• Henrique Meirelles muda de tática e ‘cola’ em Lula

    Foto: Reprodução | Wenderson Araujo
    Foto: Reprodução | Wenderson Araujo
    Por Clara Rellstab

    30/06/2018 - 18:00

    Estagnado nas pesquisas de intenção de voto, Henrique Meirelles (MDB) fará uma aposta de risco para obter apoio e conseguir ser oficializado como candidato dos emedebistas ao Palácio do Planalto. De acordo com o Estadão, sob desgaste de ter sido ministro da Fazenda do governo de Michel Temer (MDB), campeão no quesito impopularidade, Meirelles vai engrossar o discurso e usar na campanha o ex-presidente LuLa (PT), que, apesar de condenado e preso na Lava Jato, ainda lidera pesquisas de intenção de voto quando seu nome é testado. A mudança de tom começou na quinta-feira (28), após a equipe de comunicação de Meirelles concluir que, para crescer nas pesquisas, onde tem 1%, ele precisa "surpreender", criar fatos políticos e chamar a atenção. O ataque aos adversários Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT) faz parte da estratégia. A etapa seguinte será explorar a "herança" do petista. Segunda a publicação, a ideia é destacar que Meirelles foi presidente do Banco Central nos dois mandatos do petista (2003 a 2010). Enquanto a defesa do legado de Temer aparece nas pesquisas como um "fardo" difícil de carregar, a vinculação com Lula é vista como um "trunfo". O ex-ministro faz questão, porém, de separar Lula da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).