BUSCA PELA CATEGORIA "EDUCAÇÃO"

  • Estudantes com Fies podem suspender parcelas a partir desta segunda

    Foto: Marcello Casal Jr. | Agência Brasil Foto: Marcello Casal Jr. | Agência Brasil
    Por Kamille Martinho

    06/07/2020 - 15:00


    A manifestação pode ser feita pelo app BB ou pelo site do financiamento da Caixa

    EDUCAÇÃO

    - Estudantes que contrataram Financiamento Estudantil (Fies) por meio do Banco do Brasil (BB) ou da Caixa Econômica Federal podem requerer a suspensão do pagamento de até quatro parcelas a partir de hoje (6). A medida vale para clientes em situação de adimplência com seus contratos, antes do dia 20 de março, data em que foi decretado o estado de calamidade pública no país. A manifestação pode ser feita pelo app BB ou pelo site do financiamento da Caixa. Por meio do aplicativo BB, o cliente precisa acessar sua conta (efetuar login), clicar no Menu, em seguida em Solução de Dívidas e selecionar Suspensão FIES.No caso da Caixa, basta fazer o login e acessar a opção Contrato FIES, Contrato e em seguida selecionar Pausar Contrato, aceitar o temo de compromisso e clicar em Solicitar Pausa. Segundo o BB, a solicitação será efetivada de forma simples, sem assinatura de termo aditivo e sem necessidade da presença do fiador em qualquer dependência do banco. No entanto, são obrigatórias a ciência e a concordância do estudante para as condições de pausa e, consequentemente, para os reflexos no contrato de financiamento. Caso o estudante não tenha acesso ao mobile, ele pode solicitar a suspensão nas agências do BB.

  • Secretário no Paraná, Feder diz que declina de convite para ser ministro da Educação

    Foto: Reprodução  Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    05/07/2020 - 16:00


    Feder era um dos nomes cotados para assumir a pasta, mas ele teria perdido espaço depois que assessores de Bolsonaro montaram um dôssie contra ele e entregaram ao presidente

    EDUCAÇÃO

    - O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, afirmou hoje (5), em mensagem publicada em sua conta no Facebook, que rejeitou convite do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para assumir o Ministério da Educação (MEC). Feder era um dos nomes cotados para assumir a pasta, mas ele teria perdido espaço depois que assessores de Bolsonaro montaram um dôssie contra ele e entregaram ao presidente na sexta-feira (3), de acordo com o canal CNN. “Recebi na noite da última quinta-feira (2) uma ligação do presidente Jair Bolsonaro me convidando para ser ministro da Educação (...) Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro, por quem tenho grande apreço, mas declino do convite recebido", escreveu Feder. Mais cedo neste domingo, Feder havia publicado outra mensagem na rede social, divida em 8 pontos, que seria uma resposta ao dossiê contra ele. 

  • MEC anuncia repasse de R$ 200 milhões para universidades e institutos federais

    Foto: Geraldo Magela | Agência Senado Foto: Geraldo Magela | Agência Senado
    Por Luciana Freire

    03/07/2020 - 16:00


    Instituições receberão de R$ 800 mil a R$ 4 milhões, de acordo com o projeto selecionado

    EDUCAÇÃO

    - O Ministério da Educação (MEC) anunciou hoje (3) a disponibilização de R$ 250 milhões em recursos para investimentos em infraestrutura e equipamentos nas universidades e institutos federais. As instituições receberão de R$ 800 mil a R$ 4 milhões, de acordo com o projeto selecionado. A informação foi divulgada pela Agência Brasil. "Vamos destinar um pedaço para segurança nas universidades, redução de despesa, energia, obras paralisadas que precisam ser retomadas, equipamento de TI e conectividade. Uma parte  será utilizada para plano da expansão das escolas médicas de campi sem hospitais universitários. Para que alunos do quinto e sexto ano possam terminar com a prática necessária", explicou o secretário executivo da pasta, Antônio Vogel. O MEC explica que o recurso não será utilizado para a construção de hospitais universitários, mas para aquisição de equipamentos de proteção individual (EPI) e na celebração de convênios com hospitais particulares, filantrópicos e públicos.

  • Renato Feder é escolhido por Bolsonaro para assumir Ministério da Educação

    Foto: Divulgação | SEED Foto: Divulgação | SEED
    Por Juliana Rodrigues

    03/07/2020 - 08:30


    Secretário de Educação do Paraná é visto por aliados do governo como um nome apaziguador

    EDUCAÇÃO

    - O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, é o mais cotado para assumir o Ministério da Educação após a saída precoce de Carlos Alberto Decotelli. De acordo com a coluna Radar, da revista Veja, o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) já escolheu o gestor paranaense para ocupar a pasta. Feder é o chefe da área no governo do Paraná e é visto por aliados do governo como um nome apaziguador. Diante do caos no ministério criado pelo ex-ministro Abraham Weintraub, o nome de Feder começou a ser ventilado nos bastidores de Brasília. Em entrevistas recentes, o secretário demonstrou a intenção de restabelecer o diálogo entre o MEC e as secretarias estaduais e municipais de educação, além de reforçar a importância da autonomia das universidades federais. Feder colocou a votação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no Congresso como uma das medidas essenciais para o início do trabalho no cargo, caso seja escolhido. Avaliou ainda que, mesmo em meio à pandemia de Covid-19, o orçamento na educação não precisa aumentar. Ele é mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e graduado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

  • UniFG escolhe Ânima Educação como parceira para potencializar a educação de qualidade no semiárido baiano

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    02/07/2020 - 06:00


    O Centro Universitário, referência na formação profissional e de Medicina no Nordeste, passa a integrar uma das maiores organizações educacionais do País

    EDUCAÇÃO

    - O Centro Universitário UniFG anunciou, nesta quarta-feira (1), a parceria com a Ânima Educação, para dar seguimento ao seu projeto de educação de qualidade em Guanambie e toda a região do semiárido nordestino. Fundada em 2002, a UniFG é mantida pelo Centro de Educação Superior de Guanambi (CESG) e desenvolve o ensino, pesquisa e extensão por meio de 28 cursos de graduação, além de pós-graduação e um mestrado em Direito, o primeiro no interior do Norte e Nordeste do País. Dono de conceito institucional máximo (nota 5) no MEC, o Centro Universitário conta com cerca de 500 colaboradores e docentes, e é responsável pela formação de 3.800 universitários, que estudam em um campus-sede na entrada de Guanambi, levando educação não apenas para este município, como também a diversos outros situados na Bahia e no Norte de Minas Gerais, recebendo também estudantes de várias partes do Brasil. Para Georgheton Melo Nogueira, reitor da UniFG, a instituição segue fortalecida em sua missão de oferecer ensino superior de qualidade, comprometida com o desenvolvimento de Guanambi e região. “Este novo ciclo que se abre na história da UniFG contribuirá para o fortalecimento da instituição no interior da Bahia e possibilitará novos cenários no campo do ensino superior”, diz o reitor, que permanecerá na liderança da instituição, junto com sua equipe gestora, na nova fase que se descortina. A sinergia de valores e o zelo pela qualidade acadêmica foram dois pilares fundamentais, por parte da UniFG, para a seleção da Ânima como parceira para a continuidade do legado da instituição baiana. Além disso, atributos como a valorização e respeito às pessoas, a centralidade no estudante e o cuidado com o corpo docente e os processos de aprendizagem também figuraram como essenciais nesta escolha. Segundo o presidente e mantenedor do Centro de Educação Superior de Guanambi (CESG), Felipe Gabriel Duarte, “a compatibilidade de valores e o respeito à Educação são marcas da Ânima que ajudarão a instituição a prosseguir com seu legado de desenvolvimento de uma educação de qualidade que visa, acima de tudo, levar modernidade e impulso tecnológico para toda a região”. 

    UniFG tem relação direta com progresso do interior do sertão nordestino:  Vale destacar que a UniFG está situada em uma localidade que se tornou um polo universitário no Nordeste do País, que reúne instituições particulares e públicas de ensino, de nível técnico e superior. A partir de sua fundação no início dos anos 2000, o Centro Universitário foi uma espécie de instrumento catalisador do processo de crescimento do interior do sertão nordestino. Mais do que isso, motivaram o surgimento de inúmeros projetos de extensão e pesquisa que hoje se traduzem em serviços orientados à comunidade e ao mercado. São instrumentos que atuam como espaço de formação acadêmica dos estudantes e que, também, prestam atendimento ao público em geral. Conta, por exemplo, com laboratório de análises clínicas, hospital veterinário, além de serviços de assistência jurídica, assistência fiscal, assistência psicológica, apoio ao empreendedor, tratamento fisioterapêutico, atenção farmacêutica, entre outros. “Nossa instituição nasceu de um propósito legítimo de ser um ambiente de aprendizado e desenvolvimento de nossos jovens e pessoas do semiárido baiano, sem que haja uma necessidade de migrarem para outros centros para ter acesso à educação de qualidade. É ser um centro de saber, um espaço de transição da ciência para a prática, transformando não apenas o cenário regional, mas a vida de milhares de pessoas”, completa o reitor da UniFG. O presidente da Ânima Educação, Marcelo Battistella Bueno, destaca que é um privilégio a organização ser escolhida pela UniFG para somar esforços, saberes e dedicação para continuar transformando pela educação a realidade de milhares de pessoas não apenas da cidade de Guanambi, mas de todos os municípios da região do semiárido baiano. “Vamos, juntos, dar continuidade a este legado e potencializar as práticas que fazem da UniFG uma instituição sólida, de reconhecida qualidade acadêmica, que elevou o patamar de desenvolvimento e progresso do interior do sertão nordestino”, completa o presidente da Ânima. Presente em sete Estados brasileiros, a Ânima atua em seu propósito de transformar o País pela Educação a partir do envolvimento de oito instituições de ensino superior, reunindo 140 mil estudantes: Universidade São Judas Tadeu (SP), Una (MG e GO), UniBH (MG), Faseh (MG), UniSociesc (SC), AGES (BA e SE) e UNICURITIBA (PR), além de atuar na Unisul (SC) em parceria de cogestão. O Ecossistema Ânima reúne também instituições que são referências em seus segmentos, como HSM, HSM University e SingularityU Brazil (na área de Gestão), Le Cordon Bleu (em Gastronomia), EBRADI (em Direito), Inspirali (na Saúde), além do Instituto Ânima.

    CONTINUE LENDO
  • FGV afirma que Decotelli não foi seu professor efetivo

    Por Luciana Freire

    30/06/2020 - 08:30


    Instituição divulgou nota em que afirma que ele "atuou apenas nos cursos de educação continuada [...] não como professor de qualquer das escolas da fundação”

    EDUCAÇÃO

    - A Fundação Getúlio Vargas negou que o ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva, foi professor ou pesquisador da instituição. Em nota, a FGV afirmou que o ministro "atuou apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos e não como professor de qualquer das escolas da fundação. Da mesma forma, não foi pesquisador da FGV, tampouco teve pesquisa financiada pela instituição". Segundo a reportagem da CNN, a professora Brigitte Wolf, da Universidade de Wüppertal, na Alemanha e orientadora de Decotelli, disse que, por lá, ele era tido como professor da FGV. De acordo com Brigitte, o ministro esteve na Alemanha enquanto cumpria um período sabático na FGV e afirma que Decotelli não se candidatou a nenhum fundo ou programa de pós-doutorado na Alemanha.

  • Centro Universitário UniFG abre inscrições para Vestibular 2020.2

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    29/06/2020 - 08:00


    EDUCAÇÃO

    - O Centro Universitário UniFG abriu, neste sábado (27), as inscrições para o Vestibular 2020.2, que podem ser realizadas no site www.venhaserunifg.com.br, de 27 de junho a 27 de julho de 2020. Em função da situação enfrentada pela pandemia do novo coronavírus e consequente necessidade de isolamento social, a UniFG não fará prova presencial. Os candidatos inscritos serão avaliados pelo desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou poderão realizar prova on-line, agendada no site do Vestibular 2020.2. São oferecidas vagas para os cursos de Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Ciências Contábeis, Direito, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Farmácia, Fisioterapia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia Tecnólogo em Estética e Cosmética, e Tecnólogo em Radiologia. A lista de convocados pela modalidade do desempenho pela nota do Enem e da prova on-line será divulgada até o dia 29 de julho. O período de matrícula on-line acontecerá nos dias 30 e 31 de julho, e 1º de agosto de 2020, para os convocados na primeira chamada. Não haverá cobrança na Taxa de Inscrição para o Processo de Seletivo Vestibular 2020.2. O Centro Universitário UniFG destaca-se por ser uma instituição com nota máxima do MEC, por possuir docentes Com sua sede no município de Guanambi, o Centro Universitário UniFG destaca-se por ser uma instituição de ensino superior com nota máxima do MEC. Além de ser conhecida pelo corpo docente com expressivo número de mestres e doutores, a instituição possui o primeiro programa de Mestrado em Direito do interior do Nordeste. Saiba mais no Edital Vestibular 2020.2

  • Inep descarta Enem com número reduzido de questões

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    Por Luciana Freire

    26/06/2020 - 16:15


    Área pedagógica do instituto avaliou que reduzir o número de questões do exame pode prejudicar a avaliação dos estudantes em cursos mais concorridos

    EDUCAÇÃO

    - O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), descartou reduzir o número de questões da prova após negativa da área pedagógica do órgão. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo. De acordo com fontes da reportagem, a área pedagógica do instituto avaliou que reduzir o número de questões do exame poderia prejudicar a avaliação dos estudantes em cursos mais concorridos. A aplicação ocorrerá em dois dias, com menos pessoas dentro da sala de aula, entre outras medidas de prevenção a Covid-19. A data do exame está sob consulta pública até o dia 30 deste mês.

  • Bolsonaro anuncia Carlos Alberto Decotelli como ministro da Educação

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    Por Juliana Rodrigues

    25/06/2020 - 15:30


    O professor assume o cargo uma semana após o ex-ministro da pasta Abraham Weintraub anunciar que deixaria o governo.

    EDUCAÇÃO

    - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou na tarde de hoje (25), por meio de suas redes sociais, que o novo ministro da Educação será o professor Carlos Alberto Decotelli da Silva. Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), mestre pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), doutor pela Universidade de Rosário (Argentina) e pós-doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha. O professor assume o cargo uma semana após o ex-ministro da pasta Abraham Weintraub anunciar que deixaria o governo. Decotelli comandou o FNDE de fevereiro de 2019 até agosto do ano passado. Ele tem o apoio na ala militar do governo, principalmente de almirantes.

  • MEC revoga portaria que acabava com incentivo a cotas em cursos de pós-graduação

    Foto: Reprodução  Foto: Reprodução
    Por Lara Curcino

    23/06/2020 - 07:00


    Medida havia sido assinada pelo ex-ministro Abraham Weintraub na última semana

    EDUCAÇÃO

    - O Ministério da Educação revogou hoje (23) a portaria  que acabava com normas que estimulavam cotas direcionadas a negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação no Brasil. A medida havia sido assinada na última quinta-feira (18), pelo ex-ministro Abraham Weintraub. O texto recebeu críticas do Congresso e chegou até a ser alvo de despacho do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que estabeleceu um prazo de 48 horas, a partir de ontem (22), para a Advocacia-Geral da União se manifestar. Gilmar pediu que o governo justificasse a revogação, que foi questionada na Corte por três partidos: Rede Sustentabilidade, PDT e PSB.

  • MPF abre inquérito para apurar decisão de Weintraub que revogou cotas

    Foto: Marcello Casal Jr. | Agência Brasil Foto: Marcello Casal Jr. | Agência Brasil
    Por Kamille Martinho

    19/06/2020 - 07:00


    De acordo com o IBGE, os estudantes negros (pretos e pardos) são maioria nas instituições de ensino superior federais, estaduais e/ou municipais

    EDUCAÇÃO

    - A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal (MPF), no Rio de janeiro, vai apurar a legalidade da Portaria do Ministério da Educação nº 45, de 16 de junho de 2020, publicada no Diário Oficial da União. O ato, assinado por Abraham Weintraub, revoga a Portaria nº 13/2016, que estabelecia a necessidade de criação de políticas afirmativas nos cursos de pós-graduação. Em nota à Agência Brasil, o Ministério da Educação assinala que Portaria nº 13/2016 “foi revogada com base no artigo 8º, do Decreto nº 10.139/2019”, que obriga a anulação de normas “cujos efeitos tenham se exaurido no tempo”. Na nota o MEC acrescenta que a Lei nº 12.711/2012, em vigor, prevê a concessão de cotas e ações afirmativas exclusivamente para cursos de graduação. De acordo com o IBGE, os estudantes negros (pretos e pardos) são maioria nas instituições de ensino superior federais, estaduais e/ou municipais. Conforme os dados da pesquisa "Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil", divulgada no ano passado, o Brasil tinha mais de 1,14 milhão de estudantes autodeclarados pretos e pardos em 2018, enquanto os brancos ocupavam 1,05 milhão de vagas, respectivamente, 50,3% e 48,2%  dos matriculados na rede pública (total de dos mais de 2,19 milhões de brasileiros).

  • MEC revoga portaria de inclusão de negros, indígenas e deficientes em cursos de pós-graduação

    Foto: Gabriel Jabur | MEC Foto: Gabriel Jabur | MEC
    Por Juliana Rodrigues

    18/06/2020 - 14:30


    Texto também previa a criação de comissões para discutir e aperfeiçoar ações de inclusão nas Instituições Federais de Ensino Superior

    EDUCAÇÃO

    - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, revogou hoje (18) uma portaria publicada em maio de 2016, que exigia que as Universidades Federais promovessem políticas de cotas para negros (pretos e pardos), indígenas e pessoas com deficiência em programas de pós-graduação. A revogação foi publicada no Diário Oficial da União. O texto também previa a criação de comissões para discutir e aperfeiçoar ações de inclusão nas Instituições Federais de Ensino Superior. Além disso, a portaria estabelecia que o Ministério da Educação, por meio de um grupo de trabalho, monitoraria as ações propostas no documento.

  • Secretário olavista e evangélico à frente da Capes são cotados para substituir Weintraub

    Por Juliana Rodrigues

    18/06/2020 - 07:30


    Nos corredores do MEC, a expectativa é que o ministro deixe o cargo ainda nesta semana e seja substituído interinamente por um funcionário da pasta

    EDUCAÇÃO

    - Com a saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação (MEC) cada vez mais próxima, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem sido pressionado a manter a pasta sob o comando da ala ideológica e olavista de apoio ao governo. A informação é da Folha. Nos corredores do MEC, a expectativa é que Weintraub deixe o cargo ainda nesta semana e seja substituído interinamente por um funcionário da pasta até a definição do novo ministro. Entre os bolsonaristas mais ideológicos, o nome mais cotado para assumir o ministério é o do secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim. Nadalim assumiu o cargo por indicação do escritor Olavo de Carvalho ainda na equipe do ex-ministro Ricardo Vélez Rodríguez. O governo está ciente do desgaste de insistir com um olavista, já que os acenos ideológicos de Weintraub levaram à atual crise com o Supremo Tribunal Federal (STF). Outro nome que tem ganhado força é o do presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Benedito Aguiar. Com histórico acadêmico, ele conta com a simpatia da bancada evangélica e ainda tem certa proximidade com o ministro do STF Alexandre de Moraes, que lecionou no Mackenzie no período em que Aguiar foi reitor da universidade.

  • Os planos para retomada das aulas nas universidades da Bahia

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    16/06/2020 - 10:00


    No meio da incerteza, a UNEB trouxe um norte: apresentou um documento com exigências sanitárias a serem seguidas.

    EDUCAÇÃO

    - Se tem um setor que ainda não tem ideia de quando e como voltará às atividades, esse é o de ensino superior. No dia 18, os alunos das universidades públicas completam três meses sem aulas. No meio da incerteza, a UNEB trouxe um norte: apresentou um documento com exigências sanitárias a serem seguidas. As informações são do Correio. De acordo com a publicação, esse protocolo servirá como um guia para que a universidade faça as adaptações e planeje seu retorno de forma segura. A universidade pública pode oferecer aulas pela internet? Será que ela tem condições de oferecer higiene ideal para os alunos? Ouvimos também as universidades particulares, que já possuem um protocolo elaborado e em negociação com a Prefeitura de Salvador. Ouça o podcast:

  • Enem pode ser suspenso em 2021 devido à falta de recursos, alerta MEC

    Por João Brandão

    05/06/2020 - 17:30


    Para evitar esse desfecho, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, solicitou uma complementação de R$ 6,9 bilhões ao limite previsto para 2021

    EDUCAÇÃO

    - Um corte de R$ 4,2 bilhões no Orçamento do Ministério da Educação previsto para 2021 pode levar à suspensão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no ano que vem, de acordo com o jornal Estadão. O alerta foi feito pelo MEC em ofício enviado ao Ministério da Economia. A prova é usada por milhares de estudantes brasileiros como porta de acesso à universidade. Para evitar esse desfecho, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, solicitou uma complementação de R$ 6,9 bilhões ao limite previsto para 2021. O pedido ainda vai ser analisado pela área econômica, que trabalha na elaboração da proposta orçamentária do ano que vem. O projeto precisa ser enviado ao Congresso Nacional até 31 de agosto de 2020.

  • Casa dos Educadores da Bahia, Instituto Anísio Teixeira completa 37 anos

    Foto:  Ascom - IAT/SEC Foto: Ascom - IAT/SEC
    01/06/2020 - 15:00


    EDUCAÇÃO

    - Fundado em 1º de junho de 1983, o Instituto Anísio Teixeira (IAT) completa, nesta segunda-feira, (1°), 37 anos. Órgão em regime especial de administração direta da Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) com base em regimento (Lei nº 8.970/94), o IAT tem por finalidade planejar e coordenar estudos e projetos referentes a ensino, pesquisa, formação e experimentações educacionais. O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, fala sobre o papel do IAT. "Não é por acaso que o instituto leva o nome do baiano Anísio Teixeira, este que foi um dos maiores educadores do Brasil e que completa 120 anos de nascimento, em 2020. Ao honrar a memória de Anísio, o IAT tem, entre as principais ações, a Formação Continuada Territorial para gestores escolares, coordenadores pedagógicos e equipes técnicas das Secretarias Municipais e da rede estadual. Atualmente, mais de 9 mil estão inscritos na Plataforma de Formação, construída para que a atividade possa acontecer de forma remota, por causa  da pandemia do novo Coronavírus. E isto demonstra a importância histórica do IAT, cuja atuação vem sendo fortalecida pelo Governo da Bahia", afirmou ao acrescentar que "é fundamental  saudar e reconhecer o papel histórico de todos os gestores e funcionários atuais do IAT e daqueles que por ali deixaram sua valiosa contribuição para a educação baiana". O Instituto Anísio Teixeira disponibiliza, ainda, para educadores e estudantes, a Plataforma Anísio Teixeira, por meio do Portal da Educação. A ferramenta possui mais de 10 mil recursos educacionais abertos, organizados em canais, como o Canal do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC) e o Canal das Universidades. Este último traz cursos e ofertas das 12 instituições públicas de Ensino Superior da Bahia e da Fundação Getulio Vargas (FGV). “O Instituto Anísio Teixeira é um patrimônio da educação baiana. É uma referência na formação de professores e na produção de conteúdos e tecnologias educacionais para todo o país”, afirma a diretora do IAT, Cybele Amado de Oliveira. “A educação não para, por isso estamos sempre pensando de que forma podemos contribuir. Em breve, iremos lançar uma nova versão da Plataforma Anísio Teixeira, além das formações em aprendizagem criativa e cultura maker”, completa a gestora.

  • MEC suspende pagamento de parcelas do Fies por causa da pandemia

    Foto: Marcelo Casal Jr | Agência Brasil Foto: Marcelo Casal Jr | Agência Brasil
    Por Kamille Martinho

    25/05/2020 - 15:00


    EDUCAÇÃO

    - O Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) autorizou a suspensão das parcelas dos contratos de financiamento estudantil concedidos com recursos do Fies, que estejam na fase de utilização, carência ou amortização, durante o estado de calamidade pública em razão da pandemia de covid-19. A resolução foi publicada hoje (25) no Diário Oficial da União. O estudante que tiver interesse em suspender as parcelas deverá se manifestar junto ao banco até 31 de dezembro. A suspensão vale para os contratos que estavam em dia antes da decretação do estado de calamidade pública, reconhecido em 20 de março, e será retroativa às parcelas que não foram pagas desde então. Está permitida a suspensão de duas parcelas para os contratos em fase de utilização ou carência (referente aos juros trimestrais para contratos feitos até o 2º semestre de 2017) e de quatro parcelas para os contratos em fase de amortização, dos estudantes que já concluíram o curso. O governo federal poderá prorrogar esses prazos. De acordo com a resolução, as parcelas suspensas serão incorporadas ao saldo devedor do contrato do estudante

  • Inscrições para Enem 2020 se encerram nesta sexta-feira

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por Lara Curcino

    22/05/2020 - 07:00


    Na quarta, as provas foram adiadas por 30 a 60 dias, em razão do coronavírus

    EDUCAÇÃO

    - As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 se encerram às 23h59 de hoje (22). Os interessados a se candidatar devem fazer isso por meio da Página do Participante. As provas, que ocorreriam em novembro, foram adiadas na quarta-feira (20), por 30 a 60 dias, em razão do coronavírus. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pelo exame, mais de 4,3 milhões de estudantes tinham feito a inscrição no site. Nesta edição ocorre pela primeira vez o Enem Digital, com provas feitas pelo computador. Desde a semana passada, porém, as vagas para esta modalidade já haviam se esgotado. 

  • Governo anuncia adiamento do Enem

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Kamille Martinho

    20/05/2020 - 15:30


    As provas serão adiadas entre 30 a 60 dias, em relação ao previsto nos editais, podendo ocorrer em dezembro ou janeiro

    EDUCAÇÃO

    - O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas educacionais (Inep) anunciou hoje (20) o adiamento do Enem 2020. Em nota divulgada pelo Inep, as provas serão adiadas entre 30 a 60 dias, em relação ao previsto nos editais, podendo ocorrer em dezembro ou janeiro. "Atento às demandas da sociedade e manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do Coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e Digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao previsto nos editais", diz trecho da nota.

  • Senado aprova projeto que adia Enem

    Foto: Waldemir Barreto | Agência Senado Foto: Waldemir Barreto | Agência Senado
    Por Alexandre Galvão

    20/05/2020 - 07:30


    O calendário do Enem prevê as provas presenciais nos dias 1º e 8 de novembro, e o exame no meio digital, nos dias 22 e 29

    EDUCAÇÃO

    - O Senado aprovou na noite de ontem o projeto que adia automaticamente as provas que dão acesso aos cursos de graduação, entre as quais o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). De acordo com o G1, a aprovação não resulta automaticamente no adiamento do Enem. Isso porque o texto ainda precisa ser analisado pela Câmara dos Deputados para, então, ser enviado para a sanção do presidente Jair Bolsonaro. O presidente poderá sancionar o texto, integral ou parcialmente, ou vetar. Em um primeiro momento da sessão, os senadores aprovaram o chamado texto-base. O texto foi aprovado por 75 votos a 1. O único senador que votou contra o texto foi Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho de Jair Bolsonaro. O calendário do Enem prevê as provas presenciais nos dias 1º e 8 de novembro, e o exame no meio digital, nos dias 22 e 29. O texto do Senado não define uma nova data para as provas.