• Sindicato ameaça ingressar na Justiça contra 'ilegalidade crassa' em concurso da PF

    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Foto: Marcos Oliveira | Sudoeste Bahia
    Por Alexandre Galvão

    20/06/2018 - 18:00

    Aguardado por muitos anos, o concurso da Polícia Federal pode ser judicializado. A intenção foi explicitada pelo Sindpol, sindicato da categoria na Bahia, que disse ter identificado "ileglidade crassa" no edital do processo seletivo. "Não bastasse essa discriminação perversa no quantitativo de vagas para cada cargo da carreira policial, a descrição das atribuições dos cargos policiais federais é distorcida, e demonstra claros interesses classistas, que vai da ilegalidade crassa à zombaria dos profissionais agentes, escrivães e papiloscopistas policiais federais, que são tratados como 'meros auxiliares'", reclama o grupo, em nota. Segundo a entidade de classe, o edital não tem amparo legal para desvalorizar áreas de atuação de profissionais da PF. "O produto de toda a atuação deste destacado órgão não é fruto da supremacia de bacharelados, de forma isolada, mas de capacitação, esforço, técnica, responsabilidades e experiência de todos os policiais em um ambiente multidisciplinar", argumenta. O grupo pede a publicação de novo edital " sem que tenha diferenças não previstas em lei, sobretudo expedientes de cunho ofensivo, discriminatório e desrespeitoso".