• Caetité: Quase tudo pronto para a Rádio Educadora operar em FM

    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia
    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia
    Por Willian Silva

    28/06/2018 - 19:00

    O desligamento do velho transmissor de AM dará espaço para a chegada do áudio digital em FM; nova programação já está sendo preparada

    A Rádio Educadora Santana de Caetité (Resc) está prestes a desligar o seu velho transmissor de Ondas Médias (OM) para dar lugar a tão sonhada FM. É o que nos informou o Gerente Administrativo da Resc Luiz Alberto, o popular Kaçula, em entrevista ao site Sudoeste Bahia. Kaçula relata que tudo começou em 2014. “A Educadora forneceu toda a documentação necessária junto aos órgãos como Ministério das Comunicações e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e fez questão de cumprir todos os trâmites necessários. Estive em Brasília no mês de dezembro de 2017 junto com Marlene para que ela pudesse assinar o Termo Aditivo. Já temos uma data provável para a inauguração da Rádio Educadora em FM que é em 15 de Julho. Foi um processo de quatro anos que não foi fácil, mas conseguimos vencer. Está quase tudo pronto. Já foi adquirido o transmissor, que segundo o Ministério, tem que ser um transmissor fabricado especialmente para a rádio. O que falta é a questão legal do local onde ficará a torre e o transmissor. Reitero que, o dia 15 de julho é uma data provável. De toda sorte, até o início de agosto a Educadora em FM estará no ar, na freqüência de 100,7” esclarece Kaçula.

    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia
    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia

    O administrador da Resc ainda deixou claro que a programação, no seu todo, será modificada e que, inclusive, contará com a contratação de novos profissionais. Mesmo com todas essas modificações, a Educadora não perderá a sua essência, que é a evangelização através do rádio, marca indelével da emissora durante esses quase 40 anos de transmissões. “Já temos alguns nomes em vista, estivemos colhendo alguns currículos. Estamos muito empolgados com essas mudanças. É como se estivéssemos começando a rádio do zero. No dia da inauguração da FM, já entraremos no ar com uma programação totalmente diferente. Será uma mudança brusca, imediata.” Desde novembro de 2013, quando a então presidente Dilma Rousseff sancionou a migração do AM para o FM, muitos radiodifusores sabiam que seria um projeto de alto custo. O maior problema ficou para as emissoras de pequeno porte do interior do Brasil, onde alguma delas tomaram empréstimos junto ao BNDES, que abriu linha de crédito para esse fim, para avançar com as mudanças. Com o país imerso numa crise que parece não ter fim, Kaçula nos diz o quanto foi difícil fazer as aquisições necessárias nesta época de dificuldades financeiras. “Não é fácil você manter o dia a dia da emissora e ainda ter que arcar com a despesa de um projeto desse porte, porque é muito alto. O engenheiro nos passou a informação de que o valor inicial orçado diminuiria, devido a algumas coisas que deixaríamos de comprar, como por exemplo, a torre. Realizamos também o show de prêmios, onde a comunidade respondeu positivamente. Estamos esperando ansiosos a chegada do FM, justamente para termos recursos e cumprir com as nossas obrigações. A rádio Educadora é da comunidade e como tal, a comunidade está abraçando a causa.”

    Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia Foto: Willian Silva | Sudoeste Bahia

    Luiz relembra com carinho esses quase 40 anos que a Educadora operou em AM mas diz que haverá mudanças. “A Rádio Educadora AM simplesmente vai ficar na saudade e sabemos que ela marcou época, mas sentimos a necessidade de mudar e de acompanhar as novas tendências. Para a nova programação, em breve estaremos com uma equipe realizando uma pesquisa para saber o perfil do nosso ouvinte e pautar a nossa programação em cima desses dados. O padre Paulo Henrique é muito dinâmico, ele gosta de coisas novas e que atinja todas as classes sociais e é assim que pensamos. Estamos sempre investindo em cursos para os nossos colegas para que possamos estar sempre renovando.” Quando perguntado qual seria as últimas palavras da Rádio Educadora em AM, Luiz se emociona e diz que só tem a agradecer. “Eu deixaria um agradecimento muito especial. Porque a Rádio Educadora sempre foi muito valorizada por nossa comunidade. Todas as pessoas que nos acompanham sabem que fazemos de tudo para proporcionar uma boa programação. Nós, muitas vezes, temos limites. Nem tudo pode ser divulgado aqui. Uma música de duplo sentido, nós tentamos não levar ao ar, porque sabemos que aquela música não irá fazer bem a uma família. Eu, sinceramente, agradeço a todos aqueles que nos acompanham e também àqueles que muitas vezes criticaram a programação da rádio, pro que essas críticas nos ajudam a crescer e para sabermos se estamos no caminho certo. Agradecemos ao Clube dos Sócios, que são pessoas da sede e zona rural que fazem questão de apoiar a rádio; agradecer também aos nossos anunciantes. Lembro-me agora da Cerâmica Paraná de seu Advaldo dos Anjos, que foi o primeiro anunciante da Rádio Educadora. Não só ele mas como tantos outros que marcaram a história da Rádio Educadora. A Educadora é mais que 100. É 100, 7” finaliza Luiz Alberto.