• Vaza Jato: Deltan articulou com STF e governo Bolsonaro para indicar procurador baiano na PGR

    Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
    Por Matheus Simoni

    16/08/2019 - 10:00


    Aras é aliado de Dallagnol no MPF e contou com apoio do procurador através de articulação com ministros do governo Jair Bolsonaro (PSL), senadores e ao menos três ministros do STF

    O procurador do Ministério Público Federal (MPF) Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, tentou usar o prestígio obtido como chefe da operação em Curitiba para tentar emplacar nos bastidores o procurador regional da República Vladimir Aras como o novo comandante da Procuradoria-Geral da República (PGR). Ele é aliado de Dallagnol no MPF e contou com apoio do procurador através de articulação com ministros do governo Jair Bolsonaro (PSL), senadores e ao menos três ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação está em mensagens divulgadas pelo portal UOL, em colaboração com o site The Intercept Brasil. Os diálogos entre Deltan e Aras revelam que o coordenador da Lava Jato se engajou pessoalmente na campanha do aliado, articulando diariamente com ele estratégias para que fosse recebido por autoridades. No entanto, Deltan tentou permanecer oculto e não deixar transparecer que estava interferindo na escolha do novo PGR. "Bom ficamros [sic] na sombra", disse a Aras em diálogo pelo aplicativo Telegram no dia 21 de fevereiro. Sergio Moro, que ainda era juiz federal na época do resultado do primeiro turno das eleições, já é tachado como alguém próximo do grupo de Bolsonaro. "Fala com Moro sobre minha candidatura a PGR", escreveu Vladimir Aras às 13h22 de 11 de outubro de 2018 --quatro dias após o primeiro turno da eleição presidencial. "Com bolsonaro eleito, vou me candidatar", completou às 13h23. Aras diz que já conversou com o atual ministro da Justiça sobre sua candidatura e destaca a proximidade dele com Bolsonaro às 14h20. "Ele já tem prestígio agora", cita. Deltan então se mostra otimista: "conseguimos articular sua indicação", diz às 14h27. "Temos várias pessoas para chegar lá". E completa: "Várias pessoas que se associaram a nós na luta contra a corrupção". Nas conversas, Deltan diz, em mais de uma oportunidade, que havia tratado da candidatura de Vladimir Aras com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. No dia 14 de abril, às 15h33, dá um retorno: "Peço reserva, mas Moro confirmou pra mim que Vc é o candidato que ele vai defender", acrescenta. Confira a reportagem completa: 

MAIS NOTÍCIAS