• Nilo Coelho divulga nota de esclarecimento sobre condenação por forjar licitação para locação de caminhões

    Foto: Reprodução Foto: Reprodução
    17/05/2019 - 12:00


    O Site Sudoeste Bahia divulgou nesta sexta-feira (17), que a pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal condenou o ex-prefeito de Guanambi Nilo Augusto Moraes Coelho, e os membros da comissão de licitação, Elisângela Alves Teixeira, David Xavier Souza Júnior e Alencastre Honório Moura, por improbidade administrativa, ao forjar licitação para locação de caminhões em 2009. Por conta disso a assessoria do ex-gestor enviou a nossa redação a nota de esclarecimento a seguir. “O senhor Nilo Coelho, no seu último mandato de prefeito, após duas licitações desertas, contratou vinte trabalhadores, caminhoneiros que buscam seu sustento no volante. Eles cuidaram de cascalhar as principais estradas do nosso imenso município. O Ministério Público Federal (MPF), entendeu que a contratação foi ilegal e a Justiça entendeu que houve improbidade administrativa na contratação. Ele ainda pode apresentar inúmeros recursos da decisão. Hoje, o próprio MPF entende que é melhor contratar diretamente, com Nilo fez, ao contrário das práticas que ocorrem hoje. A prefeitura de Guanambi paga a uma só empresa 2 milhões por ano para fazer o serviço de transporte de cascalho e outros materiais. O mesmo ocorre nos contratos de transporte escolar, alvos de fiscalizações recentes. A prefeitura, ao invés de fortalecer os transportadores pagando diretamente a eles pelo serviço que eles prestam, contrata uma empresa que fica com parte dos ganhos do trabalho que eles tiveram. A notícia que circula hoje já foi veiculado no mês de março pela imprensa. O MPF só foi oficialmente informado agora da decisão."

MAIS NOTÍCIAS