• Moro diz que Lula prefere se refugiar na 'condição de vítima de imaginária perseguição política’

    Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil
    Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil
    Por Marina Hortélio

    19/09/2018 - 20:00

    O juiz negou dois pedidos de suspensão dos casos do Sítio de Atibaia e do Instituto Lula

    Os pedidos da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que pretendiam tirar o juiz Sérgio Moro do comando das ações do prédio do Instituto Lula e do Sítio de Atibaia (SP) foram negados pelo magistrado, que é responsável pela Lava Jato na 13ª Vara Federal de Curitiba. Nas decisão, que foram assinadas na última quarta-feira (12) e ontem (18), Moro afirma que Lula prefere se "refugiar na condição de vítima de imaginária perseguição política”, ao invés de esclarecer os fatos e os motivos relativos as apurações. Os advogados do petista pedem que Moro abra mão das ações do sítio e do terreno do Instituto "a menos que se queira desafiar a autoridade do Supremo".

MAIS NOTÍCIAS