• Corregedor nega abertura de investigação contra Moro por conversas com Deltan

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Por Adelia Felix

    12/06/2019 - 07:00

    Pedido foi feito pelo PDT com base em vazamento de diálogos entre o ex-juiz e o procurador

    A abertura de investigação sobre o ministro da Justiça, Sergio Moro, em função de mensagens trocadas com o procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato, divulgadas pelo site The Intercept Brasil, foi negada pelo corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins. As informações são do jornal Folha de São Paulo. Martins arquivou nesta terça-feira (11) representação do PDT que pedia a instauração de sindicância para confirmar os fatos narrados nas matérias e, nessa hipótese, a abertura de um processo administrativo disciplinar para aplicar penalidade a Moro. O partido argumentou que, embora já tenha se desligado da magistratura, Moro era juiz na época dos fatos e, portanto, cabe ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) atuar no caso. Segundo o jornal, o corregedor entendeu que a instauração de um procedimento não teria nenhuma utilidade, pois Moro pediu exoneração da magistratura no fim do ano passado, após aceitar o convite do então presidente eleito Jair Bolonaro para integrar o governo, e não tem mais nenhuma ligação com o Judiciário.