• Creche inaugurada há dois anos agoniza com o descaso da administração em Igaporã

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Willian Silva

    16/03/2018 - 09:16

    A creche que deveria estar servindo para a educação de crianças, serve para acúmulo de mato e sujeira

    Descaso com o dinheiro público. Um símbolo disso é a Creche Pró-Infância que foi construída em Igaporã, na região Sudoeste da Bahia. Um morador da cidade procurou a nossa reportagem para denunciar o estado de abandono da creche que foi inaugurada em 2016 e até agora nunca funcionou. O Sudoeste Bahia esteve na cidade para conferir a veracidade da denúncia. O local está tomado pelo mato e com a estrutura em parte deteriorada. Algumas luminárias, responsáveis pela iluminação externa da creche, já estão quebradas. No local existe até uma árvore junto com o matagal, que já ultrapassa os dois metros de altura. Ainda é possível visualizar buracos no telhado e, o que era para ser um parquinho infantil, virou uma piscina de água suja, potencial local para procriação do mosquito da dengue, colocando a vizinhança da creche em perigo de um possível surto de dengue.

    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia
    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia

    A construção da chamada “Creche Pró Infância” foi iniciada em 2010, porém com as sucessivas trocas de poder ocorridas por conta de força judicial, as obras ficaram paradas por dois anos. Porém, em 2012, segundo consta no site “Rádio Igaporã”, o dinheiro para dar continuidade a construção da creche foi liberado, mas a empresa vencedora possuía irregularidades e a construção não pode seguir adiante, segundo o então secretário de Educação, Marcos Roberto em entrevista concedida ao referido site. Os recursos para a construção são oriundos do Governo Federal. A creche foi inaugurada em 2016. O local que era para estar cheio de crianças, agora está cheio de mato e sujeira, retrato de como é tratado o dinheiro do contribuinte brasileiro. Em nota, a prefeitura de Igaporã diz que a creche “[...] encontra-se sem funcionamento até o presente momento, por conta de o município não possuir recursos financeiros suficientes para manutenção e custeio, para operação integral da unidade. [...] tendo em vista o elevado custo da equipe multiprofissional que compõe o modelo Pro-Infância (que incluem psicólogos, técnicos de enfermagem, nutricionistas, dentre outros), a prefeitura não conseguiria arcar, sozinha com tal oneração.” Em outro parágrafo da nota, o governo local informa que “a Administração Municipal buscou (...) uma saída para colocar a unidade em funcionamento, através de um aporte financeiro do Ministério da Educação. Para tal, a Secretaria Municipal de Educação realizou um cadastramento dos alunos potenciais e aguarda os trâmites perante o MEC e do FNDE” e que “buscam incessantemente junto ao governo federal mecanismos viáveis para colocarem em funcionamento a referida unidade”.

MAIS NOTÍCIAS