• A pedido da OAB, SSP investiga lista de advogados ‘marcados para morrer’ por facções

    Foto: Divulgação | OAB-BA
    Foto: Divulgação | OAB-BA
    Por Alexandre Galvão

    29/06/2018 - 12:00

    As “recompensas” pelas mortes variam de R$ 3 mil, para defensores do interior, até R$ 10 mil para causídicos da capital

    A Secretaria de Segurança Pública investiga uma lista que corre em redes sociais de advogados que supostamente devem ser assassinados por membros de grupos criminosos que atuam em território baiano. O pedido foi feito pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Bahia, que também já acionou o Ministério Público do Estado. De acordo com a mensagem, a morte da advogada Sílvia da Silva Carvalho, em Feira de Santana, “foi a primeira de várias”. “Os advogados baianos estavam mal acostumados. Tinha (sic) o hábito de pegar o dinheiro dos seus clientes e não fazer nada em seus processos. Através disso, tomamos essa atitude [de mandar matar]”, diz o texto. As “recompensas” pelas mortes variam de R$ 3 mil, para defensores do interior, até R$ 10 mil para causídicos da capital. “Se fizer [o assassinato] de qualquer um desses, é só ir em alguma comunidade ligada à facção na capital baiana”, aponta a ameaça.

MAIS NOTÍCIAS