• Antes do massacre de Suzano, atiradores pediram dicas em fórum extremista

    Foto: Reprodução
    Foto: Reprodução
    Por Juliana Rodrigues

    14/03/2019 - 08:00

    Após o crime, frequentadores do Dogolachan chamaram os jovens de "heróis" e lamentaram que o número de mortos não foi tão alto quanto o do Massacre de Realengo

    Os atiradores Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, que mataram dez pessoas em uma escola em Suzano, ontem (13), usaram uma comunidade extremista na internet para pedir dicas sobre como planejar o ataque e obter armas para o crime. Imagens obtidas pelo portal R7 retratam tópicos criados pelos atiradores no Dogolachan, um fórum na internet onde usuários violam direitos humanos e estimulam a prática de crimes. Em uma das publicações, Luiz perguntou aos frequentadores quais as melhores formas para matar mais pessoas.

    Foto: Reprodução
    Foto: Reprodução

    Ele também teria entrado em contato com o administrador do fórum para buscar um canal através do qual ele conseguisse adquirir um revólver calibre 22. Após a tragédia, os usuários do Dogolachan elevaram os dois atiradores ao posto de heróis. Alguns chegaram a lamentar que Guilherme e Luiz não conseguiram "superar" o número de mortos do Massacre de Realengo, cometido por Wellington Menezes de Oliveira, em 2011. Na ocasião, o homem foi responsável pela morte de 12 crianças e após o crime cometeu suicídio. O Dogolachan também está ligado a este crime. O fórum foi criado em 2013 pelo hacker Marcello Valle Silveira Mello, nome associado a diversas violações de direitos humanos e perseguições a ativistas na Internet. No dia 10 de maio de 2018, ele foi condenado a 41 anos de prisão. 

MAIS NOTÍCIAS