• Reforma da Previdência poderá ser mais profunda no próximo governo, diz relator

    12/03/2018 - 17:15

    A próxima proposta de reforma da Previdência será mais dura que o texto atual, afirmou nesta segunda-feira (12), o deputado federal e relator da matéria, Arthur Maia, que participa do seminário "Reforma da Previdência, uma reflexão necessária", da Fundação Getúlio Vargas (FGV). "A reforma que será feita não será a reforma do meu parecer. Será uma reforma mais dura e mais profunda", afirmou Maia a jornalistas, após a sua apresentação. Ele destacou que o atual governo tem limitações políticas por ter assumido após um impeachment e por 2018 se tratar de um ano eleitoral. "Não adianta, nós não temos votos, tem os deputados contra, a favor e os que estão preocupados com a sua eleiçãozinha", criticou mais uma vez Maia. Mais cedo, em sua apresentação, ele já havia criticado os parlamentares que são a favor da Previdência, mas iriam votar contra, se fossem à votação, para não perder votos nos seus redutos eleitorais. Por este motivo, Maia destacou que neste ano não existe condição da proposta voltar à votação, além do que, por conta da intervenção na segurança do Rio de Janeiro, não seria constitucional. "Nos próximos seis meses, teremos um amplo debate, que vai culminar com a eleição do presidente. Esse debate terá como tema central a reforma da Previdência e é importante que todos os candidatos se posicionem", afirmou.

MAIS NOTÍCIAS