• Assassinato de testemunha da Lava Jato na Bahia termina sem solução

    Foto: Divulgação
    Foto: Divulgação
    Por Alexandre Galvão

    18/01/2019 - 09:00

    De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o assassinato aconteceu dois meses depois de Vieira prestar depoimento à Polícia Federal

    O assassinato do ex-vice-prefeito de Ourolândia, e testemunha da Lava Jato, Roberto Soares Vieira (PT), terminou sem solução. Há um ano, em 18 de janeiro, o político conhecido como Roberto do PT foi abordado na porta de sua empresa, na rodovia BA-522 em Candeias, por um homem que supostamente o perseguia a procura de emprego. Ao baixar o vidro do carro, Roberto foi atingido por disparos de arma de fogo efetuados pelo suspeito, que fugiu do local em uma moto com um comparsa. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o assassinato aconteceu dois meses depois de Vieira prestar depoimento à Polícia Federal e tornar-se a principal testemunha das investigações que resultaram na prisão do ex-gerente da Transpetro na Bahia José Antônio de Jesus.

MAIS NOTÍCIAS