BUSCA PELA CATEGORIA "Economia"

  • Mês de fevereiro continuará com bandeira tarifária verde, afirma Aneel

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Rodrigues

    26/01/2019 - 09:45

    Mesmo com a manutenção da bandeira verde, o mês de janeiro apresentou volume menor de chuvas que o esperado

    A bandeira tarifária para fevereiro de 2019 será a mesma de janeiro: verde, sem custo extra para os consumidores. a informação foi confirmada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta sexta-feira (25). Mesmo com a manutenção da bandeira verde, o mês de janeiro apresentou volume menor de chuvas que o esperado. A agência afirmou, em nota enviada à imprensa, que “mesmo com a elevação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) provocada pela diminuição das chuvas em janeiro, a estação chuvosa está em curso, propiciando elevação gradativa da produção de energia pelas usinas hidrelétricas e melhora do nível dos reservatórios, com a consequente recuperação do risco hidrológico (GSF)”. O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada, disse a Aneel.

  • Petrobras reduz em 2,5% preço médio da gasolina nas refinarias

    Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Rodrigues

    24/01/2019 - 13:00

    Preço do diesel se manteve sem alterações, de acordo com a estatal

    A Petrobras anunciou um corte de 2,5% no preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias, válido para amanhã (25). Com o reajuste, o valor passa a ser de R$ 1,5104. A estatal também manteve sem alteração o preço do diesel, em R$ 1,9998. No mês de dezembro, a Petrobras anunciou um mecanismo de proteção complementar no qual a companhia pode alterar a frequência dos reajustes diários do preço do diesel no mercado interno quando houver elevada volatilidade, podendo mantê-lo estável por curtos períodos de tempo de até sete dias, "conciliando seus interesses empresariais com as demandas de seus clientes e agentes de mercado em geral". Já no caso da gasolina, o mecanismo adotado em setembro de 2018 permite à empresa a manutenção dos valores por até 15 dias.

  • Diferença de preço da gasolina em postos pelo Brasil chega a 124%

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Lara Ferreira

    10/01/2019 - 18:00

    O valor mais alto foi encontrado em Noronha; o lugar mais barato é em Caiçara do Norte

    O consumidor no Brasil pode chegar a pagar mais do que o dobro do valor mais baixo nos postos de gasolina a depender do lugar onde for abastecer. De acordo com um levantamento feito pela ValeCard, o preço pode custar 124% a mais em diferentes estabelecimentos. O preço mais caro foi registrado arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco, um dos maiores pontos turísticos do Brasil: R$ 7,15 por litro. Já o mais barato foi encontrado em Caiçara do Norte, pequena cidade de cerca de seis mil habitantes do Rio Grande do Norte. A pesquisa da ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, foi feita em 20 mil postos de gasolina no mês de dezembro do ano passado. O estudo também aponta uma diferença de 126% no preço do etanol em diferentes estabelecimentos.

  • Preço da gasolina cai 1,38% nas refinarias, anuncia Petrobras

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Rodrigues

    08/01/2019 - 15:00

    A partir desta quarta (9), litro do combustível passará de R$ 1,4537 para R$ 1,4337

    A Petrobras anunciou nesta terça-feira (8) uma redução de 1,38% no preço da gasolina vendida em suas refinarias. O litro do combustível passará a ser comercializado a R$ 1,4337 a partir de amanhã (9), dois centavos a menos do que o preço praticado hoje (R$ 1,4537). Essa é a terceira queda consecutiva do preço do combustível, que começou o ano sendo vendido a R$ 1,5087 por litro. Desde o dia 1º, a gasolina acumula queda de 4,97% no preço nas refinarias da estatal.

  • Petrobras reduz pelo 2º dia seguido preço da gasolina nas refinarias

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Rodrigues

    04/01/2019 - 08:00

    Litro do combustível está sendo negociando a R$ 1,4537 nesta sexta-feira (4)

    Pelo segundo dia seguido, a Petrobras reduz o preço da gasolina vendida nas refinarias., a empresa está negociando o litro do combustível a R$ 1,4537. Na quinta (3), a estatal já havia reduzido o preço de R$ 1,5087 para R$ 1,4675. De acordo com a Petrobras, a política de preços da empresa para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras “tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo”. Segundo a estatal, essa “paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”. A Petrobras informa ainda que “o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços)”.

  • Com novo governo, Bovespa fecha em alta no primeiro pregão do ano

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Marina Hortélio

    03/01/2019 - 08:30

    O Ibovespa subiu 3,56% e bateu o recorde de fechamento

    A B3, principal indicador da bolsa brasileira, fechou em forte alta ontem (2) e bateu o recorde histórico, com a monitoração dos investidores do primeiros passos do novo governo. Neste pregão, o mercado colocou em segundo plano a preocupação com uma desaceleração global. O Ibovespa subiu 3,56%, a 91.012 pontos, o que fez com que fosse renovando o recorde de fechamento. O recorde intradia de 3 de dezembro (91.242 pontos) também foi batido pela máxima do dia, que chegou a 91.478 pontos. O patamar mais alto de fechamento também havia sido alcançado 3 de dezembro, com 89.820 pontos. Com as notícias sobre o primeiro dia do governo Bolsonaro, que tomou posse ontem (1º), o dólar fechou em queda de 1,69% hoje, vendido a R$ 3,8087.

  • Ministro da Cidadania promete pagar 13º do Bolsa Família já este ano

    Foto: José Cruz | Agência Brasil Foto: José Cruz | Agência Brasil
    Por Daniel Brito

    02/01/2019 - 19:00

    De acordo com Osmar Terra, o impacto da novidade no orçamento do programa é de aproximadamente R$ 2,5 bilhões

    O ministro da Cidadania, Osmar Terra, afirmou hoje (2) que o pagamento do 13º salário aos que recebem o programa Bolsa Família, promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro, está garantido. De acordo com ele, o depósito será realizado no final deste ano. “Vai ter o 13º. O presidente prometeu, e nós vamos fazer cumprir”, disse, ao participar da cerimônia em que recebeu o cargo do ex-ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame. De acordo com o ministro, o impacto da novidade no orçamento do programa é de aproximadamente R$ 2,5 bilhões, o que exigirá um reforço orçamentário destinado à pasta. “Vamos trabalhar a questão orçamentária, porque nos deram um orçamento perna curta nessa área”, acrescentou.

  • Bolsonaro assina decreto e salário mínimo vai a R$ 998 em 2019

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    01/01/2019 - 20:30

    Orçamento formulado pelo governo Temer previa R$ 1.006. Fórmula utilizada considera inflação de 2018, que deve ficar abaixo do esperado, e variação do PIB.

    O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira (01), o decreto que fixou o salário mínimo em R$ 998 reais. A informação foi publicada no Diário Oficial em edição extra. Com isso, o valor ficou abaixo da estimativa que constava do orçamento da União, de R$ 1.006. O orçamento foi enviado em agosto do ano passado pelo governo Michel Temer ao Congresso. O que a equipe econômica de Temer dizia é que a inflação de 2018 (um dos fatores que determinam o valor) vai ser menor que o projetado anteriormente - quando foi proposto salário mínimo de R$ 1.006 em 2019. O valor atual é de R$ 954.

  • Bolsa Família: calendário 2019 com datas de saque é divulgado

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    28/12/2018 - 16:00

    Segundo as regras do programa, os beneficiários têm até 90 dias para sacar a quantia a que têm direito

    Os integrantes do Programa Bolsa Família já podem consultar as datas de 2019 em que o pagamento estará disponível para saque. Para saber o dia em que o valor será creditado é simples: basta a família cadastrada no programa consultar o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) impresso no cartão magnético vinculado à sua conta bancária do titular. Após a identificação, deve consultar o calendário do programa, que indica, mês a mês, as datas em que a família poderá sacar o dinheiro. Os beneficiários que possuem o cartão com final 1, por exemplo, poderão efetuar a operação no primeiro dia de pagamento – 18 de janeiro -, enquanto aqueles com o final 2 poderão resgatar o recurso a partir do segundo dia do cronograma – 21 de janeiro – e assim por diante. Segundo as regras do programa, os beneficiários têm até 90 dias para sacar a quantia a que têm direito. O benefício é pago de forma gradual nos dez últimos dias úteis de cada mês. Por isso, o primeiro período de lançamentos do programa será de 18 a 31 de janeiro. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, somente em dezembro R$ 2,6 bilhões foram repassados para mais de 14,1 milhões de famílias em todo o país. O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda para as famílias inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), contemplando famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza. Para participar, é necessário que as famílias comprovem renda mensal por pessoa de até R$ 89. Famílias com renda familiar mensal de até R$ 178 por pessoa e que sejam compostas por gestantes, crianças ou adolescentes também podem se candidatar. Quem atender aos critério de renda e tiver interesse em se inscrever no Bolsa Família deve procurar seu representante local, na prefeitura da cidade onde reside, para se registrar no CadÚnico. Caso tenha dúvidas ou queira mais informações sobre o programa, é possível buscar atendimento pelo telefone 0800 707 2003, serviço oferecido pelo ministério. Com informações da Agência Brasil.

  • Acaba nesta sexta o prazo para retirada de abono salarial

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Kamille Martinho

    26/12/2018 - 14:00

    Quantia pode chegar até R$ 954

    Termina nesta sexta-feira (28) o prazo para retirada do Abono Salarial ano-base 2016. Cerca de 1,8 bilhão de trabalhadores com direito ao recurso ainda não sacaram o dinheiro. O estado com maior quantidade de pessoas que ainda não receberam o benefício é São Paulo, totalizando 410,5 mil pessoas. Possui o direito ao abono salarial ano-base 2016 aqueles que estão inscritos nos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há, pelo menos, cinco anos, trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2016 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Trabalhadores da iniciativa privada devem procurar a Caixa Econômica Federal e servidores públicos o Banco do Brasil. O valor a ser recebido varia para cada trabalhador dependendo do tempo de trabalho formal em 2016, podendo chegar até R$ 954.

  • Reajuste da luz deve ser menor em 2019

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Alexandre Galvão

    26/12/2018 - 07:00

    Em 2019, a tarifa deverá ficar praticamente estável, com elevação média de 0,38%, segundo cálculo da TR Soluções

    Após encarar dois anos com fortes altas na conta de luz, os brasileiros terão um alívio em 2019, com reajustes bem abaixo das taxas de dois dígitos vistas em 2017 e 2018. Neste ano, o preço da energia elétrica paga pelas residências deverá fechar com um aumento médio de 15% em relação a 2017 — ano em que a alta já havia sido de cerca de 14%. Em 2019, a tarifa deverá ficar praticamente estável, com elevação média de 0,38%, segundo cálculo da TR Soluções, empresa de tecnologia especializada em tarifas de eletricidade, feito a pedido da Folha. Na média, as distribuidoras do Nordeste terão a maior alta, de 3,09%, seguidas pelas do Centro-Oeste (2,13%) e do Sudeste (0,94%). No Sul e no Norte, a expectativa é de retração na conta, de -2,58% e -5,03%, respectivamente.

  • Ajuste do salário mínimo deve ser menor do que o previsto pelo Orçamento

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Lara Ferreira

    21/12/2018 - 21:00

    O valor deve ficar abaixo de R$ 1.006; atualmente chega a R$ 954

    O presidente Michel Temer pode editar na próxima semana o decreto com a definição do valor do salário mínimo para o próximo ano. De acordo com o Estadão/Broadcast, o valor deve ficar abaixo do que foi aprovado pelo Orçamento, que seria a quantia de R$ 1.006. Atualmente, o salário mínimo é de R$ 954. Uma fonte do governo disse ao Estadão que a inflação superou expectativas nos últimos meses e a correção pode ficar menor que o inicialmente planejado.

  • Petrobras anuncia aumento de 0,7% no preço médio do diesel

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Lara Ferreira

    15/12/2018 - 12:00

    Mudança passa a valer a partir de amanhã

    A Petrobras anunciou ontem (14) que vai aumentar em 0,7% o preço médio do diesel vendido por suas refinarias a partir de amanhã (16), no dia de início da última etapa do programa de subvenção do governo federal. O aumento é reflexo das mudanças anunciadas também ontem pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis no preço tabelado do programa de subvenção. A ANP reduziu o preço no Norte e Nordeste, mas elevou nas outras regiões. O programa de subvenção, que tem fim no última dia do ano, foi criado em maio para encerrar a greve dos caminhoneiros, garantindo ressarcimento de até R$ 0,30 por litro a empresas que vendam o diesel ao preço tabelado pelo governo.

  • ONS avalia manter bandeira verde na conta de luz por longo período

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Daniel Brito

    07/12/2018 - 07:30

    Para o diretor-geral, Luiz Eduardo Barata, o volume de chuva no Brasil é, atualmente, considerado satisfatório por abastecer as principais bacias

    O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, disse hoje (6) que o volume de chuva no Brasil é, atualmente, considerado satisfatório por abastecer as principais bacias e que, por isso, a bandeira tarifária verde deve permanecer por um longo período. Segundo ele, as expectativas para o início do ano que vem são positivas. "Estamos terminando este ano com condições muito melhores do que terminamos o ano passado. Então nossa expectativa é muito positiva, mesmo. Está entrando na transmissão de energia, as coisas estão caminhando bem", disse. As bandeiras tarifárias foram criadas para esclarecer o custo da geração de energia produzida no Brasil. O sistema é formado por bandeiras nas cores verde, amarela e vermelha (patamares 1 e 2). No primeiro, o valor extra nas contas de luz é de R$ 3,00 a cada 100 kWh (quilowatt-hora). Já no segundo, o valor chega a R$ 5,00. Na sexta-feira passada (30), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) disse que a bandeira tarifária para dezembro será a verde, que não cobra custo adicional nas contas de luz. 

  • ANP cobra justificativa de distribuidoras sobre alto preço de combustíveis

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Lara Ferreira

    27/11/2018 - 18:30

    Os postos não estão acompanhando as quedas de valor nas refinarias da Petrobras

    A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) cobrou esclarecimento das principais distribuidoras para entender porque a queda dos preços dos combustíveis nas refinarias da Petrobras não reflete no valor para o consumidor final. O prazo de resposta é de 15 dias. Dados da ANP mostram que o litro da gasolina vendido pela Petrobras caiu R$ 0,46 do dia 18 de setembro até a semana passada, mas nos postos a redução foi de apenas R$ 0,04. Comparando os últimos dois meses, o preço do combustível nas refinarias apresentou queda de R$ 0,51%, mas o consumidor só viu reduzir R$ 0,10 nas bombas.

  • Petrobras anuncia novo corte e gasolina alcança menor valor nas refinarias desde o ano passado

    Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia
    Por Lara Ferreira

    26/11/2018 - 17:00

    Preço nos postos, no entanto, não acompanha as reduções consecutivas

    A Petrobras anunciou hoje (26) que vai reduzir mais uma vez o preço da gasolina nas refinarias. A partir de amanhã (27), o produto passa a custar R$ 1,5007 por litro, o que equivale ao menor valor desde outubro do ano passado, levando em consideração a correção pela inflação. Desde o dia 22 de setembro, quando houve recuo da taxa de câmbio às vésperas do primeiro turno das eleições, o preço da gasolina nas refinarias da Petrobras já caiu 34%. Considerando a inflação, a última vez que o litro da gasolina esteve abaixo de R$ 1,50 foi no dia 24 de outubro do ano passado. Essa será a 17ª queda consecutiva de preço, acompanhando os cortes nas cotações internacionais do petróleo, mas o preço nos postos de gasolina não segue a redução das refinarias. De acordo com a ANP, a parte que fica com os estabelecimentos cresceu 27% entre 22 de setembro e 16 deste mês. Ao mesmo tempo, o valor nas bombas caiu apenas 1,75%. 

  • Sindicato diz que aumento de ICMS pode impactar no preço da gasolina e do diesel

    Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia
    Por Rodrigo Daniel Silva

    13/11/2018 - 19:30

    De acordo com o presidente do Sindicombustíveis, Walter Tannus, os preços dos combustíveis estão caindo na Petrobras, na distribuidora e, consequentemente, nas bombas

    O preço de pauta dos combustíveis, que serve de base de cálculo para cobrança do ICMS, sofreu aumento na Bahia, possibilitando um impacto no preço da gasolina e do diesel para o consumidor. Em publicação ontem no Diário Oficial da União (DOU), o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) divulgou o ato Cotepe nº 21, alterando o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) da gasolina C, diesel S10 e diesel S500. A mudança será válida a partir da próxima sexta-feira (16). O preço de pauta da gasolina passará de R$ 4,6800 para R$ 4,7900; o diesel S10 de R$ 3,5500 para R$ 3,7100; e o preço do diesel S500 será reajustado de R$ 3,4500 para R$ 3,6600. De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energia Alternativa e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis Bahia), Walter Tannus, os preços dos combustíveis estão caindo na Petrobras, na distribuidora e, consequentemente, nas bombas. "Já houve um aumento do ICMS em agosto e, aliado à queda do consumo, fica cada dia mais difícil os revendedores manterem o negócio aberto", declarou. O setor de combustíveis é responsável por aproximadamente 24% da arrecadação de ICMS do Estado da Bahia e os percentuais da alíquota do tributo são de 28% para a gasolina, 19% sobre o etanol e 18% para o óleo diesel. Somente o ICMS, a partir de sexta-feira, representará no custo da gasolina R$ 1,3412 por litro, no diesel S10, R$ 0,6678 por litro, e no S500, R$ 0,6588.

  • Economistas propõem a Bolsonaro fim da estabilidade e maior flexibilidade no serviço público

    Por Juliana Rodrigues

    13/11/2018 - 12:30

    Medidas ajudariam a reequilibrar as contas públicas, de acordo com profissionais

    Um grupo de mais de 200 economistas brasileiros propõe ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) o fim parcial da estabilidade no serviço público e a criação de mecanismos de exoneração em caso de piora no desempenho. O objetivo seria ajudar a reequilibrar as contas públicas. De acordo com a agência Reuters, em um documento com quase cem páginas, publicado ontem (12), os profissionais também citaram outras medidas de endurecimento, a exemplo da desvinculação de qualquer despesa ao salário mínimo e a eliminação dos pisos de gasto em todos os níveis.

  • Aneel lança aplicativo para ajudar consumidor a entender conta de luz

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Daniel Brito

    12/11/2018 - 19:00

    Disponível nas plataformas Android e iOS, a novidade entrará em funcionamento a partir de amanhã (13)

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai lançar amanhã (13) um aplicativo para aparelhos celulares com objetivo de ajudar o consumidor a entender o cálculo das tarifas da conta de luz. Segundo a autarquia, o objetivo do aplicativo é simplificar o atendimento e dar mais transparência sobre a cobrança das tarifas. No Aneel Consumidor, disponível para os sistemas operacionais Android e iOS, o consumidor poderá usar simulações interativas para conhecer o funcionamento dos itens que compõem o valor da fatura de energia de clientes residenciais. “Os cálculos de tarifa disponíveis levam em conta a realidade de cada distribuidora, a ser selecionada pelo usuário, a Bandeira Tarifária em vigor, mas não incluem impostos como ICMS, PIS/Cofins e taxa de iluminação pública”, informou a agência através de nota. Além de explicar sobre a conta, a novidade facilita o registro e acompanhamento de Solicitações de Ouvidoria (reclamações, sugestões, elogio e denúncias) e apresenta orientações sobre os principais procedimentos relacionados ao fornecimento de energia, contanto, ainda, com informações gerais sobre o setor elétrico.

  • 15 milhões de famílias passaram a enfrentar crises financeiras este ano

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Lis Grassi

    11/11/2018 - 11:00

    Segundo levantamento, 27 milhões de lares sofrem com desemprego, inadimplência e dificuldades orçamentárias

    Pesquisa 360º Consumer View revela que cerca de 15 milhões de famílias entraram em crise neste ano, enfrentando desemprego, inadimplência e dificuldades orçamentárias. O levantamento é realizado anualmente pela Nielsen, empresa que estuda consumidores em mais de 100 países. Com esses dados, o total de domicílios impactados pela crise subiu para 27 milhões em 2018, pouco mais da metade do universo total de 53 milhões de famílias pesquisadas. Ao mesmo tempo, os números também mostram que 12 milhões de famílias saíram da crise neste ano. Outros 14 milhões de domicílios se mostraram imunes às turbulências financeiras.