BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

  • Concurso da Polícia Federal: Saiu edital com 500 vagas

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    15/06/2018 - 07:00

    Foi finalmente publicado, nesta sexta-feira (15), o edital do aguardado concurso público da Polícia Federal (PF). O concurso da PF contará com uma oferta de 500 vagas, sendo 150 para o cargo de delegado, 60 para perito criminal, 80 para escrivão, 30 para papiloscopista e 180 para agente. As inscrições terão início na próxima terça-feira (19) e o atendimento vai até 2 de julho. Elas poderão ser feitas somente pela internet, na página eletrônica da organizadora do certame, o Cebraspe (www.cespe.unb.br). As taxas serão de R$ 180 para os cargos de perito, escrivão, papiloscopista e agente e R$ 250 para delegado. A aplicação das provas objetivas está marcada para ocorrer em 19 de agosto, em horário e locais que serão informados, oportunamente, pela comissão de organizadores do concurso da PF. Para concorrer aos cargos de agente, papiloscopista e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para perito, nível superior em áreas específicas, e para delegado, superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados na data da posse. Para todos os cargos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse.

  • Concurso da PF: Edital será assinado nesta quarta-feira (13)

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    13/06/2018 - 15:00

    O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse, em entrevista coletiva, que vai assinar nesta quarta-feira (13), o edital de abertura de inscrições do aguardado concurso público da Polícia Federal (PF). Com isto, a publicação do documento deve ocorrer já na quinta-feira (14). "Hoje estarei assinando o edital que vai abrir o concurso para 500 vagas da Polícia Federal", disse. Segundo informações da banca da seleção, o Cebraspe, as inscrições  terão início ainda neste mês, com prazo até meados de julho. A aplicação das provas objetivas está prevista para ocorrer em agosto. O concurso da PF contará com uma oferta de 500 vagas, sendo  150 para o cargo de delegado, 60 para perito criminal, 80 para escrivão, 30 para papiloscopista e 180 para agente.

  • Um em cada três brasileiros defende intervenção militar, diz pesquisa do governo

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    05/06/2018 - 09:00

    Em meio ao protesto dos caminhoneiros, um em cada três brasileiros defendeu a intervenção militar no Brasil, segundo sondagem foi feita pelo Ibope e entregue à equipe de comunicação do presidente Michel Temer (MDB). A informação é da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo. Outro porcentual equivalente queria a realização de eleições antecipadas, e imediatas, para encerrar com a crise no país. De acordo com a publicação, o Palácio do Planalto monitora as reações à paralisação dos caminhoneiros por meio de pesquisas feitas por telefone.

  • Governo monitora notícias falsas sobre retomada de paralisação

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Yara Aquino

    01/06/2018 - 15:37

    O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse hoje (1°) que os órgãos de inteligência estão atentos a vídeos e notícias falsas que incitam a retomada da paralisação dos caminhoneiros e dizem que o governo não cumpre o acordo. Segundo ele, se for necessário, serão tomadas providências. “No momento certo, se for o caso, haverá ação do governo para que quem estiver incitando de forma infundada inverdades pague a responsabilidade que esse ato porventura decorra. Não vai ficar sem punição quem tentar descaracterizar a verdade dos atos praticados pelo governo”, disse em entrevista coletiva após a reunião do Grupo de Acompanhamento da Normalização do Abastecimento, no Palácio do Planalto. Padilha reforçou que pontos do acordo feito com os caminhoneiros já estão em vigor: a não cobrança de pedágio do eixo suspenso, em vigor desde ontem, a reserva de 30% de frete na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para caminhoneiros autônomos, e a tabela de preço mínimo para o frete. O desconto de R$ 0,46 por litro de óleo diesel deve chegar às bombas de combustível até a próxima segunda-feira (4). O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que a partir de segunda deverão ser fixadas placas nos postos de combustíveis informando o valor cobrado pelo diesel no dia 21 de maio e o valor atual com a redução dos R$ 0,46. Segundo o ministro, será publicada ainda hoje (1º), em uma edição extra do Diário Oficial da União, portaria com as regras para a fiscalização dos preços nos postos de combustíveis. As regras foram anunciadas ontem pelo ministro Eliseu Padilha.

  • Pedro Parente pede demissão da presidência da Petrobras

    Foto : Marcos Corrêa | PR Foto : Marcos Corrêa | PR
    Por Alexandre Galvão

    01/06/2018 - 12:21

    Pedro Parente pediu demissão na manhã de hoje (1º) do cargo de presidente da Petrobras. O comunicado foi divulgado em nota pela empresa, antes mesmo de ser encerrada a reunião do comandante da estatal com o presidente Michel Temer. Ambos estavam reunidos no Palácio do Planalto desde as 11h. “A Petrobras informa que o senhor Pedro Parente pediu demissão do cargo de presidente da empresa na manhã de hoje. A nomeação de um CEO interino será examinada pelo Conselho de Administração da Petrobras ao longo do dia de hoje. A composição dos demais membros da diretoria executiva da companhia não sofrerá qualquer alteração. Fatos considerados relevantes serão prontamente comunicados ao mercado.” Em carta enviada a Temer, Parente diz que o que prometeu "foi entregue", mas admite que a decisão foi causada pelo impacto das "graves consequências" geradas pela greve dos caminhoneiros, a qual considera que foi pautada por um debate "emocional". "Movimentos na cotação do petróleo e do câmbio elevaram os preços dos derivados, magnificaram as distorções de tributação no setor e levaram o governo a buscar alternativas para a solução da greve, definindo-se pela concessão de subvenção ao consumidor de diesel. Tenho refletido muito sobre tudo o que aconteceu. Está claro, Sr. Presidente, que novas discussões serão necessárias. E, diante deste quadro fica claro que a minha permanência na presidência da Petrobras deixou de ser positiva e de contribuir para a construção das alternativas que o governo tem pela frente", reconhece. Leia a íntegra da carta de demissão enviada por Parente ao presidente Michel Temer.

  • CNDL solicita que comerciantes mantenham preços estáveis

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    31/05/2018 - 23:17

    A Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), maior entidade representativa de livre adesão do varejo no Brasil, ciente da dificuldade pontual de abastecimento após uma semana de paralisação do transporte rodoviário de cargas, solicita a seus associados e a todos os comerciantes do país compreensão e solidariedade com a população. Prudência e senso de coletividade são fundamentais neste momento. Reprovamos qualquer iniciativa dos que queiram se aproveitar da preocupação dos brasileiros com o desabastecimento de itens perecíveis para aumentar o preço de produtos, em especial os de primeira necessidade. Mais do que nunca temos que ser cidadãos. Conforme divulgado na semana passada, a CNDL apoia o movimento promovido pelos caminhoneiros. Todos os brasileiros sofrem com o excesso de tributos e isso deve ser um motivo de união entre todos. Após as medidas divulgadas pelo Governo Federal, aguardamos a normalização do abastecimento nos próximos dias. Sejamos conscientes e, acima de tudo, brasileiros. Sobre o Sistema CNDL: Representa cerca 2.000 entidades vinculadas, como as Câmaras de Dirigentes Lojistas e o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), além de 450 mil empresas associadas e mais de 1 milhão de pontos de vendas.

  • Abcam confirma acordo com governo e pede fim da paralisação

    Foto: Reprodução | AFP Foto: Reprodução | AFP
    28/05/2018 - 10:40

    A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) confirmou nesta segunda-feira (28) a assinatura do acordo para pôr fim à paralisação dos caminhoneiros autônomos. O governo federal decidiu congelar por 60 dias a redução do preço do diesel na bomba em R$ 0,46 por litro, valor referente ao que seria a retirada do PIS/Cofins e da Cide sobre esse combustível. Depois desse período, o preço do diesel será ajustado mensalmente. Além disso, a alíquota da Cide sobre o diesel será zerada até o final do ano. “A Abcam considera o acordo assinado uma vitória, já que o anterior previa uma redução de apenas 10% por apenas 30 dias. Entretanto, a associação acredita que até dezembro deste ano o governo encontre soluções para que essa redução seja permanente”, informou a associação, em nota. Ministros que integram o gabinete de crise e representantes da área econômica do governo passaram o dia reunidos, ontem (27), no Palácio do Planalto, para calcular os impactos do acordo, assinado à noite por lideranças dos caminhoneiros autônomos. “Sendo assim, já que o objetivo foi alcançado, a Abcam pede a todos os caminhoneiros que voltem ao trabalho”, diz a nota da entidade. Em mensagem, o presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes, pediu que os caminhoneiros voltem satisfeitos e orgulhosos. “Conseguimos parar este país e sermos reconhecidos pela sociedade brasileira e pelo governo. Nossa manifestação foi única, como nunca ocorreu na história. Seremos lembrados como aqueles que não cederam diante das negativas do governo e da pressão dos empresários do setor. Teremos o reconhecimento da nossa profissão, de que nosso trabalho é primordial para o desenvolvimento deste país. Voltem com a sensação de missão cumprida, mas lembrando que a luta não termina aqui”, disse.

  • Temer anuncia novas medidas para encerrar greve de caminhoneiros

    Foto: Antonio Cruz | Agência Brasil Foto: Antonio Cruz | Agência Brasil
    27/05/2018 - 22:00

    O presidente da República, Michel Temer, anunciou, na noite deste domingo (27), que vai editar três medidas provisórias para tentar pôr fim à greve dos caminhoneiros que já dura 7 dias e provoca desabastecimento em várias partes do país. Temer afirmou que as medidas vão provocar uma redução de R$ 0,46 no preço do litro de óleo diesel. O pacote tem outras medidas. Uma MP vai determinar a suspensão da cobrança do eixo elevado para caminhões em todas as rodoviais. Atualmente a regra tem sido aplicada apenas em rodoviais federais. O governo incluiu ainda uma medida para estabelecer uma tabela mínima para o do frete, assunto que vinha sendo debatido no Congresso. Além disso, uma MP vai reservar 30% dos fretes da Conab para caminhoneiros autônomos. A opção por implementar tudo por Medida Provisória é porque as lideranças dos caminhoneiros afirmam que só aceitam encerrar o movimento com os benefícios entrando em vigor. Na quinta - feira (24), o governo já havia anunciado uma série de medidas para atender às reivindicações dos caminhoneiros e colocar fim à paralisação. O movimento do governo, porém, não surtiu efeito, e os caminhoneiros mantiveram a paralisação.

  • Greve está longe do fim, dizem caminhoneiros

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    27/05/2018 - 19:36

    Pelo tom das conversas, as reivindicações vão além do problema do preço do diesel.

    A greve dos caminhoneiros está longe do fim, dizem motoristas em grupos do WhatsApp, de acordo com o Jornal o Estado de São Paulo. A ordem é manter a paralisação, pelo menos, até terça-feira. Por ora, a maioria concordou em liberar as estradas e continuarem estacionadas em pontos estratégicos. Mas, nas últimas postagens, lideranças dos caminhoneiros começam a organizar novas paralisações a partir de amanhã, às 8 horas. Em vídeo que está circulando nos grupos de WhatsApp, representantes chamam, além dos caminhoneiros, veículos de passeio para parar as BRs. Além disso, uma manifestação em pontos estratégicos das principais capitais também está sendo organizada. Pelo tom das conversas, as reivindicações vão além do problema do preço do diesel. Depois da dimensão que a greve tomou nos últimos dias, os motoristas acreditam que podem mudar o rumo do país. Cada um tem uma tese, mas todos apostam no força do exército como aliada e na intervenção militar como solução para os problemas do país.

  • Greve pode gerar rebelião tributária e tirar Temer do poder, analisa economista

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    27/05/2018 - 09:36

    A declaração foi dada ao jornal Folha de São Paulo.

    O economista e filósofo Eduardo Giannetti afirmou que a greve dos caminhoneiros, que está no sétimo dia e afeta todo o país, pode ser um sinal de rebelião tributária. Esse movimento acontece quando a população reprova a legitimidade para a cobrança de impostos ditada pelo governo. A declaração foi dada ao jornal Folha de São Paulo. Na visão de Giannetti, mais setores estão percebendo a fragilidade do presidente Michel Temer (MDB), o que, segundo ele, pode forçar a saída do emedebista antes das eleições. "Esse desgaste foi muito grande. Não estou prevendo isso, mas não descarto", pontuou. Ele também sinalizou preocupação com a falta de civilidade nas eleições de outubro. 

  • Congelamento de preço do diesel por 60 dias é avaliado pelo governo

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    27/05/2018 - 07:00

    O presidente Michel Temer (MDB) analisa uma nova proposta de acordo para encerrar a greve dos caminhoneiros, que chegou ao sétimo dia neste domingo (27). A informação foi divulgada pelo jornal O Globo. De acordo com o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, será avaliado a garantia de que o desconto no diesel vai chegar na bomba de combustível, a ampliação do preço de 30 para 60 dias e a suspensão do pedágio sobre o eixo suspenso. Um parecer final do governo e de lideranças do movimento deve ser divulgado a partir das 15h. "O movimento dos caminhoneiros já é vitorioso. O que queremos agora é que ele possa amenizar o sofrimento dos brasileiros", afirmou o ministro. 

  • Sétimo dia: mais de 580 bloqueios permanecem em estradas, diz PRF

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    27/05/2018 - 07:00

    O último balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgado na noite de sábado (26), mostrava que ainda havia 586 bloqueios em rodovias brasileiras e 577 pontos tinham sido desbloqueados. A greve dos caminhoneiros chega ao sétimo dia neste domingo (27). No início da manhã de sábado, eram 387 pontos bloqueados e 132 liberados. Mas no decorrer do dia, a PRF apresentou novos índices. No início da tarde, a PRF informou que o número de pontos de manifestações identificados em rodovias federais tinha aumentado de 938, registrados na sexta, 24, para 1.140. Desse total de 1.140 identificados, 544 pontos foram liberados ainda no sábado. Entretanto, o número de pontos que continuavam bloqueados, ainda que parcialmente, de sexta para sábado aumentou, de 519 para 596 – ou 52% do total de trechos com alguma manifestação. Segundo a PRF, esse número tem alta toda vez que há uma dispersão, pois grupos tendem a se espalhar e acabam interferindo em outros pontos.

  • Temer edita decreto e permite que governo assuma controle de caminhões para descongestionar rodovias

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    26/05/2018 - 18:06

    O presidente da República, Michel Temer (MDB), editou neste sábado (26) um decreto que autoriza que o governo assuma o controle dos caminhões estacionados nas rodovias para desobstruir as estradas. A medida havia sido anunciada ontem (25) e é chamada de requisição de bens. De acordo com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, essa decisão só seria tomada se houvesse necessidade. "Fica autorizada a requisição, pelas autoridades envolvidas nas ações de desobstrução de vias públicas determinadas pelo Decreto nº 9.382, de 25 de maio de 2018, dos veículos particulares necessários ao transporte rodoviário de cargas consideradas essenciais", estabelece o decreto. A greve dos caminhoneiros já dura seis dias. A categoria protesta contra o aumento no preço do óleo diesel.

  • Associação pede a caminhoneiros que retirem interdições nas rodovias

    Foto : Fernando Frazão | Agência Brasil Foto : Fernando Frazão | Agência Brasil
    25/05/2018 - 18:11

    A Associação Brasileira dos Caminhoneiros divulgou nesta sexta-feira (25) um comunicado no qual pede que a categoria retire as interdições nas rodovias. A nota foi divulgada depois de o presidente Michel Temer acionar as Forças Armadas para liberar as vias bloqueadas. De acordo com o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, os militares vão atuar de forma "enérgica" para desobstruir as pistas. No comunicado, a entidade de classe afirma estar preocupada com a segurança dos motoristas envolvidos e, por isso, "vem publicamente pedir que retirem as interdições nas rodovias, mas, mantendo as manifestações de forma pacífica, sem obstrução das vias". Segundo a própria associação, a Abcam representa cerca de 650 mil caminhoneiros. Ontem, a organização não assinou a proposta de acordo apresentada pelo governo.

  • Temer informa uso das forças de segurança contra caminhoneiros

    Foto: Beto Barata | PR Foto: Beto Barata | PR
    25/05/2018 - 14:09

    No quinto dia do bloqueio dos caminhoneiros, o presidente Michel Temer anunciou nesta sexta-feira (25) que acionou forças federais para desbloquear as estradas do país. No pronunciamento, feito no Palácio do Planalto, o chefe de estado também solicitou que os governadores tomem a mesma ação. A decisão foi tomada depois da reunião entre o emedebista e os ministros para uma "avaliação de segurança" sobre a situação, já que a greve dos caminhoneiros continuou, apesar do acordo firmado entre governo e representantes da categoria na noite de ontem (24). O presidente disse ainda que o governo atendeu aos pedidos dos caminhoneiros, mas, segundo ele, uma "minoria radical" dos grevistas não quis cumprir o acordo.

  • Mesmo com acordo, caminhoneiros continuam mobilizados nas rodovias baianas

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    25/05/2018 - 07:00

    Mesmo após o governo acordar com os caminhoneiros a suspensão da greve por 15 dias em todo o país, as mobilizações continuam nas rodovias baianas na manhã de hoje (25). Segundo a Via Bahia, na BR-324, há protesto próximo ao bairro de Valéria, em Salvador, há manifestação com uma faixa interditada no sentido capital e no km 541, próximo a Amélia Rodrigues, no sentido Feira de Santana. Há manifestações também na BR-116, com restrição de passagem para veículos de carga nos municípios de Santo Estevão, Itatim, Milagres, Jequié, Poções, Manoel Vitorino e Vitória da Conquista. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, na BA-526, em Simões Filho, caminhões estão estacionados desde a 1h – os manifestantes não bloqueiam a pista. A Polícia Rodoviária Federal informa que a categoria interrompe o tráfego na BR-101, próximo ao município de Muritiba, no Recôncavo baiano.

  • Governo faz acordo para suspender greve dos caminhoneiros por 15 dias

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Matheus Simoni

    24/05/2018 - 21:40

    Membros do governo federal anunciaram na noite desta quinta-feira (24) que um acordo com representantes dos caminhoneiros foi fechado pela suspensão da paralisação da categoria, iniciada há quatro dias com bloqueios nas principais rodovias do país. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa em Brasília pelos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes). Os caminhoneiros aceitaram que o governo reduzisse a zero a alíquota da Cide, em 2018, sobre o óleo diesel, bem como as necessárias providências decorrentes dessa medida. O acordo foi fechado com representantes da Fetrabens, CNTA, Unicam, Sinaceg, CNT, NTU e Federação dos Transportadores Autônomos de Carga. No entanto, a Associação dos Caminhoneiros (Abcam) afirmou que vai manter o movimento e que não concorda com a política do governo. O órgão representa 700 mil caminhoneiros. A Abcam não concordou e abandonou a reunião após ter negado o pedido de que a isenção de impostos se tornasse lei. Segundo levantamento da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), subiu para 496 o número de protestos de caminhoneiros em todo país. Questionado se, com o anúncio, haverá normalização da situação, Padilha disse acreditar que a “qualquer momento” o movimento dos caminhoneiros começará a ser “desativado”.

  • Greve dos caminhoneiros suspende envio de Sedex

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    23/05/2018 - 11:22

    A paralisação dos caminhoneiros em mais de 20 estados atinge até as postagens nos Correios. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos suspendeu temporariamente as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje). Em comunicado, os Correios informaram que a paralisação também tem gerado “forte impacto” e atrasos nas operações da empresa em todo o país.”Tendo em vista comprometer a distribuição, também haverá o acréscimo de dias no prazo de entrega dos serviços Sedex e PAC [entrega não expressa], bem como das correspondências enquanto perdurarem os efeitos desta greve”, diz o texto.No mesmo documento, os Correios informam que “toda a logística brasileira” sofre prejuízos em decorrência da paralisação dos caminhoneiros, iniciada segunda-feira (21).A operação dos Correios envolve mais de 25 mil veículos, 1.500 linhas terrestres e 11 linhas aéreas de norte a sul do país. A empresa entrega mensalmente cerca de meio bilhão de objetos postais, entre eles 25 milhões de encomendas.”Os Correios estão acompanhando os índices operacionais de qualidade de toda essa cadeia logística e, tão logo a situação do tráfego nas rodovias retorne à normalidade, a empresa reforçará os processos operacionais para minimizar os impactos à população”, acrescenta a nota.Caminhoneiros voltaram a bloquear rodovias pelo país nesta terça-feira (23), pelo terceiro dia seguido, contra o aumento no preço dos combustíveis.

  • INSS receberá pedido de aposentadoria por idade pela internet e telefone, a partir desta segunda (21)

    Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia Foto: Paulo Haran | Sudoeste Bahia
    21/05/2018 - 11:03

    O INSS deixará de agendar datas para receber pedidos de aposentadoria por idade - que exige 60 anos de idade das mulheres e 65 anos dos homens mais 15 anos de contribuições ao INSS –, a partir desta segunda-feira (21). Agora, as solicitações serão analisadas automaticamente, sem a necessidade de o segurado ir até uma agência da Previdência. Com a mudança, os trabalhadores só terão de comparecer ao local se houver alguma pendência no pedido, ou seja, caso faltem documentos que comprovem o direito de se aposentar por idade. A solicitação do benefício continua sendo feita pela internet, em meu.inss.gov.br, ou por telefone, no 135. Na internet, é necessário fazer um cadastro e pegar uma senha. Ao fazer o pedido, será gerado um número de protocolo, para que o segurado acompanhe sua solicitação. Será feita uma análise pelos computadores do instituto e, caso esteja tudo correto, o benefício será concedido, diz o INSS. Além da aposentadoria por idade, o salário-maternidade também será liberado automaticamente. Após protocolar o pedido, a orientação do órgão é que o trabalhador acompanhe o andamento pelo site ou pelo 135.

  • Senado aprova o Sistema Único de Segurança Pública

    Foto: Jonas Pereira | Agência Senado Foto: Jonas Pereira | Agência Senado
    16/05/2018 - 20:22

    O Plenário aprovou nesta quarta-feira (16) a criação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), com objetivo de integrar os órgãos de segurança pública, como as polícias federal e estaduais, as secretarias de segurança e as guardas municipais, para que atuem de forma cooperativa, sistêmica e harmônica. Aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o projeto (PLC 19/2018) tramitou no Plenário em regime de urgência. O projeto segue para a sanção da Presidência da República. Além de instituir o Susp, o projeto cria a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS), prevista para durar 10 anos, tendo como ponto de partida a atuação conjunta dos órgãos de segurança e defesa social da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, em articulação com a sociedade. Além de definições sobre a política e o sistema unificado, o projeto trata de outros temas, como os recursos dos fundos e os meios e as estratégias para as questões da segurança pública nacional. Demanda nacional: Relator do projeto na CCJ, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) apontou o que considera as maiores virtudes do projeto, como a participação de todos os entes federados, inclusive dos municípios; a valorização dos profissionais de segurança; os mecanismos de controle social com a participação popular; e o estímulo à articulação e ao compartilhamento de informações, bem como à integração dos órgãos de segurança e de inteligência. "A segurança pública hoje é a grande demanda nacional. O projeto é um conjunto normativo que cria os meios de colaboração e de cooperação dos órgãos de segurança pública. Esse projeto é um grande avanço", declarou o relator.