BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • Aplicativo para informal ganhar auxílio de R$ 600 já está disponível

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    Por Juliana Rodrigues

    07/04/2020 - 08:30


    Cadastramento poderá ser feito mesmo que o usuário não tenha crédito no celular.

    BRASIL

    - O governo federal anunciou hoje (7) que está disponível para download o aplicativo para celulares que será usado para cadastrar informais que têm direito a receber auxílio de R$ 600. Chamado "Auxílio Emergencial", o auxílio está disponível nas lojas virtuais e pode ser baixado gratuitamente. O cadastramento poderá ser feito mesmo que o usuário não tenha crédito no celular. Além do aplicativo, ainda será possível fazer o cadastramento por meio do site auxilio.caixa.gov.br. Quem não tem condições de fazer o cadastramento pelo celular ou computador ainda poderá fazer isso em uma agência da Caixa ou uma lotérica. No entanto, os beneficiários devem dar preferência para a inscrição digital, a fim de evitar aglomerações nas agências e lotéricas.

  • Ministério da Educação autoriza formatura antecipada para estudantes de medicina

    Foto: Erwin Jacob Miciano | US Navy Foto: Erwin Jacob Miciano | US Navy
    Por Matheus Simoni

    06/04/2020 - 10:00


    Segundo a portaria, a colação de grau pode ser antecipada aos alunos que tenham completado a 75% da carga horária de estágio supervisionado ou internato médico

    BRASIL

    O Ministério da Educação (MEC) autorizou hoje (6) a formatura antecipada dos estudantes de medicina, enfermagem, farmácia e fisioterapia que estão no último período do curso. A medida servirá exclusivamente para atuação nas ações de combate contra o coronavírus. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira. A medida tem validade para instituições federais e particulares. Segundo a portaria, a colação de grau pode ser antecipada aos alunos que tenham completado a 75% da carga horária de estágio supervisionado ou internato médico. A complementação desses horários de estágio será realizado com período trabalhado em função da pandemia do coronavírus para conseguirem o registro profissional definitivo. Segundo a decisão, "a atuação dos profissionais é de caráter relevante e deverá ser bonificada, uma única vez, com o acréscimo de dez por cento na nota final do processo de seleção pública para o ingresso nos programas de residência". Caberá ao Ministério da Saúde a seleção e alocação dos profissionais que vão atuar no combate ao coronavírus.

  • 'Todo mundo vai ter contato com o vírus’, diz Ministério da Saúde

    Foto: Marcello Casal Jr | Agência Brasil Foto: Marcello Casal Jr | Agência Brasil
    Por Kamille Martinho

    05/04/2020 - 16:30


    O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, declarou que, na prática, a situação só tende a cair quando a maior parte da população criar imunidade

    BRASIL

    - O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, afirmou que a contaminação de toda a população pelo novo coronavírus é inevitável. A questão é a velocidade em que isso vai ocorrer, para que todos aqueles que precisarem de apoio médico, possam encontrar a estrutura necessária. Gabbardo declarou que, na prática, a situação só tende a cair quando a maior parte da população criar imunidade. “Eu já tive? Estou imunizado. Entro em contato com outro, não transmito. Isso vai acontecer lentamente. O fluxo só reduz quando tem 50% das pessoas já imunizadas”, disse o secretário. “Isso vai deixar de existir quando nós tivermos uma vacina. Agora, o que a gente procura fazer é que essa transmissão ocorra numa velocidade baixa, para que a gente possa ter tempo para tratar isso”, completou.

  • 'O senhor que me demita', diz Mandetta em briga com Bolsonaro por telefone

    Foto: Se?rgio Lima | Poder360 Foto: Se?rgio Lima | Poder360
    Por Juliana Rodrigues

    03/04/2020 - 17:00


    Durante a ligação, o presidente teria dito ao ministro da Saúde que ele deveria pedir demissão e deixar o governo

    BRASIL

    - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, narrou a Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, durante jantar na noite de ontem (3), o tenso diálogo que travou com o presidente Jair Bolsonaro pelo telefone, de acordo com a coluna Radar, da revista Veja. Durante a ligação, o presidente teria dito ao ministro da Saúde que ele deveria pedir demissão e deixar o governo. Mandetta rebateu de pronto: “O senhor que me demita, presidente”. A partir desse momento, a conversa teria esquentado ainda mais, ao ponto de o ministro da Saúde recomendar ao presidente que ele se responsabilizasse sozinho pelas mortes causadas pelo coronavírus, que já infectou 8.230 brasileiros e matou 343 pessoas. Apesar da tensa discussão, Mandetta trabalha normalmente nesta sexta.

  • Datafolha: aprovação de Mandetta dispara e é mais que o dobro da de Bolsonaro

    Foto: Isac Nóbrega | PR Foto: Isac Nóbrega | PR
    Por Matheus Simoni

    03/04/2020 - 14:30


    Levantamento ouviu 1.511 pessoas por telefone, para evitar contato pessoal, e tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou menos

    BRASIL

    - A condução do ministro da Saúde, Henrique Mandetta, é aprovada pela ampla maioria dos brasileiros e antagoniza diretamente com as falas do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), segundo pesquisa divulgada hoje (3) pelo instituto Datafolha feita de quarta (1º) até esta sexta-feira. O levantamento ouviu 1.511 pessoas por telefone, para evitar contato pessoal, e tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou menos. Na pesquisa anterior, feita de 18 a 20 de março, a pasta conduzida por Luiz Henrique Mandetta tinha uma aprovação de 55%. Agora, o número saltou para 76%, enquanto a reprovação caiu de 12% para 5%. Foi de 31% para 18% o número daqueles que veem um trabalho regular da Saúde. Já Bolsonaro teve reprovação na emergência sanitária e viu os índices subirem de 33% para 39%, crescimento no limite da margem de erro. A aprovação segue estável (33% ante 35%), assim como a avaliação regular (26% para 25%). Nesta semana, Mandetta e Bolsonaro trocaram farpas públicas nesta semana. O presidente disse que responsável pela pasta que cuida do enfrentamento do coronavírus no país está faltando humildade para saber escutá-lo. Em resposta, o ministro declarou que"quem tem mandato popular fala, e quem não tem, como eu, trabalha". Confira os detalhes da pesquisa.

  • Depois de anunciar sanção, Bolsonaro diz que espera MP para oficializar auxílio de R$ 600

    Foto: Isac Nóbrega | PR Foto: Isac Nóbrega | PR
    Por Luciana Freire

    02/04/2020 - 20:00


    O presidente afirma que sancionou o projeto, mas o texto ainda não foi publicado no "Diário Oficial da União"

    BRASIL

    - O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (2) que vai enviar uma medida provisória (MP) para o Congresso antes de publicar a sanção do auxílio de R$ 600 mensais para trabalhadores informais, que tem o objetivo de amenizar os efeitos da pandemia. Bolsonaro afirmou que sancionou o projeto, aprovado pelo Congresso ontem (1º). Mas o texto ainda não foi publicado no "Diário Oficial da União". "Assinei ontem [quarta], estava aguardando outra medida provisória, porque não adianta dar um cheque sem fundo. Tem que ter o crédito também", afirmou. De acordo com o presidente, ele quer que a MP garanta a legalidade do gasto extra. "Uma canetada minha errada é crime de responsabilidade, dá para vocês entenderem isso? Vocês querem que eu cave minha própria sepultura? Vocês querem que eu cave minha própria sepultura? Não vou dar esse prazer para vocês", completou o presidente, se dirigindo a jornalistas. No entanto, analistas afirmam que não é necessária a MP para liberar os pagamentos. Em momentos de calamidade gastos extras estão autorizados. O estado de calamidade já foi pedido pelo governo e reconhecido pelo Congresso.

  • Bolsonaro diz que falta humildade a Mandetta e afirma que ‘nenhum ministro é indemissível’

    Foto: Divulgação | Governo do Brasil Foto: Divulgação | Governo do Brasil
    Por João Brandão

    02/04/2020 - 20:00


    O ministro defende o isolamento completo para evitar a propagação do vírus, já o presidente pede o isolamento vertical, ou seja, manter apenas os idosos isolados

    BRASIL

    - O presidente Jair Bolsonaro criticou hoje (2) o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, durante entrevista à Rádio Jovem Pan. Bolsonaro disse que responsável pela pasta que cuida do enfrentamento do coronavírus no país está faltando humildade para saber escutá-lo. “Mandetta já sabe que a gente está se bicando há algum tempo. Não pretendo demiti-lo no meio da guerra. É uma pessoa que em algum momento extrapolou. Tem uma hierarquia entre nós. Sempre respeito todos os ministros. Ele montou o ministério de acordo com sua vontade, espero que ele dê conta do recado. Nenhum ministério é indemissível”, afirmou. Bolsonaro reforçou que o ministro “precisa ouvir mais um pouco presidente da República”. “Não tem nenhum problema com Guedes. Agora, o Mandetta quer fazer valer a vontade dele. Possa ser que esteja certo”, completou. Mandetta e Bolsonaro entraram em rota de coalizão durante a pandemia do coronavírus no Brasil. O ministro defende o isolamento completo para evitar a propagação do vírus, já o presidente pede o isolamento vertical, ou seja, manter apenas os idosos isolados.

  • Dia Mundial de Conscientização do Autismo tem como tema 'Respeito para todo o espectro'

    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia
    02/04/2020 - 14:30


    A data foi criada com objetivo de propagar informações para a população sobre o autismo e assim reduzir a discriminação e o preconceito

    BRASIL

    - Nesta quinta-feira, 02 de abril, celebra-se oficialmente o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. A data foi criada com objetivo de propagar informações para a população sobre o autismo e assim reduzir a discriminação e o preconceito que ainda cercam as pessoas afetadas por esta síndrome neuropsiquiátrica que atinge mais de 70 milhões de pessoas no mundo. Os transtornos do espectro autista (TEA) englobam uma série de diferentes apresentações do quadro, mas tem em comum uma limitação na comunicação ou interação social, além de um comportamento restritivo e repetitivo. Neste ano, o tema da campanha é “Respeito para todo o espectro”, para celebrar a data, usando a hashtag #RESPECTRO nas redes sociais, para chamar a atenção aos seguintes pontos: respeito nas políticas públicas (quase inexistentes no país), respeito no tratamento e terapias por meio do SUS (sem previsão do mínimo aceitável), respeito na inclusão no mercado de trabalho, na educação, em eventos, na sociedade de um modo geral e, logicamente, mais informação e menos preconceito. Vários eventos, palestras e caminhadas são realizadas em alusão à data, em todo o Brasil. O maior deles em 2019 foi a caminhada na Avenida Paulista, que reuniu mais de dez mil pessoas em prol da causa. 

  • Lei do auxílio de R$ 600 a trabalhadores informais é sancionada com três vetos; veja quais

    Foto: Marcos Corrêa | PR Foto: Marcos Corrêa | PR
    Por Juliana Rodrigues

    02/04/2020 - 08:30


    Pontos retirados serão analisados pelo Congresso, que pode derrubar trechos em definitivo ou restaurar a validade dessas regras

    BRASIL

    - A lei que estabelece o auxílio de R$ 600 mensais a trabalhadores informais foi sancionada ontem (1º) pelo presidente Jair Bolsonaro com vetos a três itens. Segundo o Planalto, esses vetos foram orientados pelos ministérios da Economia e da Cidadania. Os pontos retirados serão analisados pelo Congresso, que pode derrubar os trechos em definitivo ou restaurar a validade dessas regras. A norma ainda precisa ser publicada no Diário Oficial da União. O principal trecho vetado é o que garantia, na nova lei, a ampliação do Benefício de Prestação Continuada (BPC) definida pelo Congresso no início de março. Essa ampliação, segundo o governo federal, tem impacto de R$ 20 bilhões ao ano nas contas públicas. Outro dispositivo aprovado pelo Congresso e vetado por Bolsonaro cancelava o auxílio emergencial do beneficiário que, ao longo dos três meses, deixasse de atender aos pré-requisitos. O governo alega que esse ponto "contraria o interesse público" e gera um esforço desnecessário de conferência, mês a mês, de todos os benefícios que estarão sendo pagos. O Planalto também vetou uma regra que restringia o tipo de conta bancária onde o auxílio poderia ser depositado. Pelo texto aprovado, o benefício só poderia ser pago em "conta do tipo poupança social digital, de abertura automática em nome dos beneficiários", criada para receber recursos exclusivos de programas sociais, do PIS/Pasep e do FGTS.

  • Brasil tem ao menos 23 mil testes de coronavírus à espera do resultado

    Foto: Reprodução | Marco Santos Foto: Reprodução | Marco Santos
    Por Juliana Rodrigues

    02/04/2020 - 08:00


    Levantamento do portal G1 aponta que número é mais que o triplo do total de casos confirmados

    BRASIL

    - O Brasil tem ao menos 23,6 mil testes do novo coronavírus ainda à espera do resultado, segundo levantamento do portal G1. Esse número equivale a 3,4 vezes o total de casos confirmados (6,9 mil) no balanço das Secretarias de Saúde, atualizado às 7h40 de hoje (2). As Secretarias de Saúde de todos os Estados e do Distrito Federal foram procuradas, mas apenas dez responderam: Acre, Alagoas, Amapá, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e São Paulo. Neste último Estado, que registra o maior número de casos confirmados (2.981), há 16 mil testes à espera do resultado. Do total de exames recebidos pelo Instituto Adolfo Lutz na semana passada, apenas 0,4% foi processado e liberado.

  • Número de casos de COVID-19 crescerá ‘muito’ semana que vem, diz Mandetta

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por João Brandão

    01/04/2020 - 20:15


    O ministro também falou que o mesmo acréscimo nas estatísticas vai servir para o número de mortes

    BRASIL

    - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou na noite de hoje (1°), durante coletiva, que a população verá “muitos casos confirmados” da COVID-19 até o fim da semana que vem. Portanto, segundo ele, a taxa de letalidade vai diminuir. Mandetta também disse que há subnotificação dos registros, que vão “subir muito”. “Hoje o número de casos confirmados está muito menor do que o número de casos que está circulando na nossa sociedade. O que aumenta –e muito– a necessidade de termos mais cuidado para segurar [a movimentação]. Não é lockdown o que o Brasil fez. O Brasil fez uma diminuição da atividade, mas não fez lockdown. O que a gente vê é muita gente trabalhando. Agora, precisa redobrar o esforço”, afirmou. O ministro também falou que o mesmo acréscimo nas estatísticas vai servir para o número de mortes. Segundo ele, há “em torno de 200 [óbitos] aguardando a rodagem da testagem”.

  • Governo anuncia R$ 200 bi para socorrer trabalhadores e empresas

    Foto: Marcello Casal jr | Agência Brasil Foto: Marcello Casal jr | Agência Brasil
    Por Kamille Martinho

    01/04/2020 - 14:30


    O governo federal também vai transferir R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados e dos municípios

    BRASIL

    - O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (1º) cerca de R$ 200 bilhões em medidas para socorrer trabalhadores e empresas e ajudar estados e municípios no enfrentamento aos efeitos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. As informações são da Agência Brasil. Em pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto, Bolsonaro explicou que, de hoje para amanhã, serão editadas três medidas provisórias (MP) e sancionado o projeto que prevê o auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais, autônomos e sem renda fixa. Ao lado do presidente, o ministro da Economia, Paulo Guedes explicou que esse auxílio custará R$ 98 bilhões aos cofres públicos e deve beneficiar 54 milhões de brasileiros. De forma que eles tenham recursos nos próximos três meses para enfrentar a primeira onda de impacto, que é a onda da saúde. "Há uma outra onda vindo de desarticulação econômica que nos ameaça”, disse. O governo federal também vai transferir R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados e dos municípios. “É para reforçar essa luta no front, onde o vírus está atacando, os sistemas de saúde e segurança”, explicou Guedes.

  • Cemitérios de São Paulo têm ao menos 30 enterros por dia de mortos com suspeita de Covid-19

    Foto: Yan Boechat | Folhapress Foto: Yan Boechat | Folhapress
    Por Juliana Rodrigues

    01/04/2020 - 12:30


    Segundo a Folha, em muitos casos, pessoas são enterradas sem o diagnóstico oficial da doença

    BRASIL

    - Os cemitérios públicos da cidade de São Paulo recebem diariamente entre 30 a 40 corpos de pessoas que morreram com suspeita de estarem contaminadas pelo novo coronavírus, mas não tiveram a condição confirmada pelo teste laboratorial. A informação é da Folha. Devido ao atraso do Instituto Adolfo Lutz em disponibilizar os resultados dos testes de comprovação da doença, a imensa maioria desses mortos não é contabilizada no balanço do Ministério da Saúde como óbitos decorrentes da Covid-19. Em quase todos os casos, os médicos que assinam os boletins de óbito, fundamentais para a permissão do sepultamento, apontam suspeita de Covid-19 e apontam que aguardam os resultados de exames para comprovar a causa da morte. Das 201 mortes pela doença registradas oficialmente no país até ontem (31), 121 foram contabilizadas em São Paulo, sendo que 79 delas ocorreram na rede de hospitais particulares Sancta Maggiore. Porém, quase todos os corpos que estão chegando nos cemitérios públicos vêm do sistema público de saúde, que, diferentemente da rede particular, depende exclusivamente do Instituto Adolfo Lutz para o processamento dos testes de Covid-19. A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, assim como o Serviço Funerário Municipal da capital, se recusam a informar o número total de pessoas que morreram e foram enterradas como casos suspeitos de Covid-19. Os dois órgãos afirmam que os números são internos e não serão divulgados enquanto os casos não forem confirmados pelos exames.

  • 'Bolsonaro está louco', afirma líder dos caminhoneiros

    Foto: Reprodução | Facebook Foto: Reprodução | Facebook
    Por Juliana Almirante

    01/04/2020 - 12:00


    Antes apoiador do presidente, Wanderlei Alves criticou Bolsonaro por agir contra o isolamento social e se omitir de dar suporte ao trabalho feito pela categoria

    BRASIL

    - A liderança nacional dos caminhoneiros Wanderlei Alves, conhecido como Dedeco, criticou presidente Jair Bolsonaro por agir contra o isolamento social e se omitir de dar suporte ao trabalho feito pela categoria. Em entrevista ao Valor, ele questionou a sanidade do mandatário. “Bolsonaro está louco. Não tem outra explicação para o comportamento dele”, afirma Dedeco. “Não se pode salvar a economia empilhando corpos. Como assim ele diz que só idosos morre de coronavírus? ‘Só’ idoso? A vida do idoso vale menos?”, completou. Wanderlei Alves está com pneumonia e testou negativo para a Covid-19. O caminhoneiro foi umas lideranças da greve de 2018, que parou o país por 10 dias. Em abril do ano passado, Dedeco conquistou espaço no Planalto em meio a negociações para evitar uma nova paralisação e liderou o apoio de caminhoneiros em todo o país em maio do ano passado a manifestações pró-governo. O rompimento com o governo veio com a crise do coronavírus, nas últimas duas semanas.

  • Diferentemente de vídeo compartilhado por Bolsonaro, Ceasa de BH não registra desabastecimento

    Foto: Reprodução | Facebook Foto: Reprodução | Facebook
    Por Juliana Almirante

    01/04/2020 - 11:00


    Vídeo compartilhado por Bolsonaro teria sido gravado no sábado, dia que já tem movimento mais fraco na Ceasa

    BRASIL

    - A Ceasa de Belo Horizonte não registra qualquer desabastecimento hoje (1º), de acordo com a CBN. O cenário é diferente do mostrado em um vídeo pelo presidente Jair Bolsonaro, que mostra a suposta falta de abastecimento no local. O repórter da CBN Pedro Bohnenberger, da CBN, foi ao local às 8h13, pouco depois da publicação do presidente. Os feirantes informaram que o vídeo compartilhado por Bolsonaro teria sido gravado no sábado, dia que já tem movimento mais fraco na Ceasa. Hoje o movimento na centro de abastecimento é intenso. De acordo com os produtores, as vendas até aumentaram durante a pandemia, porque tem gente que acabou comprando mais nos supermercados com o medo do desabastecimento. O presidente usou o vídeo para fazer, mais uma vez, críticas a governadores e prefeitos em relação às medidas de restrição para evitar a propagação do novo coronavírus. "Não é um desentendimento entre o Presidente e ALGUNS governadores e ALGUNS prefeitos.São fatos e realidades que devem ser mostradas", declarou o presidente, na legenda do vídeo que mostra situação diferente da que foi encontrada hoje pela reportagem.

  • Em novo pronunciamento, Bolsonaro muda o tom e não critica isolamento social

    Foto: Divulgação | PR Foto: Divulgação | PR
    Por Juliana Almirante

    01/04/2020 - 07:00


    Declaração mais recente foi diferente da que ele fez no último dia 24, em que ele chegou a pedir na TV a “volta à normalidade”

    BRASIL

    - No quarto pronunciamento sobre a crise do coronavírus, ontem (31), o presidente da República, Jair Bolsonaro, mudou o tom e não criticou o isolamento como forma de conter a pandemia. A declaração mais recente foi diferente da que ele fez no último dia 24, em que ele chegou a pedir na TV a “volta à normalidade” e também o fim do “confinamento em massa”. O presidente disse estar preocupado com a vida e também com a manutenção dos empregos. “Minha preocupação sempre foi salvar vidas. Tanto as que perderemos pela pandemia como aquelas que serão atingidas pelo desemprego, violência e fome. Me coloco no lugar das pessoas e entendo suas angústias. As medidas protetivas devem ser implementadas de forma racional, responsável e coordenada”, disse. Assista o pronunciamento na íntegra:

  • Estão abertas as inscrições para o Concurso Jovem Aprendiz Correios 2020

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    31/03/2020 - 15:00


    Os interessados em participar do concurso Jovem Aprendiz Correios 2020 podem se inscrever de 31 de março de 2020 até 30 de abril de 2020

    BRASIL

    - A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos abriu as inscrições do processo seletivo que oferece um total de 4.462 vagas, além da formação de cadastro de reserva. Todas as oportunidades disponíveis no processo seletivo destinam-se ao Programa de Aprendizagem de Assistente Administrativo ou Assistente de Logística, conforme a distribuição por localidade. Os Aprendizes receberão pelos serviços prestados um salário mínimo-hora, além de vale-transporte compartilhado, vale-refeição ou alimentação compartilhado em 5% e uniforme (camiseta). Os interessados em participar do concurso Jovem Aprendiz Correios 2020 podem se inscrever de 31 de março de 2020 até 30 de abril de 2020 por meio da pagina oficial da empresa.

  • Governo pede que STF derrube decretos de BA, GO, PR, RJ e SC que restringiram transportes

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Juliana Almirante

    30/03/2020 - 11:00


    Advocacia Geral da União diz que medidas podem causar desabastecimento e que cabe à União legislar sobre trânsito e transportes

    BRASIL

    - O governo federal quer que o Supremo Tribunal Federal (STF) derrube decretos estaduais que restringiram o tranporte intermunicipal e/ou interestadual na Bahia, em Goiás, no Paraná, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina. As medidas foram tomadas como tentativa de conter a propagação do coronavírus. Neste fim de semana, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Advocacia Geral da União (AGU) enviaram manifestações ao STF endossando pedido feito ao tribunal pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Na semana passada, a CNT apresentou uma ação pedindo a suspensão dos decretos, argumentando que os governos locais criaram regras que "determinam, de forma desarrazoada e sem embasamento científico e técnico" o fechamento das fronteiras interestaduais e intermunicipais. No sábado (28), a ANTT enviou um parecer ao Supremo no qual diz ter levantado cinco decretos estaduais que considera ilegais por terem suspendido total ou parcialmente os serviços de transporte. No entendimento do órgão regulador, cabe à União legislar sobre transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros, e a suspensão dos serviços seria "inconstitucional". Ontem (29), a AGU enviou parecer ao Supremo no qual concordou com a ANTT e afirmou que o governo federal já decretou uma série de medidas de proteção à sociedade. O governo avalia que ações pontuais dos estados podem causar desabastecimento, inclusive, de materiais hospitalares.

  • Em 84% das mortes por Covid-19 no Brasil, o paciente tinha doenças preexistentes

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por Juliana Rodrigues

    29/03/2020 - 19:00


    Doenças cardíacas e diabetes foram as doenças associadas mais frequentes — estavam presentes em 71 e 50 pessoas que morreram, respectivamente. Em seguida, aparecem as pneumopatias (22) e doença neurológica (12)

    BRASIL

    - O balanço do Ministério da Saúde divulgado hoje (29) mostra que 84% das mortes no Brasil por coronavírus são de pessoas com ao menos um fator de risco, como doenças preexistentes. Doenças cardíacas e diabetes foram as doenças associadas mais frequentes — estavam presentes em 71 e 50 pessoas que morreram, respectivamente. Em seguida, aparecem as pneumopatias (22) e doença neurológica (12). Os dados da Saúde levam em conta 120 dos 136 óbitos registrados no país. Os 16 casos não analisados ainda estão em investigação dos técnicos da pasta. O número de mortes de Covid associados a quadro de doenças pré-existentes é de 100 dentro do universo observado.

  • Bolsonaro diz ter vontade de baixar decreto para população poder trabalhar

    Foto: Reprodução | Agência Brasil Foto: Reprodução | Agência Brasil
    Por João Brandão

    29/03/2020 - 16:28


    Questionado se o texto já estava em estudo, Bolsonaro afirmou que havia acabado de pensar na ideia, enquanto falava com jornalistas na porta do Palácio da Alvorada

    BRASIL

    - O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (29) estar com "vontade" de fazer um decreto para liberar todas as atividades. "Eu estou com vontade, não sei se eu vou fazer, de baixar um decreto amanhã: toda e qualquer profissão legalmente existente ou aquela que é voltada para a informalidade, se for necessária para levar o sustento para os seus filhos, para levar leite para seus filhos, para levar arroz e feijão para casa, vai poder trabalhar", afirmou. Questionado se o texto já estava em estudo, Bolsonaro afirmou que havia acabado de pensar na ideia, enquanto falava com jornalistas na porta do Palácio da Alvorada. "Alguns querem que eu me cale. 'Ah, siga os protocolos, quantas vezes o médico não segue o protocolo? Por que que ele não segue? Porque tem que tomar decisão naquele momento. Eu mesmo, quando fui operado em Juiz de Fora, se fosse seguir todos os protocolos, fazer todos os exames, morrido", disse.