BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

  • Eleições 2018: leia a íntegra de carta da CNBB a favor de candidatos ficha limpa

    Foto: Matheus de Souza | CNBB Foto: Matheus de Souza | CNBB
    22/04/2018 - 18:29

    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nesta semana um manifesto a favor de candidatos ficha limpa nas eleições deste ano. A entidade orienta o eleitor católico a votar em candidatos ficha limpa e que não buscam apenas o foro privilegiado. “É fundamental conhecer e avaliar as propostas e a vida dos candidatos, procurando identificar com clareza os interesses subjacentes a cada candidatura”, diz a CNBB, completando: “Não merecem ser eleitos ou reeleitos candidatos que se rendem a uma economia que coloca o lucro acima de tudo e não assumem o bem comum como sua meta nem os que propõem e defendem reformas que atentam contra a vida dos pobres e sua dignidade. São igualmente reprováveis candidaturas motivadas pela busca do foro privilegiado e outras vantagens”. A mensagem foi elaborada durante a 56ª Assembleia Geral da CNBB. É assinada pelo presidente, cardeal Sergio da Rocha, e o vice, Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger. Leia a íntegra do manifesto.

  • Relatório da CGU aponta falta de verba para transposição do São Francisco

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Matheus Simoni

    22/04/2018 - 09:41

    As obras de transposição do rio São Francisco sofrem com a falta de planejamento para manutenção e operações. A informação foi divulgada pelo portal UOL, com base numa auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU). O levantamento aponta ainda falhas de execução que comprometem a sustentabilidade da transposição e a inexistência de verbas para custeio do empreendimento. O eixo norte da obra, iniciada em 2007, ainda está em andamento e tem previsão para ser entregue ainda neste ano. Parcialmente inaugurada há cerca de um ano, a transposição teve custo de execução de R$ 10,7 bilhões. A despesa final prevista pela CGU é de cerca de R$ 20 bilhões. “Não foi elaborado cronograma com tarefas/atividades, duração, vínculos de precedência e responsável”, acrescenta a auditoria da CGU, para quem o Ministério da Integração Nacional “não detém estrutura adequada para a gestão da transposição”.

  • Lei Seca fica mais rígida a partir desta quarta-feira; entenda

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Clara Rellstab

    17/04/2018 - 11:52

    Passa a valer a partir de amanhã (18) em todo o país a Lei que altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e torna a Lei Seca ainda mais rígida. Agora, quem cometer homicídio ou provocar lesão grave ou gravíssima enquanto dirigir sob efeito de álcool ou de outra substância psicoativa pode ir preso e cumprir pena maior. Ainda referente à lei seca, houve mudança também no artigo 291: o juiz vai fixar a pena base “dando atenção especial à culpabilidade do agente e às circunstâncias e consequências do crime”. O magistrado passa então a avaliar qual é o nível de culpa do condutor e as circunstâncias do crime que se deu – além de outros critérios, como antecedentes, por exemplo.

  • Caixa vai reduzir juros e aumentar valor financiado para casa própria

    Foto: Jorge Santana | Sudoeste Bahia Foto: Jorge Santana | Sudoeste Bahia
    Por Matheus Morais

    16/04/2018 - 12:26

    Foi anunciado nesta segunda-feira (16) pela Caixa Econômica Federal a redução dos juros e o aumento do porcentual de valor a ser financiado para compra da casa própria. A taxa mínima cai de 10,25% para 9% ao ano. O montante do valor a ser financiado sobe de 50 para 70%. No ano passado, o limite para financiamento de imóveis usados foi de 60%, chegou a cair para 50% e, agora, aumentou novamente. A Caixa voltou a financiar até 70% do preço da casa ou do apartamento. “Vai fazer com que se produza mais empreendimento na construção civil, ela vai fazer com que tenhamos mais financiamentos imobiliários e isso tem em instância final a geração de emprego e renda”, ressaltou Nelson Antônio de Souza, presidente da Caixa, ao G1. A iniciativa, segundo consultores, pode aquecer o mercado de imóveis que está há bastante tempo à espera de compradores. Mesmo assim, economistas dizem que comprar um imóvel para pagar a longo prazo exige planejamento. "O pegador de crédito deveria ter essa consciência, dinheiro ainda está caro. Sob esse ponto de vista é muito melhor ainda, por mais que a taxa de juros tenha caído, as pessoas se planejarem, fazerem as contas para tentar não antecipar esse credito, tenar poupar e para depois comprar o imóvel", disse o economista José Kobori. Veja a reportagem do Bom Dia Brasil:

  • Moro e advogado de Lula discutem em audiência de Marcelo Odebrecht

    Foto: Reprodução | Portal G1 Foto: Reprodução | Portal G1
    12/04/2018 - 11:44

    O juiz Sérgio Moro e Cristiano Zanin Martins, advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, discutiram durante audiência do empresário Marcelo Odebrecht realizada nesta quarta-feira (11). O ex-presidente da empreiteira foi ouvido, pela segunda vez, em processo da Operação Lava Jato sobre e-mails anexados ao processo que investiga se o apartamento vizinho ao que vive a família de Lula e o terreno onde seria contruída a nova se Instituto Lula foram pagos pela Odebrecht como propina ao ex-presidente. Esta nova sede nunca chegou a ser construída. A defesa de Lula nega as acusações. Veja a reportagem exibida pelo Jornal da Globo:

  • Câmara aprova criação do Sistema Único de Segurança Pública

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    12/04/2018 - 09:03

    A Câmara dos Deputados aprovou na noite de quarta-feira (11) o texto-base do projeto de lei que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp). Apesar das tentativas dos oposicionistas de adiar a votação da matéria, os deputados aprovaram a matéria por 367 votos favoráveis e um contrário. Neste momento, os deputados analisam emendas com pedidos de alteração ao texto original. A proposta é relatada pelo deputado Alberto Fraga (DEM-DF), que apresentou um substitutivo global à matéria. Apresentado com o objetivo de integrar e tornar mais eficaz a ação dos órgãos de segurança e defesa social, o projeto tem como eixo central a integração entre os órgãos policiais para que os entes federados compartilhem informações com o Ministério da Segurança Pública. De acordo com o projeto de lei, a criação do Susp tem a finalidade de proteger as pessoas e seus patrimônios, por meio da atuação conjunta, coordenada, sistêmica e integrada. O texto estabelece como integrantes operacionais do Susp a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, as polícias civis, as polícias militares, os corpos de bombeiros militares, as guardas municipais, os agentes penitenciários, os agentes socioeducativos e os peritos. Segundo o relator da proposta, o projeto traz diretrizes e não deve gerar novas despesas para os cofres públicos. No entanto, o texto prevê que a União implemente um sistema padronizado, informatizado e seguro que permita o intercâmbio de informações entre os integrantes do Susp.

  • Aprovada proibição a cortes no Fundo Nacional de Segurança Pública

    Foto: Marcos Oliveira | Agência Senado Foto: Marcos Oliveira | Agência Senado
    10/04/2018 - 23:00

    O Senado aprovou nesta terça-feira (10) projeto que proíbe o contingenciamento de recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). O PLS 90/2007- Complementar, que tem objetivo de reduzir a violência e o nível de insegurança da população, segue para a Câmara dos Deputados. O projeto faz parte do pacote de segurança pública definido como prioridade pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira, em conjunto com as lideranças partidárias. Do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), o PLS 90/2007 foi analisado com conjunto com outras 28 proposições. No final de março, os senadores aprovaram um requerimento de urgência para que ele fosse pautado no Plenário. Antes da votação, os parlamentares aprovaram outro requerimento para que o texto fosse analisado separadamente, sem os outros projetos. O contingenciamento de recursos tem sido usado como instrumento de ajuste fiscal, para o equilíbrio orçamentário entre as receitas e as despesas públicas. Após a publicação do Orçamento, o Executivo tem 30 dias para estabelecer a programação financeira. Como grande parte dos recursos não é de execução obrigatória, muito do previsto no Orçamento acaba não sendo cumprido. O texto original alteraria a Lei de Responsabilidade Fiscal, incluindo a segurança pública entre as despesas que não podem ser objeto de limitação. A pedido do autor, a relatora, senadora Simone Tebet (PMDB-MS), mudou o projeto para proibir apenas o contingenciamento de recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública, que não inclui todos os recursos orçatários da área. De acordo com a senadora, os cortes nesse fundo têm chegado a 50%.

  • Relator diz que polícias vão deixar de ser “ilhas” após Sistema Único de Segurança Pública

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    10/04/2018 - 20:23

    Relator do projeto que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp - PL 3734/12), o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) disse nesta terça-feira (10), durante sessão na Câmara, que o texto vai fazer a polícia deixar de ser “ilhas”, com informações que não são cooperadas. A proposta também cria a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social para facilitar a atuação conjunta e coordenada das ações em nível nacional. O relator explicou que o projeto vai permitir que uma pessoa procurada em um estado possa efetivamente ser apreendida em outra unidade da Federação. “O projeto não traz transtorno, não faz despesa. O objetivo principal do Susp é levar informações a todos os órgãos de segurança pública, para que que o órgão policial não vire uma ilha de informações”, destacou. Emendas de Plenário: O relator apresentou parecer favorável a seis emendas de Plenário. Ele incluiu em seu substitutivo, como integrantes do Susp, os agentes de trânsito e os guardas portuários, além de especificar que os mecanismos usados por órgãos de combate à lavagem de dinheiro fazem parte dos instrumentos a serem usados pela Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, informou que votará todos os requerimentos de obstrução nesta terça-feira e, em sessão a ser convocada para o início da tarde desta quarta-feira (11), votará o mérito do projeto.

  • Comissão mista aprova MP que autoriza repasse de R$ 2 bilhões aos municípios

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    20/03/2018 - 21:20

    Os recursos deverão ser aplicados, preferencialmente, em saúde e educação. Texto segue para votação no Plenário da Câmara

    A medida provisória (MP 815/17) que autoriza o repasse de R$ 2 bilhões aos municípios foi aprovada, nesta terça-feira (20), sem modificações pelos deputados e senadores da comissão mista responsável pela análise da matéria. O texto define que a fatia de cada cidade será calculada de acordo com as proporções estabelecidas pelo Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Os recursos deverão ser aplicados, preferencialmente, em saúde e educação. O relator, senador Antonio Anastacia (PSDB-MG), defendeu a aprovação da proposta. No último dia 12, foi sancionado pelo presidente da República, Michel Temer, o Projeto de Lei do Congresso (PLN) 1/18, que abre crédito de RS 2 bilhões para os ministérios da Educação (R$ 600 milhões), da Saúde (R$ 1 bilhão) e do Desenvolvimento Social (R$ 400 milhões). O texto viabiliza a aplicação da MP 815/17. Tramitação: A medida provisória que destina R$ 2 bilhões aos municípios segue agora para análise do Plenário da Câmara. O texto já chegará trancando a pauta de votações.

  • Câmara dos Deputados pode votar projeto que cria o Sistema Único de Segurança Pública

    Foto: Luis Macedo | Câmara dos Deputados Foto: Luis Macedo | Câmara dos Deputados
    19/03/2018 - 23:45

    O projeto de lei que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) é o destaque do Plenário da Câmara dos Deputados a partir desta terça-feira (20). A proposta (PL 3734/12) que disciplina a forma de integração de dados e ações estratégicas entre os órgãos de segurança pública. De acordo com a primeira versão do substitutivodo deputado Alberto Fraga (DEM-DF), distribuída às lideranças partidárias, haverá operações combinadas e desencadeadas em equipe; estratégias comuns para atuação na prevenção e no controle qualificado de infrações penais; compartilhamento de informações e intercâmbio de conhecimentos técnicos e científicos. O Susp empregará vários sistemas de informática para troca de informações entre os órgãos e também contará com um Sistema Integrado de Educação e Valorização Profissional (Sievap) destinado a planejar as atividades de educação gerencial, técnica e operacional do pessoal que atua em segurança pública. Primeiros socorros: Também na pauta está o Projeto de Lei 9468/18, que obriga as escolas de ensino fundamental e as creches a capacitarem seus professores e funcionários em noções básicas de primeiros socorros. Violência contra a mulher: Outro projeto sobre segurança pública pautado é o PL 5000/16, do Senado, que cria a Política Nacional de Dados e Informações Relacionadas à Violência contra as Mulheres (Pnainfo) com a finalidade de reunir, organizar, sistematizar e disponibilizar dados e informações referentes a todos os tipos de violência contra as mulheres.

  • Boletos acima de R$ 800 poderão ser pagos em qualquer banco

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Willian Silva

    19/03/2018 - 06:50

    Boletos de cobrança com valor a partir de R$ 800 poderão ser pagos em qualquer banco a partir do dia 24 de março, sem erros nos cálculos de multas e encargos. O novo sistema de liquidação para os boletos bancários foi desenvolvido pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) em parceria com a rede bancária. O novo sistema permite a identificação do emissor e do pagador, com a indicação do CNPJ/CPF, o que facilita o rastreamento de pagamentos e redução das fraudes, fonte de preocupação permanente para todo o sistema bancário. O sistema ainda reduz a inconsistência de dados e evita pagamento em duplicidade. A informação é do Correio 24h. O cronograma inicial previa que a Nova Plataforma passasse a registrar todos os boletos a partir do fim de 2017, mas foi necessária uma adaptação para garantir a segurança e a tranquilidade no processamento, em função do elevado número de documentos – cerca de 4 bilhões de boletos por ano, montante que exige capacidade de processamento superior à de uma das grandes processadoras globais de cartões de crédito. “Além de um prazo maior, decidiu-se adotar um período de convivência entre o antigo modelo de cobrança, que permitia os boletos sem registros, e o novo, que deverá ter todos os boletos de pagamento registrados na base, para que não houvesse problemas de atendimento aos clientes”, explica o diretor da Febraban. Esse período de convivência entre os dois modelos será encerrado gradativamente a partir deste mês, de acordo com a faixa de valores dos boletos. 

  • Ministério vai revogar regra que exigia curso para renovar CNH

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    Por Heloisa Cristaldo

    17/03/2018 - 18:55

    O Ministério das Cidades anunciou neste sábado (17) que será revogada a resolução que tornava obrigatória a realização e aprovação em Curso de Aperfeiçoamento para motoristas renovarem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Por meio de nota, a pasta informou que a revogação se dará para “não afetar a rotina dos condutores que precisam renovar suas carteiras de habilitação/CNHs por todo o Brasil”. O ministério informa ainda que a revogação vai reduzir custos. “Esta ação acontece em conformidade com os objetivos do Governo Federal, de reduzir custos e facilitar a vida do brasileiro”. A resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabelecia que, a partir de junho deste ano, os condutores que fossem renovar a carteira de motorista teriam que passar por um curso teórico com exame para atualizarem seus conhecimentos. Esse curso de reciclagem seria composto por dez aulas e, para que os motoristas renovassem a documentação, deveriam obter um resultado favorável de, pelo menos, 70% da prova. Ainda segundo a nota divulgada pelo Ministério das Cidades, a revogação acontecerá no próximo dia útil.

  • Após decisão do TST, trabalhadores dos Correios encerram greve

    Foto: Reprodução  | Futura Press Foto: Reprodução | Futura Press
    13/03/2018 - 21:32

    Trabalhadores dos Correios decidiram pelo fim da greve na tarde desta terça-feira (13), após decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinar que empregados pagarão parte do plano de saúde. O item foi o principal impasse da negociação do Acordo Coletivo de Trabalho, tendo sido encaminhado para análise do TST. A direção dos Correios defendia a cobrança de mensalidade dos funcionários e restrição do benefício apenas a estes. Os trabalhadores eram contrários a qualquer mudança no sistema, que garantia seguro-saúde a dependentes (incluindo pai e mãe) com pagamento por procedimento utilizado, e não por parcela fixa mensal. O tribunal aprovou a proposta do relator do processo, ministro Aloysio Corrêa, prevendo o pagamento de mensalidades variando por idade e remuneração, na modalidade de co-participação na qual os trabalhadores passam a ter que arcar com 30% dos valores e a empresa, com 70%. Já pais e mães serão cobertos pelo plano até o encerramento do ACT em vigor, em julho de 2019. Contrariada, a Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Fentect), determinou o fim da greve nacional no fim da tarde, mas defende que o TST pode ter aberto um "precedente perigoso" para outras categorias de trabalhadores por ter desrespeitado acordo coletivo ao determinar o pagamento de uma parcela do plano de saúde pelos carteiros.

  • Sancionado projeto que libera R$ 2 bilhões para auxílio a municípios

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    13/03/2018 - 15:52

    Foi sancionado na segunda-feira (12) pelo presidente da República o Projeto de Lei do Congresso (PLN) 1/2018, que abre crédito de RS 2 bilhões para os ministérios da Educação (R$ 600 mil), da Saúde (R$ 1 bilhão) e do Desenvolvimento Social (R$ 400 mil). O dinheiro viabiliza o auxílio financeiro aos municípios previsto na Medida Provisória 815/17. O projeto foi aprovado pelo Congresso Nacional no último dia 20. A MP autoriza a União a transferir aos entes federativos que recebem o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) recursos destinados à superação de dificuldades financeiras emergenciais. Pelo texto, a parcela destinada a cada ente federado será definida pelos mesmos critérios de transferências do FPM e os municípios deverão aplicar os recursos preferencialmente em saúde e educação. De acordo com o Planalto, apenas em 2017, estima-se que os municípios tenham deixado de receber cerca de R$ 4 bilhões por meio do FPM. Segundo o Ministério do Planejamento, o projeto não afeta a obtenção da meta de resultado primário fixada para o exercício. O crédito especial será viabilizado devido à anulação de dotações orçamentárias, inclusive de emendas de comissão e de bancadas estaduais, de execução não obrigatória.

  • Novo modelo de placas de veículos, padrão Mercosul, começa a valer em 1º de setembro

    Foto: Divulgação Foto: Divulgação
    08/03/2018 - 20:00

    A partir de 1º de setembro, as placas de veículos brasileiros começarão a ser substituídas por um novo modelo que segue o padrão estabelecido pelo Mercosul. Aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a mudança deverá ser feita até 31 de dezembro de 2023, quando toda a frota de veículos nacionais deverá estar rodando com a nova identificação. O valor a ser cobrado pelas placas ainda não está definido. Segundo resolução nº 729, publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (8), a medida se aplica também aos reboques, semirreboques, motocicletas, triciclos, motonetas, ciclo elétricos, quadriciclos, ciclomotores, tratores e guindastes, que serão identificados por uma única placa, instalada na parte traseira. Revestidas com película retrorrefletiva, as novas placas terão fundo branco com margem superior azul e as imagens da bandeira brasileira e o símbolo do Mercosul, mantendo os atuais sete caracteres alfanuméricos. Na parte frontal, a película protetora deverá conter as palavras Mercorsur Brasil Mercosul estampadas. Além disso, deverão possuir código de barras bidimensionais dinâmicos (Quick Response Code - QRCode) contendo números de série e acesso às informações do banco de dados de seu fabricante. Os fabricantes de placas serão credenciados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e serão responsáveis pela produção, logística, gerenciamento informatizado, distribuição e estampagem das placas veiculares. O credenciamento dos fabricantes terá validade de quatro anos, podendo ser revogado a qualquer tempo, se não mantidos, no todo ou em parte, os requisitos exigidos para o credenciamento.

  • MP sobre apoio de R$2 bi a municípios tem comissão instalada

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    08/03/2018 - 15:41

    O Congresso Nacional instalou nesta quarta-feira (7) cinco comissões mistas para analisar as medidas provisórias 815816, 817818 e 819. As duas primeiras foram editadas pelo governo federal em 2017, e as três últimas este ano. Uma das mais relevantes é a MP 815/2017, que libera R$ 2 bilhões em caráter emergencial a municípios. Pelo texto, a parcela destinada a cada ente federado será definida pelos mesmos critérios de transferências via Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A MP estabelece que os municípios deverão aplicar os recursos preferencialmente em saúde e educação.

  • Câmara aprova suspensão de CNH para motoristas envolvidos em contrabando

    Foto: Divulgação | PRF Foto: Divulgação | PRF
    07/03/2018 - 10:24

    A Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira (6) o Projeto de Lei 1.530/15 que prevê a pena de cassação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para o condutor condenado por dirigir veículo usado para receptação, descaminho ou contrabando de mercadorias. O dispositivo legal também estabelece a suspensão da habilitação após decisão cautelar do juiz em pedido do Ministério Público. A medida segue para apreciação do Senado. Para o autor do PL, deputado Efraim Filho (DEM-PB), a medida pretende assegurar às autoridades a garantia de sanções mais eficazes e mais ágeis. De acordo com o parlamentar, estimativas apontam prejuízos anuais de R$ 100 bilhões com o contrabando no país. Essas perdas envolvem tanto impostos não pagos quanto as perdas decorrentes do impacto no mercado de trabalho e em toda cadeia produtiva. No caso de condenação, o condutor somente poderá reaver a habilitação cinco anos depois de haver cumprido sua pena. No entanto, para voltar a dirigir, deverá requerer nova permissão para dirigir, como se estivesse obtendo sua primeira habilitação. “É uma perda efetiva [para um condutor que transporta produto de contrabando] e vai direto ao bolso do cidadão”, disse Filho. A punição também se estende à pessoa jurídica que transportar, distribuir, armazenar ou comercializar produtos apreendidos de contrabando. O PL prevê a perda da inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), após processo administrativo. Assim como a lei estabelece o prazo para o condutor condenado reaver sua habilitação, os mesmos cinco anos são previstos para que a pessoa jurídica obtenha novamente o registro do CNPJ.

  • Brasil teve pior seca da história entre 2012 e 2017, diz Inmet

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Gabriel Nascimento

    04/03/2018 - 08:13

    O Brasil teve a pior seca da história entre 2012 e 2017. A informação é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e foi divulgada pelo portal UOL. De acordo com o levantamento, o país nunca tinha registrado um período tão longo com poucas chuvas desde 1845 – o máximo foi 5 anos. O sertão do Nordeste foi o que mais sofreu. "Todos os anos costuma chover alguma coisa na região do semiárido. O problema é que chove tão pouco que, quando chove abaixo da média, acontece a seca. Foi o que ocorreu de 2012 para cá", explicou o coodenador de Meteorologia Aplicada do Inmet, Expedido Rebello. Segundo o Inmet, o período de seca terminou e a expectativa é a de que 2018 tenha mais chuva. "Desde janeiro, chove forte no sertão nordestino e no semiárido como um todo", acrescentou.

  • País cria 77,8 mil postos de trabalho, melhor resultado desde 2012

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    02/03/2018 - 17:06

    Em janeiro, o Brasil criou 77.822 mil novos postos formais de trabalho, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira (2) pelo Ministério do Trabalho. O resultado é o melhor para o período desde 2012, e é a primeira vez desde 2014 que as contratações superam as demissões. O saldo é resultado de 1,3 milhão de admissões e 1,2 milhão de desligamentos. Considerados os últimos 12 meses, de fevereiro de 2017 a janeiro foram criadas 83,5 mil postos com carteira de trabalho. A última divulgação, que trouxe o saldo de 2017, mostrou que o Brasil fechou o ano passado com resultado negativo, foram fechadas 20,8 mil vagas de trabalho. Segundo a publicação, o salário médio daqueles que foram desligados no mês, descontada a inflação, foi R$ 1.636,41. Já o salário médio daqueles que foram admitidos foi menor, R$ 1.535,51.

  • Resolução aprovada pelo TSE prevê verificação de voto impresso nas eleições

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    Por Felipe Pontes

    01/03/2018 - 13:42

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta quinta-feira (01) a resolução que vai disciplinar a impressão dos votos em parte das urnas do país. O documento prevê a verificação manual da votação em um número restrito de sessões eleitorais. O eleitor não terá contato direto com o comprovante de votação, podendo apenas verificar visualmente se o que está impresso no papel condiz com o que aparece na tela da urna eletrônica. A resolução aprovada pelo TSE prevê que cada estado terá apenas um local para a verificação manual dos votos, que começará a ser feita em até quatro dias úteis após cada turno da eleição. A operação será conduzida por servidores da Justiça Eleitoral, com a participação de fiscais dos partidos. O processo será público, podendo ser acompanhado por qualquer interessado. Os locais devem ser divulgados 20 dias antes do primeiro turno.Segunda a norma, nem todas as urnas equipadas com impressoras serão alvo da verificação. Dois dias após cada turno, a Justiça Eleitoral deve divulgar quais urnas, em quais seções, participarão do processo. De acordo com o TSE, cerca de 5% (30 mil) das 600 mil urnas eletrônicas deverão estar equipadas com impressoras nas eleições de 2018. A resolução aprovada nesta quarta-feira disciplina ainda os procedimentos a serem adotados em caso de mal funcionamento do equipamento.