• Tragédia: Recém-nascidas gêmeas morrem após serem atacadas por cachorro em cidade da região

    Foto: Leitor Sudoeste Bahia | Via WhatsApp Foto: Leitor Sudoeste Bahia | Via WhatsApp
    Por Juliana Rodrigues

    23/06/2020 - 17:00


    Elas eram filhas únicas do casal; animal era da família

    SUDOESTE

    - Duas irmãs gêmeas morreram na tarde da terça-feira (23) em Piripá, cidade no sudoeste baiano, depois de serem atacadas pelo cachorro da famílias. As bebês Anne e Analu, de apenas 26 dias de vida, chegaram a ser socorridas, mas não resistiram. A raça do cachorro não foi informada. O caso foi na residência da família. A mãe das meninas estava em um cômodo diferente delas quando ouviu um barulho, correu e viu o cachorro em cima das bebês. Ela conseguiu retirar o animal. Uma vizinha que é auxiliar de enfermagem prestou os primeiros socorros. Depois, as duas foram levadas para o Hospital Municipal Maria Pedreira Barbosa. Uma das meninas já chegou sem respirar e com o coração sem bater à unidade, segundo informações médicas. A tentativa de reanimação não funcionou e o óbito foi confirmado. A outra estava em estado grave, mas ainda respirava sozinha. Ela acabou sofrendo uma parada cardiorrespiratória e a reanimação também não deu certo e a morte ocorreu pouco depois. Em estado de choque, a mãe precisou ser medicada no local. Anne e Analu eram as primeiras filhas do casal. Ela fez acompanhamento pré-natal cuidadoso no Programa Saúde da Família à espera do nascimento das crianças, que aconteceu no finalzinho de maio. A prefeitura da cidade divulgou nota lamentando as mortes. "Diante desta perda inestimável, expressamos condolências e nos solidarizamos com os pais Elaine e Régis, seus familiares e amigos, neste momento de profunda tristeza e dor. Que Deus conforte seus corações e dê forças para transformar toda dor desta perda irreparável em fé e esperança", diz o texto. Os corpos das crianças foram sepultados no fim da tarde de ontem, no cemitério de Piripá. Em nota, a prefeitura de Piripá lamentou o falecimento das crianças.

MAIS NOTÍCIAS