• Doenças ligadas à falta de saneamento atingem metade dos municípios baianos

    Foto: Reprodução
    Foto: Reprodução
    19/09/2018 - 14:00

    Segundo o IBGE, dengue e diarreia são as mais relatadas; número é maior do que a média nacional

    Mais da metade dos municípios baianos registra ocorrências de endemias e epidemias ligadas à falta de saneamento básico, de acordo com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Das 417 prefeituras, 216 (51,8% do total) apresentam o problema. As doenças do tipo mais registradas na Bahia são dengue, em 75% dos municípios, e diarreia, citada por 68,5% das cidades. O número é maior do que a média nacional, que é de 34,7% dos 5.570 municípios. Já em relação ao Nordeste, embora esteja abaixo da média regional, o porcentual baiano ainda é maior do que os do Maranhão (37,8%) e Piauí (37,1%). Os estados que registram menor índice de endemias e epidemias ligadas ao saneamento são Santa Catarina (11,2%) e Rio Grande do Sul (9,7%). Apesar da alta taxa de doenças, apenas 9,4% dos municípios baianos dispõem de uma Política Municipal de Saneamento Básico e um Plano Municipal de Saneamento Básico, instrumentos considerados essenciais para a gestão do setor e redução dos números.