• Naturais de Caculé, homens acusados de tráfico de drogas em Brumado são inocentes, diz defesa

    Foto: Divulgação
    Foto: Divulgação
    09/11/2018 - 10:00

    Na noite do último sábado (03), policiais do PETO da 34ª CIPM, no município de Brumado, detiveram Eduardo Matheus Carvalho dos Santos, Jaciel Barbosa Monteiro e Gustavo Oliveira Prates, naturais de Caculé, acusados de suposto envolvimento com uma ocorrência policial relacionada a tráfico de drogas. Em nota enviada à redação do Sudoeste Bahia, a defesa dos referidos esclareceu que, 'após serem ouvidas pelo delegado de Plantão e terem seus celulares analisados, eles foram liberados e retornaram para suas residências, haja vista que não foi encontrado na posse dos mesmos drogas ou qualquer substância ilícita que induzissem a prática de crimes, mormente o tráfico de entorpecentes. Portanto, eles são inocentes". Confira a íntegra da nota: 'Nota de esclarecimento ao Site Sudoeste Bahia - Vimos através dessa esclarecer fatos veiculados nessa página da internet a respeito do suposto envolvimento de Eduardo Matheus Carvalho dos Santos, Jaciel Barbosa Monteiro e Gustavo Oliveira Prates com uma ocorrência policial relacionada a tráfico de drogas ocorrida em Brumado no dia 03/11 e veiculada nesse site. Na referida ocorrência a Polícia Militar prendeu em flagrante Renê Silva Oliveira, natural Brumado. Os demais rapazes, todos naturais de Cacule – Ba, foram conduzidos até a Delegacia de Polícia de Brumado para prestarem esclarecimentos. Após serem ouvidas pelo Delegado de Plantão e terem seus celulares analisados, eles foram liberados e retornaram para suas residências, haja vista que não foi encontrado na posse dos mesmos drogas ou qualquer substância ilícita que induzissem a prática de crimes, mormente o tráfico de entorpecentes. Portanto, eles são inocentes. Assim, esclarecemos que esse site tem o compromisso com a verdade e tal publicação levou em consideração informações obtidas da Polícia Militar, servindo essa nota pra elucidar qualquer dúvida sobre eventual interpretação errônea por parte dos leitores'.

MAIS NOTÍCIAS