BUSCA PELA CATEGORIA "Política"

  • 'Objetivo é garantir 80% de votos válidos para Haddad na Bahia', diz Rui

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Rodrigo Daniel Silva

    18/10/2018 - 10:00

    Governador ressaltou que eventual governo de Haddad "não será do PT, mas de todas as forças democráticas" 

    O governador reeleito Rui Costa (PT) disse, ontem, que quer ampliar a votação do presidenciável Fernando Haddad (PT) no estado. No primeiro turno, o candidato à Presidência teve 60% dos votos válidos. "Nosso objetivo é garantir 80% de votos válidos para Haddad na Bahia. [...] O governo de Haddad não será do PT, mas de todas as forças democráticas capazes de fazer o Brasil retomar o caminho do desenvolvimento, com respeito à convivência de todos os seus cidadãos", afirmou, durante reuniões com liderenças no interior do estado. Ao pedir votos para Haddad, Rui afirmou ainda que a eleição do aliado vai "garantir a continuidade e ampliação de investimentos importantes no sul do estado, como a conclusão da FIOL, a construção do Porto Sul e a duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna [BR-415], além da recuperação da lavoura cacaueira, responsável pela geração de milhares de empregos”.

  • Empresários compram pacotes de mensagens contra o PT pelo WhatsApp

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Marina Hortélio

    18/10/2018 - 08:00

    De acordo com a Folha de São Paulo, cada contrato chega a R$ 12 milhões

    Em ação ilegal, empresas que apoiam o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) compram pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp. O grupo prepara uma grande operação na semana anterior ao segundo turno. De acordo com a Folha de São Paulo, cada contrato chega a R$ 12 milhões e a Havan está entre as empresas que adquiriram o serviço. A prática é considerada ilegal por se tratar de doação não declarada à campanha e por ser realizada por empresas. O serviço, que é chamado "disparo em massa", usa como base a lista de usuários do próprio candidato ou dados vendidos por agências de estratégia digital. Prática que também é ilegal, pois a legislação eleitoral proíbe compra de base de terceiros. Entre as companhias que prestam o serviços estão a Quickmobile, a Yacows, Croc Services e SMS Market.

  • Bolsonaro admite que pode faltar a debates por 'estratégia'

    Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil
    Por Marina Hortélio

    17/10/2018 - 20:00

    O capitão reformado ainda afirmou que não faz "papel de vítima"

    Fora dos debates da corrida presidencial desde que foi atacado com uma facada, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) disse hoje (17) que vai aguardar a avaliação dos médicos, marcada para amanhã (18), para decidir se vai participar dos encontros com o presidenciável do PT, Fernando Haddad, no segundo turno. Entretanto, Bolsonaro admitiu que pode deixar de comparecer a debates, mesmo se for liberado pela equipe médica. "Tudo na política é estratégia", explicou. O capitão reformado ainda afirmou que não faz "papel de vítima". "Perdi dois litros de sangue, cortou o intestino grosso, fezes se espalharam por todo meu organismo. Não foi uma brincadeira. Eu perdi 15 quilos, foi um atentado", declarou Bolsonaro. O presidenciável disse ainda que uma eventual ausência pode ser uma decisão de campanha. "Tudo na política é estratégia. O Lula não compareceu ao debate, o último da Rede Globo, em 2006 se não me engano. Entra tudo no meio, eu decido em equipe", disse.

  • Haddad admite que esperava apoio maior de FHC

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Lara Ferreira

    17/10/2018 - 16:00

    Declaração veio após afirmação do tucano de que porta entre os dois estaria 'enferrujada'

    Após declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) de que a porta entre Fernando Haddad (PT) e ele está agora com a fechadura "enferrujada", o presidenciável admitiu que não recebeu o apoio que gostaria do tucano. "Quando ele falou que tinha uma porta eu ouvi isso com alguma esperança. Só soube que ela estava enferrujada hoje, então ele está aos poucos contando toda a história", afirmou Haddad durante coletiva de imprensa. "A vida é assim. A história às vezes cobra os nossos posicionamentos. Nem sempre avisa", disse o petista, referenciando a derrota do PSDB logo no primeiro turno da disputa presidencial. "O Alckmin foi traído pelo partido ainda no primeiro turno". Haddad repetiu que procurou organizar uma frente com os "democratas" contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) e que recebeu o apoio individual de lideranças do PSDB. "Nem todos vão atuar da maneira como eu gostaria e como eu sugeriria para uma pessoa com a formação que ele (FHC) tem".

  • Contra Bolsonaro, PT veicula na TV depoimento de militante torturada por Ustra

    Foto: Wilson Dias | Agência Brasil Foto: Wilson Dias | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    17/10/2018 - 11:45

    Programa da campanha petista apresenta coronel como o "maior ídolo" do adversário

    A propaganda eleitoral televisiva do PT veiculou ontem (16) um depoimento de uma militante que foi torturada pelo coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, chefe do DOI-Codi paulista entre 1970 e 1974, período mais repressivo da ditadura militar. Ustra foi homenageado por Jair Bolsonaro (PSL) durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. No programa do PT, que apresenta o coronel como o “torturador mais sanguinário do Brasil” e “maior ídolo de Bolsonaro”, Maria Amélia de Almeida Telles, conhecida como Amelinha, conta detalhes da tortura que sofreu. Além disso, o programa também destaca os recentes casos de agressões atribuídos a apoiadores do candidato do PSL.

  • Cid Gomes quer proibir Bolsonaro de usar vídeos com ataques ao PT

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Rodrigo Daniel Silva

    17/10/2018 - 09:00

    O pedido de Cid Gomes no TSE será julgado pelo juiz auxiliar Luis Felipe Salomão

    O senador eleito Cid Gomes (PDT) ingressou com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral para proibir que a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) use, no horário eleitoral, um vídeo com seus ataques ao PT. Em um evento da campanha de Fernando Haddad, o irmão de Ciro Gomes (PDT) disse que o PT vai “perder feio” as eleições e a chamou a militância petista de "babaca". O pedido de Cid Gomes no TSE será julgado pelo juiz auxiliar Luis Felipe Salomão.

  • Haddad escreve carta para evangélicos e diz que mentiras são semeadas contra PT

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Rodrigo Daniel Silva

    17/10/2018 - 08:00

    Documento será distribuído hoje (17) em encontro de Haddad com líderes evangélicos em São Paulo

    O presidenciável Fernando Haddad escreveu uma carta para os evangélicos na qual diz que "medo e a mentira" têm sido "semeados" contra o PT. "Comunismo, ideologia de gênero, aborto, incesto, fechamento de Igrejas, perseguição aos fiéis, proibição do culto: tudo o que atribuem ao meu futuro governo foi usado antes contra Lula e Dilma", afirmou. O documento será distribuído hoje (17) em encontro de Haddad com líderes evangélicos em São Paulo. Confira a íntegra da carta: Quero me dirigir diretamente ao povo evangélico neste momento tão decisivo da vida de nosso Brasil, cujo futuro será decidido democraticamente nas urnas do próximo dia 28. Para estar no segundo turno, tive que vencer uma agressiva campanha baseada em mentiras, preconceitos e especulações massivamente espalhadas pelo Whatsapp e outras redes sociais, contra mim e minha família. “Estas seis coisas o Senhor odeia, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.” (Provérbios 6:16-19). Desde as eleições de 1989, o medo e a mentira são semeados entre o povo cristão contra candidatos do PT. Comunismo, ideologia de gênero, aborto, incesto, fechamento de Igrejas, perseguição aos fiéis, proibição do culto: tudo o que atribuem ao meu futuro governo foi usado antes contra Lula e Dilma.

    As peças veiculadas, de baixo nível, agridem a inteligência das pessoas de boa vontade, que não se movem pelo ódio e pela descrença. “Ó Deus, a quem louvo, não fiques indiferente, pois homens ímpios e falsos, dizem calúnias contra mim, e falam mentiras a meu respeito.” (Salmos 109:1-2). Que provas tenho a oferecer para desmentir quem usa meios tão baixos para enganar, fraudar a vontade popular? Minha vida, em primeiro lugar: sou cristão, venho de família religiosa desde meu avô, que trouxe sua fé do Líbano quando migrou para o Brasil para construir vida melhor para sua família. Sou casado há 30 anos com a mesma mulher, Ana Estela, minha companheira de jornada que criou comigo dois filhos, nos valores que aprendemos com nossos pais. Sou professor, passaram por minhas mãos milhares de jovens com os quais aprendi e ensinei meus sonhos de um Brasil digno e soberano. Minha vida pública, em segundo lugar: minha atuação, como Ministro da Educação e como Prefeito de São Paulo, fala por mim. Abri as portas da educação para os mais pobres, das creches – nas quais o governo federal passou a investir pesadamente em minha gestão – à Universidade. Antes do Pro-Uni, do FIES sem fiador, do ENEM, da criação de vagas em instituições públicas e gratuitas de ensino e das cotas raciais, o ensino superiorera inacessível para jovens negros, trabalhadores e da periferia. Busquei humanizar a metrópole que me foi confiada, buscando inovações para ampliar os direitos, à moradia, à mobilidade urbana, ao meio ambiente sadio, à convivência fraterna. Sempre contei, no MEC ou na Prefeitura de São Paulo, com a parceria com todas as denominações religiosas. Tratei a todas de forma igualitária. Os governos Lula e Dilma, bem como nossos governos estaduais e municipais, sempre reconheceram dois pilares do Estado democrático: é laico e, como tal, não privilegia nem discrimina ninguém em razão de sua religiosidade. Nenhuma Igreja foi perseguida, o direito de culto sempre foi assegurado, a liberdade de expressão também. Nenhum dos nossos governos encaminhou ao Congresso leis inexistentes pelas quais nos atacam: a legalização do aborto, o kit gay, a taxação de templos, a proibição de culto público, a escolha de sexo pelas crianças e outras propostas, pelas quais nos acusam desde 1989, nunca foram efetivadas em tantos anos de governo. Também não constam de meu programa de governo. “Acautelai-vos quanto aos falsos profetas. Eles se aproximam de vós disfarçados de ovelhas, mas no seu íntimo são como lobos devoradores. Pelos seus frutos os conhecereis. É possível alguém colher uvas de um espinheiro ou figos das ervas daninhas? Assim sendo, toda árvore boa produz bons frutos, mas a árvore ruim dá frutos ruins.” (Mateus 7:15-17). Os frutos que quero legar ao Brasil como Presidente são a justiça e a paz. Emprego para milhões de desempregados e desempregadas poderem sustentar com dignidade suas famílias. Salário justo, com direitos que foram eliminados pelo atual governo e que serão trazidos de volta com a anulação da reforma trabalhista, e o direito à aposentadoria, ameaçado pela reforma da Previdência apoiada pelo atual governo e meu adversário. “Aprendei a fazer o bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas.” (Isaías 1:17). Quero governar o Brasil com diálogo e democracia, com a participação de todos e todas que se disponham a doar de seu tempo e talentos na construção do bem comum. Um governo que promova a cultura da paz, que impeça a violência, que nunca use da tortura e da guerra civil como bandeiras políticas. Que una novamente a Nação brasileira, para que volte a ser vista com esperança pelos mais pobres e com respeito pela comunidade internacional. Apresento-me, pois, diante dos irmãos e irmãs das mais variadas denominações cristãs, com a sinceridade e honestidade que sempre presidiram minha vida e meus atos. A Deus, clamo como o salmista: “guia-me com a tua verdade e ensina-me, pois tu és Deus, meu Salvador, e a minha esperança está em ti o tempo todo.” (Salmos 25:5). E a vocês, peço justiça, a justa apreciação de meus propósitos e o voto para concretizar essas intenções num governo que traga o Brasil aos caminhos da justiça, da concórdia e da paz.

    CONTINUE LENDO
  • Prefeito de Malhada é multado pelo TCM

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    16/10/2018 - 16:45

    Em seu parecer, O Ministério Público de Contas recomendou formulação de representação, por meio da Assessoria Jurídica do TCM, ao Ministério Público do Estado da Bahia, para, se assim entender, apurar a suposta prática do ato de improbidade administrativa.

    Na sessão desta terça-feira (16), o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) julgou parcialmente procedente o termo de ocorrência lavrado contra o prefeito de Malhada, Valdemar Lacerda Silva Filho, o Dezin (PMDB), por burlar o procedimento licitatório, na contratação de empresa para realização de transporte escolar. O conselheiro substituto Antônio Emanuel, relator do parecer, multou o prefeito em R$7 mil. O contrato com a empresa Result Serviços e Transportes Ltda – ME, no valor de R$ 134.800,45, apresenta diversas ressalvas, entre elas, a falta de correlação entre os serviços de transporte escolar e o atendimento de questões referentes ao Decreto Emergencial, apresentado pelo prefeito em janeiro de 2017. Em sua defesa, o gestor afirmou ter encontrado a gestão municipal deficitária e sem qualquer planejamento. A contratação sem licitação teria se dado devido ao curto prazo para o inicio do ano letivo. “Dessa forma, a administração municipal decidiu realizar dispensa para não atrapalhar o comparecimento dos alunos” – afirmou. Em seu parecer, o conselheiro substituto Antônio Emanuel afirmou que os processos administrativos decorrentes de contratações dessa natureza devem estar rigorosamente capacitados com todos os documentos que comprovem a adoção de medidas necessárias à garantia da segurança dos usuários de tais serviços, sob pena de responsabilidade. “Não foi apresentada nenhuma justificativa que se enquadrasse nas exceções previstas na norma de licitações, demonstrando que a contratação realizada pelo prefeito de Malhada encontra-se ilegal”, afirmou. Embora não haja plena comprovação de dano ao erário com base nos documentos apresentados, não foi afastada a ilegalidade da contratação mediante dispensa pelo gestor municipal de Malhada, caracterizando a burla ao procedimento licitatório. Em seu parecer, O Ministério Público de Contas recomendou formulação de representação, por meio da Assessoria Jurídica do TCM, ao Ministério Público do Estado da Bahia, para, se assim entender, apurar a suposta prática do ato de improbidade administrativa. Cabe recurso da decisão.

  • Sem debates, Haddad provoca e Bolsonaro rebate: ‘Quem conversa com poste é bêbado’

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    16/10/2018 - 16:00

    "Vamos debater frente a frente, com educação, em uma enfermaria se precisar", publicou petista, via Twitter, após candidato do PSL recusar ir a confrontos na TV com alegação de saúde

    Sem a participação de Jair Bolsonaro (PSL) em debates televisivos, o petista Fernando Haddad provocou o candidato via Twitter, dizendo que iria até a enfermaria se precisar, e ele acabou respondendo que “quem conversa com poste é bêbado”. “Tuitar e fazer live é fácil, deputado. Vamos debater frente a frente, com educação, em uma enfermaria se precisar. O povo quer ver você aparecer na entrevista de emprego”, postou o perfil de Haddad. Bolsonaro tem recusado ir a confrontos na TV alegando motivos médicos, embora tenha concedido diversas entrevistas a veículos de imprensa e feito transmissões ao vivo pelas redes sociais. “Senhor ‘Andrade’, quem conversa com poste é bêbado. Existe um que está preso por corrupção e você vai toda semana na cadeia visitá-lo intimamente além de receber ordens ! Cuidado que pelo desenrolar das notícias reveladas você pode ser o próximo”, postou Bolsonaro.

  • Joaquim Barbosa decide não apoiar Haddad, diz coluna

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Alexandre Galvão

    16/10/2018 - 13:30

    A interlocutores próximos, o ex-presidente da STF já disse que a decisão está tomada

    Ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa decidiu que não vai apoiar Fernando Haddad (PT) na corrida pela Presidência da República. Segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, os dois chegaram a conversar na semana passada, mas o magistrado aposentado rejeitou apoiar o petista. Ainda de acordo com a publicação, a interlocutores próximos, Bolsonaro já disse que a decisão está tomada.

  • Após pedido de Haddad, TSE determina exclusão de links com a expressão 'kit gay'

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    16/10/2018 - 09:45

    Decisão do ministro Carlos Horbach afeta conteúdos compartilhados pelo candidato Jair Bolsonaro (PSL)

    O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Horbach, determinou a suspensão de 36 links de sites e redes sociais com a expressão "kit gay", usada pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) para atacar o adversário Fernando Haddad (PT). Ele atendeu a um pedido da defesa do petista, que alega que a informação é sabidamente inverídica. De acordo com o magistrado, os conteúdos disponíveis nos links vinculam o livro "Aparelho Sexual e Cia" ao projeto "Escola Sem Homofobia" ou aos programas de livros didáticos do MEC, o que não corresponde às informações oficiais.

  • Suposto futuro ministro de Bolsonaro admitiu receber ‘caixa 2’ da JBS

    Foto: Antonio Cruz | Agência Brasil Foto: Antonio Cruz | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    16/10/2018 - 08:50

    Mesmo após assumir a culpa, depois de 15 meses, nenhum procedimento legal ou administrativo foi aberto contra Onyx Lorenzoni

    O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) admitiu à imprensa em 2017 ter recebido R$ 100 mil em caixa 2 da empresa de carnes JBS, dos irmão Joesley e Wesley Batista. O parlamentar é cotado pelo presidenciável Jair Bolsonaro como futuro ministro-chefe da Casa Civil, caso o capitão da reserva seja eleito. Segundo a Folha de São Paulo, o democrata, um dos líderes do partido no boicote à candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Palácio do Planalto, justificou ter utilizado o dinheiro recebido da companhia para uitar gastos de campanha de 2014, mas concordou que deveria “pagar pelo erro”. Mesmo após assumir a culpa, depois de 15 meses, nenhum procedimento legal ou administrativo foi aberto contra Lorenzoni. A investigação que comprometeu o gaúcho com o esquema é fruto de delação premiada de executivos da companhia.

  • Rejeição de Haddad é maior que a de Bolsonaro, aponta Ibope

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    16/10/2018 - 07:00

    Pesquisa revelou que 47% dos eleitores se recusam a votar em petista enquanto 35% rejeitam candidato do PSL

    A pesquisa Ibope divulgada na noite desta segunda-feira (15), apontou alta do índice de rejeição do candidato Fernando Haddad (PT), que ultrapassou o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) pela primeira vez. A rejeição do petista aponta 47% dos eleitores enquanto o capitão reformado do Exército aparece com 35%. Em todas as outras pesquisas divulgadas até o momento, Bolsonaro era o campeão de rejeição. As entrevistas foram feitas entre 13 e 14 de outubro, com 2.506 eleitores em todo o Brasil.

  • TSE proíbe propaganda de Haddad com ataque a Bolsonaro

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    16/10/2018 - 07:00

    Segundo o magistrado, campanha petista se baseia em informação falsa

    O ministro Sergio Banhos, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proibiu, ontem (15), a veiculação televisiva de uma propaganda eleitoral da campanha do presidenciável Fernando Haddad (PT), na qual é dito que o adversário Jair Bolsonaro (PSL) votou contra a Lei Brasileira de Inclusão. No entendimento do magistrado, trata-se de "fake news", já que a defesa de Bolsonaro alegou que a lei foi aprovada por unanimidade na Câmara dos Deputados.

  • Cortella nega convite para ministério da educação

    Foto: Reprodução | Felipe Gabriel Foto: Reprodução | Felipe Gabriel
    Por Marina Hortélio

    16/10/2018 - 07:00

    O petista tem mencionado Cortella em entrevista e em postagem nas redes sociais como possível ministro

    O filósofo, escritor e professor Mario Sergio Cortella disse que o candidato do PT ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad, não o convidou, nem a ninguém, para um eventual ministério. O petista tem mencionado Cortella em entrevista e em postagem nas redes sociais como possível ministro da Educação. À Folha, Cortella contou que Haddad disse que os dois conversassem sobre o assunto após as eleições. O filósofo disse ainda que, em conversas passadas, foi mencionado pelo petista como uma nome para a pasta da educação. Cortella disse que, apesar da amizade e do respeito que tem por Haddad, outros fatores devem ser levados em conta ao ponderar sobre o convite. Dentre os fatores, o professor cita circunstâncias pessoais, conjunto dos projetos, prioridade de gestão para além de programa de campanha, autonomia diretiva e grupo ministerial.

  • Haddad confirma convite a Cortella para o Ministério da Educação

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    15/10/2018 - 21:00

    Presidenciável petista ainda disse que tem conversado com o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa

    O candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) confirmou, hoje (15), que convidou o filósofo Mario Sergio Cortella para ser ministro da Educação em um eventual governo petista. O candidato também disse que tem conversado com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. O questionamento sobre a equipe ministerial foi feito após a divulgação nas redes sociais de uma imagem falsa que copia a identidade visual da campanha do petista e anuncia a presença de Drauzio Varella (Ministério da Saúde), general Eduardo Villas Boas (Defesa), Mario Sergio Cortella (Educação), Joaquim Barbosa (Justiça), Luiza Trajano (Desenvolvimento) e Ciro Gomes (Fazenda) como ministros. Haddad disse que Cortella é uma pessoa próxima e que, antes mesmo de ser cogitado como candidato, pensou em sugerir o nome dele para o Ministério da Educação caso tivesse influência em um novo governo. O postulante petista também declarou que foi recebido pelo ex-ministro Joaquim Barbosa para uma conversa a respeito do momento do país, mas não confirmou nem negou o convite.

  • Wagner diz que Ciro era melhor estratégia para vencer a eleição

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Marina Hortélio

    15/10/2018 - 20:00

    Apesar de afirmar que o assunto já foi superado, o ex-governador da Bahia disse que sempre defendeu um acordo com o pedetista

    Coordenador da campanha do presidenciável do PT Fernando Haddad, o senador eleito Jaques Wagner afirmou hoje (15) que a melhor estratégia para uma vitória do campo da esquerda na corrida ao Planalto seria o lançamento de Ciro Gomes (PDT), que ficou em terceiro lugar no primeiro turno das eleições. Wagner fez a avaliação ao comentar a proposta da senadora e antiga vice na chapa do PDT ao Planalto, Katia Abreu, que sugeriu a substituição de Haddad por Ciro Gomes para garantir a eleição. Apesar de afirmar que o assunto já foi superado, o ex-governador da Bahia disse que sempre defendeu um acordo com o pedetista. Ao ser questionado sobre colocar Ciro no segundo turno, o senador eleito afirmou que um possível embate entre o ex-governador do Ceará e Bolsonaro seria a melhor estratégia para a esquerda. “O que eles têm a dizer? É anti-PT. É anti-PT”, disse.

  • Ibope: Bolsonaro tem 59% e Haddad 41%

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Marina Hortélio

    15/10/2018 - 19:00

    Nos votos totais, os resultados apontam Bolsonaro com 52% das intenções de voto, com Haddad apresentando 37%

    A pesquisa Ibope divulgada hoje (15) apontou o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro com 59% das intenções de voto no segundo turno das eleições. Já o presidenciável do PT Fernando Haddad aparece com 41% dos votos válidos. Para calcular os votos válidos, o instituto exclui a amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Nos votos totais, os resultados apontam Bolsonaro com 52% das intenções de voto, com Fernando Haddad apresentando 37%. Os votos nulos chegam a 9%, enquanto que 2% não sabe. A pesquisa ainda apurou a rejeição dos presidenciáveis. O candidato do PT, Fernando Haddad, é rejeitado por 47%, já 35% dos ouvidos apontam que não votariam no candidato do PSL, Jair Bolsonaro. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Entre os dias 13 e 14 de outubro, foram entrevistados 2.506 eleitores em 176 municípios. A pesquisa foi registrada no TSE com o registro BR?01112/2018. O nível de confiança é de 95% e os contratantes da pesquisa foram a TV Globo e o jornal Folha de São Paulo.

  • Equipe econômica de Temer pode permanecer em eventual governo Bolsonaro

    Foto: Fernando Frazão | Agência Brasil Foto: Fernando Frazão | Agência Brasil
    Por Matheus Simoni

    15/10/2018 - 10:00

    No entanto, não haverá um convite a quem não sinalizar que queira continuar na gestão

    Guru econômico da chapa de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República, o economista Paulo Guedes afirma que há a possibilidade de integrantes da atual equipe econômica do presidente Michel Temer (MDB) fazerem parte do governo em 2019, no caso de uma vitória. No entanto, não haverá um convite a quem não sinalizar que queira continuar na gestão. "Alguns são muito bons. Mas terão de manifestar clara intenção de continuar. Porque nós temos também um time excelente", disse Guedes, em entrevista a Andreia Sadi, colunista do portal G1. Durante a campanha presidencial, o economista manteve conversas com integrantes do Ministério da Fazenda e do Banco Central. O objetivo foi discutir propostas de uma eventual transição, como a reforma da Previdência.

  • Bolsonaro grava vídeos para o Nordeste e foca na conclusão da Fiol na Bahia

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    15/10/2018 - 09:30

    Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, ele ainda falou sobre o pagamento do 13º salário para o Bolsa Família e propostas para o semiárido

    O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, gravou vídeos direcionados ao Nordeste. Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, ele falou sobre o pagamento do 13º salário para o Bolsa Família e propostas para o semiárido. As peças serão incluídas nas propagandas do candidato na TV. Ainda de acordo com a publicação, a equipe do presidenciável incluiu entre as propostas do plano de governo o incentivo à atuação do Exército na construção de poços artesianos no sertão nordestino. Outra ação que entrou no catálogo do PSL é a conclusão da Ferrovia Oeste-Leste, estratégica para escoar minério e grãos na Bahia.