• Baiana ganha prêmio da ONU com tecnologia para filtrar água por meio da luz solar

    Foto: Divulgação | ONU Foto: Divulgação | ONU
    Por Juliana Almirante

    19/09/2019 - 12:00


    Ela foi a primeira brasileira a ganhar o Prêmio "Jovens Campeões da Terra" da Organização das Nações Unidas (ONU).

    A empreendedora baiana Anna Luísa Beserra, de 21 anos, falou, em entrevista à Rádio Metrópole, sobre a criação da start up "Aqualuz", tecnologia para filtrar água por meio da luz solar. Ela foi a primeira brasileira a ganhar o Prêmio Jovens Campeões da Terra da Organização das Nações Unidas (ONU). A premiação será realizada durante uma cerimônia na 74ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, no dia 26 de setembro, em Nova York. Anna Luísa disse que, desde criança, teve vontade de ser cientista. Quando estava no Ensino Médio, aos 15 anos, ela viu um cartaz do Prêmio Jovem Cientista, em que o tema era água. "Foi aí que tudo começou de fato. Comecei a ter algumas ideias para ajudar a própria região. Porque a gente sempre ouve falar, apesar de não estar vivendo, sobre a questão da seca e da falta de água potável para o semiárido e os problemas que isso acarreta para essas pessoas. Por isso comecei a pensar no Aqualuz desde ali", contou Anna Luísa. Na faculdade, Ana começou a compreender mais o empreendedorismo, mas as portas foram abertas com o programa do Instituto Teen. "O Aqualuz é a única tecnologia do mundo voltada para o tratamento de água cisterna. A gente só precisa encaixar ele na bomba. A pessoa vai bombear essa água e vai estar armazenado diretamente no nosso reservatório de 10 litros e vai ficar exposta na luz solar", explica. Segundo ela, o tratamento da água dura de 2 a 4 horas. Depois a água pode ser consumida. "É um processo que a gente não utiliza nenhuma química e nenhum tipo de material difícil de ser encontrado. Por isso que a gente tem uma durabilidade de 20 anos do equipamento, com manutenção feita com água e sabão", afirma.

MAIS NOTÍCIAS