• Bolsonaro diz que, se já estivesse no cargo, vetaria reajuste para magistrados

    Foto: Reprodução
    Foto: Reprodução
    Por Daniel Brito

    11/11/2018 - 11:00

    O presidente eleito descartou ainda que o Congresso vote ainda neste ano uma emenda constitucional para alterar a Previdência

    O presidente eleito Jair Bolsonaro disse hoje (10), em entrevista à TV Record, que, caso já estivesse no cargo, vetaria o reajuste de 16% sobre o salário dos magistrados e da Procuradoria-Geral da República com base na Lei de Responsabilidade Fiscal. "Não tem outro caminho, no meu entender, até pela questão de dar exemplo. Eu falei antes da votação que é inoportuno, o momento não é esse para discutir esse assunto. O Brasil está numa situação complicadíssima, a gente não suporta mais isso aí, mas a decisão não cabe a mim. Está nas mãos do Temer. Eu, por enquanto, sou apenas o presidente eleito", afirmou. Na entrevista, Bolsonaro voltou a dizer que o STF "é a classe que mais ganha no Brasil", e que o reajuste do salário dificulta o discurso a favor da reforma da Previdência. "Complica pra gente quando você fala em reforma da Previdência, onde você vai tirar alguma coisa dos mais pobres, você aceitar um reajuste como esse", acrescentou. O presidente eleito descartou que o Congresso vote ainda neste ano uma emenda constitucional para alterar o sistema previdenciário, o que levaria à suspensão imediata da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro.

MAIS NOTÍCIAS