019 - 08:30

    Petista recebeu a emissora TVT e os jornalistas Juca Kfouri José Trajano na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba

    O ex-presidente Lula (PT) fez duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) em entrevista concedida à emissora TVT e aos jornalistas Juca Kfouri, blogueiro do UOL, e José Trajano. A conversa ocorreu na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde ele está preso desde abril do ano passado. Na ocasião, Lula disse que, como resultado de sua ausência nas duas últimas eleições, “o país pariu essa coisa chamada Bolsonaro”. Ele também questionou o ataque a faca que vitimou o então candidato em Juiz de Fora (MG). Após o episódio, Bolsonaro esteve internado e se submeteu a duas cirurgias. Assista à íntegra da entrevista: 

  • Aposentadoria especial: 25 deputados baianos não abrem mão de plano que paga até R$ 33 mil

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Alexandre Galvão

    13/06/2019 - 19:00

    De acordo com a Câmara dos Deputados, a previdência dos congressistas exige, para a concessão da aposentadoria, 35 anos de contribuição e 60 anos de idade, sem fazer distinção entre homens e mulheres

    Em meio às discussões da reforma da Previdência, que pode ter fortes impactos para os mais necessitados, como os beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC), 25 deputados federais da Bahia, segundo O Antagonista, não abriram mão da aposentadoria especial. De acordo com a Câmara dos Deputados, a previdência dos congressistas exige, para a concessão da aposentadoria, 35 anos de contribuição e 60 anos de idade, sem fazer distinção entre homens e mulheres. Não é possível reduzir a idade de aposentadoria com o tempo excedente de contribuição. Os requisitos de idade mínima e de tempo de contribuição devem ser preenchidos isoladamente. A lei prevê aposentadoria com proventos proporcionais ao tempo de mandato.  Se a contribuição ao INSS somar 23 anos e a contribuição ao PSSC for de 12 anos, por exemplo, a aposentadoria será concedida, mas no percentual de 12/35 do subsídio parlamentar, desde que preenchidos os requisitos de 35 anos de contribuição e 60 anos de idade. Se a contribuição ao PSSC for de apenas um ano, a aposentadoria será de 1/35 do subsídio parlamentar, ou seja, R$ 964,65, valor inferior ao teto da aposentadoria do INSS. Nos valores atuais, só compensa ao parlamentar optar pela aposentadoria do PSSC se ficar pelo menos cinco anos exercendo o mandato e contribuindo para o plano. Veja a lista dos baianos: Claudio Cajado, José Rocha, Nelson Pelegrino, Sérgio Brito, Alice Portugal, Daniel Almeida, Josias Gomes, João Carlos Bacelar, Lídice da Mata, Márcio Marinho, Afonso Florence, Félix Mendonça Jr., Arthur Maia, Valmir Assunção, Elmar Nascimento, Mário Negromonte Jr, Paulo Azi, Ronaldo Carletto, Uldurico Júnior, Otto Alencar Filho, Leur Lomanto Júnior, Marcelo Nilo, Igor Kannário, Alex Santana, Adolfo Viana.

  • Congresso aprova crédito extra ao governo em troca de desbloqueio de verbas

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    Por Juliana Almirante

    12/06/2019 - 07:00

    Sem aprovação, dinheiro destinado a programas sociais como o BPC acabaria no fim deste mês

    O Congresso Nacional aprovou ontem (11) uma autorização especial para que o governo do presidente Jair Bolsonaro pague R$ 248,9 bilhões em benefícios sociais por meio de empréstimos. Sem a permissão do Congresso para o crédito extra, o governo tinha risco de suspender pagamentos a beneficiários do BPC, concedido a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. O dinheiro autorizado para essas despesas acabaria no fim deste mês. A votação só foi possível depois de o governo decidir liberar R$ 1 bilhão em recursos para o Minha Casa Minha Vida, R$ 330 milhões para bolsas de pesquisa científica; R$ 550 milhões para obras da transposição do rio São Francisco e mais R$ 1 bilhão para o custeio de universidades federais. Com o acordo, a oposição não obstruiu os trabalhos, embora tenha apoiado, na Comissão Mista de Orçamento (CMO), o voto em separado do senador Angelo Coronel (PSD-BA). O parlamentar baiano havia defendido que não seriam necessários créditos de R$ 248,9 bilhões, mas de R$ 146,7 bilhões, como informou a própria equipe econômica em audiência pública na CMO. “Estamos dando um cheque em branco para o governo”, alertou o senador. A permissão foi aprovada no Congresso por 450 deputados e 61 senadores. A liberação do crédito significa uma exceção à chamada  “regra de ouro”, que determina que o governo não pode emitir títulos e aumentar a dívida para pagar despesas cotidianas, como pagamento de salários ou programas contínuos. De maneira simplificada, é como pegar dinheiro no banco para pagar o aluguel de um imóvel.

  • Bolsonaro: 'Confiamos irrestritamente no ministro Moro'

    Foto: José Cruz | Agência Brasil Foto: José Cruz | Agência Brasil
    Por Juliana Almirante

    11/06/2019 - 08:00

    Publicações apontam que o ex-juiz federal orientou ações e cobrou novas operações dos procuradores da Lava Jato

    O presidente Jair Bolsonaro manifestou confiança no ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, após o vazamento de mensagens relacionadas à operação Lava Jato. A mensagem foi passada à imprensa pelo Secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, ontem (10). Wajngarten afirmou que Bolsonaro foi informado sobre o vazamento no domingo (9) e ainda voltou a conversar sobre o caso com o presidente no início da manhã de ontem. O secretário declarou que, nos dois momentos, Bolsonaro repetiu a afirmação: "Nós confiamos irrestritamente no ministro Moro". O site The Intercept Brasil publicou matérias com mensagens atribuídas a Moro e a procuradores da Lava Jato. As publicações apontam que o ex-juiz federal orientou ações e cobrou novas operações dos procuradores, por meio do aplicativo de mensagens Telegram.

  • Deputados da oposição querem convocar Moro para explicar mensagens

    Foto: José Cruz | Agência Brasil Foto: José Cruz | Agência Brasil
    Por Catarina Lopes

    10/06/2019 - 17:00

    Pedidos devem ser aprovados pela Câmara dos Deputados e Comissão de Constituição e Justiça

    Deputados de oposição pretendem apresentar requerimentos para convocar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que ele explique o conteúdo de supostas mensagens trocadas por ele, enquanto juiz federal, e integrantes do Ministério Público Federal, como o procurador da República Deltan Dallagnol. O líder do PSOL, Ivan Valente, disse que um dos requerimentos é para que Moro preste esclarecimentos ao plenário da Câmara e outro para que ele se apresente à Comissão de Constituição e Justiça. Para isso, os pedidos devem ser aprovados nas duas instâncias. O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta, afirmou que o conteúdo divulgado "demonstra de maneira inequívoca uma relação de promiscuidade que ultrapassa todos os limites éticos e legais que envolvem e definem a relação de integrantes do poder judiciário e integrantes do Ministério Público".

  • Rui e governadores do NE assinam nova carta contra retirada de estados da reforma

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Almirante

    07/06/2019 - 08:00

    No documento, ainda voltaram a defender mudanças na proposta da reforma da Previdência capitaneada pelo governo Bolsonaro

    O governador Rui Costa e os outros oito governadores do Nordeste assinaram uma carta divulgada na noite de ontem (6) em que voltam a defender mudanças na proposta da reforma da Previdência capitaneada pelo governo Bolsonaro e também pedem que os estados não sejam retirados da matéria. Outro documento sobre a reforma havia sido divulgado pelos governadores em março, em que apontavam as mesmas questões, mas ainda não era discutida a retirada dos estados da proposta. Eles apontam pontos que acreditam que devem ser revistos, como as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e na aposentadoria dos trabalhadores rurais, além da desconstitucionalização e o sistema de capitalização. "Entendemos, além disso, que a retirada dos estados da reforma e tratamentos diferenciados para outras categorias profissionais representam o abandono da questão previdenciária à própria sorte, como se o problema não fosse de todo o Brasil e de todos os brasileiros. No entanto, há consenso em outros tópicos, e acreditamos na intenção, amplamente compartilhada, de se encontrar o melhor caminho", afirma a carta transmitida ontem. Na manhã de ontem, uma outra carta foi divulgada por parte dos governadores do país, em apoio à manutenção de estados na reforma da previdência. No entanto, segundo a Secretaria de Comunicação do governo baiano, os governadores do Nordeste não assinaram esse documento. Conforme a coluna Painel da Folha, o "racha" ocorreu por divergência com os gestores do Nordeste, que avaliam que, no afã de liderar, João Doria (SP) e Ibaneis Rocha (DF) cometem erros “de principiante”.

  • Audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara terá como tema barragem de rejeitos da Bamin

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    07/06/2019 - 07:00

    A fim de ouvir os representantes da Bahia Mineração (Bamin), moradores da região municípios de Caetité, Guanambi, Pindaí e representantes da Agência Nacional de Mineração (ANM), a Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados aprovou um requerimento, proposto pelo deputado federal Charles Fernandes (PSD), para a realização de uma audiência pública que irá debater a construção de uma barragem de rejeitos entre os municípios citados. Em entrevista ao site do partido, Charles externou sua preocupação com a construção da barragem. “As empresas já têm novas tecnologias para o processamento do minério. Eles (Bamin) continuam insistindo em construir barragem. Então, com as novas tecnologias que existem hoje, por que a Bahia Mineração insistem em construir e processar da forma que eles estão querendo. O que nós estamos querendo, é que a Bahia Mineração repense esse projeto para que possa ter um tratamento ou processamento desse minério a seco”, disse. Após aprovar o requerimento, a comissão de Minas e Energia irá marcar a data da audiência, cabendo à presidência marcar a data da realização da mesma, que deve ocorrer em Brasília. Na quinta-feira (06), cerca de sete mil pessoas protestaram em Guanambi contra a construção da barragem. A Bamin se manifestou alegando que o empreendimento é seguro.

  • Prefeito de Brumado é multado em R$ 21 mil pelo TCM por irregularidades em licitações

    Foto: Luciano Santos l 97 News Foto: Luciano Santos l 97 News
    06/06/2019 - 17:00

    Relator do processo na Corte, o conselheiro substituto Alex Aleluia determinou também a formulação de representação ao Ministério Público da Bahia (MP-BA)

    O prefeito de Brumado, Eduardo Vasconcelos (PSB), foi multado em R$ 21 mil pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) nesta quinta-feira (06), por irregularidades em licitações realizadas entre 2017 e 2018. Cabe recurso da decisão. Relator do processo na Corte, o conselheiro substituto Alex Aleluia determinou também a formulação de representação ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) para que seja apurada a prática de ato de improbidade administrativa. O tribunal ainda ordenou a rescisão ou não prorrogação dos contratos investigados, caso ainda estejam em vigor. Conforme a denúncia, teria ocorrido fracionamento de objeto para realização da licitação na modalidade carta convite, com o objetivo de favorecer empresas do secretário de Infraestrutura do município, Renato Mendonça.

  • Ex-governador Nilo Coelho pode se filiar ao DEM; convite foi feito por ACM Neto

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    06/06/2019 - 08:00

    O ex-governador Nilo Coelho, atualmente no PSDB, pode deixar a sigla e migrar para o DEM, a convite do prefeito de Salvador, ACM Neto. Em vídeo publicado na última segunda-feira (03), o prefeito convidou Coelho à filiar-se ao DEM, pois acredita Nilo Coelho deve assumir o comando do partido na organização das eleições municipais do ano que vem na região Sudoeste. Para especuladores, o fato de gravar um vídeo ao lado de ACM Neto e do deputado federal Arthur Maia, supõe o desejo de Nilo Coelho em buscar uma nova agremiação. Além disso, ele estaria manifestando nos bastidores  grande insatisfação com o PSDB da Bahia.

  • Lula já informou a seus advogados que não aceitará usar tornozeleira, diz coluna

    Foto: Ricardo Stuckert Foto: Ricardo Stuckert
    Por Juliana Rodrigues

    06/06/2019 - 07:00

    Embora haja um parecer favorável do MPF, a passagem de Lula para o semiaberto ainda não é uma certeza, segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha

    Com a possibilidade de passar para o regime semiaberto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já avisou aos advogados que não aceitará usar tornozeleira eletrônica por não ser pombo-correio, segundo a coluna de Mônica Bergamo, na Folha. Embora haja um parecer favorável do Ministério Público Federal (MPF), divulgado na terça (4), a passagem de Lula para o semiaberto não é vista como uma certeza. É possível que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) não tome uma decisão. Nesse caso, a análise do pleito passaria para as mãos da juíza Carolina Lebbos, de Curitiba, que tem recusado pedidos feitos por Lula. Já em caso de concessão da progressão de regime por parte do STJ, será necessário decidir o local onde a pena será cumprida. A Justiça pode determinar que ele fique em Curitiba. Caso volte para São Bernardo do Campo, o próprio Lula ainda não sabe se optaria por ficar no apartamento em que vivia com a família.

  • Após 'pacto', Planalto volta a apostar na aprovação da Previdência no primeiro semestre

    Foto: Luis Macedo | Câmara dos Deputados Foto: Luis Macedo | Câmara dos Deputados
    Por Juliana Rodrigues

    03/06/2019 - 09:30

    No entanto, deputados afirmaram ao blog de Andréia Sadi, no G1, que a reforma da Previdência só será aprovada após a votação da PEC do orçamento impositivo

    Após o encontro entre os chefes dos três poderes no qual foi discutida a criação de um "pacto pelo Brasil", o Palácio do Planalto voltou a apostar que a reforma da Previdência poderá ser aprovada pela Câmara dos Deputados ainda no primeiro semestre deste ano. Um ministro do governo afirmou ao blog de Andréia Sadi, no G1, que houve uma "mudança de ambiente" para a votação ocorrer até o recesso parlamentar, em julho. No entanto, segundo deputados, a reforma da Previdência só será aprovada após a Câmara concluir a votação da proposta de emenda à Constituição que discute o orçamento impositivo. A PEC, que já havia sido aprovada pelos deputados, foi modificada no Senado, o que fez com que ela voltasse para nova análise na Câmara. A proposta obriga o governo federal a pagar as emendas parlamentares de bancada previstas no Orçamento.

  • Bolsonaro perde mais apoio entre eleitor de 2º turno e mulheres, diz pesquisa

    Foto: Valter Campanato | Agência Brasil Foto: Valter Campanato | Agência Brasil
    Por Juliana Almirante

    02/06/2019 - 07:00

    Desaprovação da atual administração tem como eixo central a persistência da crise econômica

    Um levantamento do instituto Ideia Big Data mostra que o desembarque do "bolsonarismo" é mais significativo em parte expressiva do eleitorado que votou nele apenas no segundo turno da eleição passada. De acordo com o Estadão, a pesquisa realizou 1.660 entrevistas, em todo o país, entre os dias 3 e 6 de maio. A maior parte dos eleitores que optaram por Bolsonaro e hoje rejeita o governo é formada por mulheres com idade entre 25 e 40 anos, idas classes B e C, não evangélicas e que vivem em cidades com mais de 200 mil habitantes nas regiões Norte e Nordeste. Ainda conforme a pesquisa, a desaprovação da atual administração tem como eixo central a persistência da crise econômica e do desemprego.

  • 'Estou comendo o pão que o diabo amassou', diz Bolsonaro

    Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil
    Por Kamille Martinho

    31/05/2019 - 18:00

    A afirmação foi feita em almoço com caminhoneiros em um restaurante de beira de estrada em Anápolis (GO)

    O presidente Jair Bolsonaro disse estar “comendo o pão que o diabo amassou”, mas que só muda se cassarem seu mandato. A afirmação foi feita em almoço com caminhoneiros em um restaurante de beira de estrada em Anápolis (GO). “Eu estou comendo o pão que o diabo amassou. Não loteamos ministérios, bancos oficiais e estatais. (...) Só muda se alguém cassar o meu mandato”, afirmou o presidente a um caminhoneiro que disse acreditar que falta boa vontade em Brasília. Rodeado por cerca de 30 caminhoneiros, Bolsonaro incentivou o grupo a dar entrada no pedido de porte de arma de fogo, se comprometeu a acabar com os radares móveis. Ele ainda disse que pretende aumentar a validade da carteira de motorista para dez anos e passar o limite de pontos para 40. “Foi aleatória (a ida para o restaurante). Foi feito levantamento de ontem para hoje de onde teria mais caminhões neste horário, eu estava vindo de Goiânia e paramos aqui para conversar com os caminhoneiros”, explicou o presidente sobre o encontro. Ao final do encontro, Bolsonaro disse que a conversa foi “bastante cordial”.

  • 'É muito bom termos a Justiça ao nosso lado', diz Bolsonaro em elogio a Toffoli

    Foto: Marcos Corrêa | PR Foto: Marcos Corrêa | PR
    Por Juliana Rodrigues

    31/05/2019 - 08:00

    Presidente do STF esteve em café da manhã com o chefe do Executivo nacional

    Em meio a críticas pela sua aproximação com o Executivo, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), José Dias Toffoli, recebeu ontem (30) novos elogios do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Durante café da manhã com a bancada feminina, do qual o magistrado participou, Bolsonaro agradeceu sua presença, disse que é "muito bom" ter a Justiça "do lado certo" e ressaltou que Toffoli tem sido atencioso desde o início de seu mandato. "É muito bom nós termos aqui a Justiça ao nosso lado, ao lado do que é certo, ao lado do que é razoável e ao lado do que é bom para o nosso Brasil", afirmou. Na terça (28), Bolsonaro, Toffoli e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Davi Alcolumbre (DEM-AP), se reuniram para firmar um pacto "pelo Brasil". O magistrado foi alvo de críticas por juízes e partidos, que afirmam que o STF põe sua independência em risco ao se associar ao Executivo. Poucas horas após o encontro de ontem, Toffoli anunciou o adiamento de julgamentos sobre descriminalização da maconha e criminalização da homofobia.

  • Governo promete R$ 10 mi por semestre a deputados que apoiarem a reforma

    Foto: Marcos Corrêa | PR Foto: Marcos Corrêa | PR
    Por Juliana Rodrigues

    29/05/2019 - 12:30

    Parlamentares informaram à Folha, em condição de anonimato, que o Planalto pretende liberar todo o dinheiro até 2020

    O governo do presidente Jair Bolsonaro fez uma nova proposta de direcionamento de verbas do Orçamento em troca de apoio à reforma da Previdência, segundo deputados ouvidos pela Folha em condição de anonimato. Membros de partidos do Centrão afirmam que a oferta agora é de R$ 10 milhões extras por semestre, para cada deputado fiel, totalizando um acréscimo de R$ 40 milhões até 2020 na verba que os congressistas podem manejar no Orçamento. Nesta semana, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, iniciou tentativas de acordo com líderes partidários. A promessa de liberar todo o dinheiro até 2020, ano das eleições municipais, tem o objetivo de atrair mais deputados. Para aprovar a reforma na Câmara, o governo precisa de 308 dos 513 votos.