• Caetité: Comerciante é vítima de dinheiro falso

    Foto: Leitor Sudoeste Bahia | Via WhatsApp
    Foto: Leitor Sudoeste Bahia | Via WhatsApp
    Por Willian Silva

    23/01/2018 - 16:53

    Uma ou mais pessoas pode estar injetando o dinheiro falso no município

    Um comerciante, que preferiu não se identificar, entrou em contato com a redação do Sudoeste Bahia e informou que nesta segunda (22), foi vítima de dinheiro falsificado e só percebeu a cédula falsa quando fechou o movimento do caixa. O comerciante não sabe quem foi que passou o dinheiro. O caso aconteceu em Caetité. Casos como este acontecem principalmente durante o período de maior movimento na cidade. Os criminosos se aproveitam do intenso vai e vem de pessoas no comércio para passar as notas falsificadas. É fato que uma ou mais pessoas estão em Caetité repassando as cédulas falsas. Por isso, é bom ficar de olhos abertos e atenção redobrada na hora de receber dinheiro principalmente durante períodos festivos. Os criminosos se utilizam das cédulas falsas de maior valor na hora de comprar mercadorias com menor valor, e assim ter acesso ao troco, moeda verdadeira. E não para por aí. Em uma simples pesquisa nas redes sociais é fácil perceber que os criminosos vendem as cédulas falsas aos montes por preços bastante acessíveis. Mas a facilidade tentadora é crime segundo o Código Penal. Falsificar, fabricar ou alterar moeda metálica ou papel moeda corrente no país ou no estrangeiro é crime previsto no artigo 289 do Código Penal. A pena varia de três a 12 anos de prisão e multa. Estará sujeito à mesma pena quem importar ou exportar, adquirir, vender, trocar, ceder, emprestar, guardar ou introduzir na circulação moeda falsa. Mesmo tendo recebido de boa-fé, comete crime, com pena prevista de seis meses a dois anos e multa, quem a recebe e a mantém em circulação, repassando a outros. Ou seja DINHEIRO FALSO É CRIME! O Banco Central do Brasil (Bacen) dá algumas orientações de como saber se o dinheiro é falso ou não. Observar a marca d'água segurando a cédula contra a luz e olhar pela frente da nota e observar na área clara as figuras que representam os animais; ao sentir o alto-relevo, você percebe a diferença de tato em algumas áreas da nota, como no numeral do canto inferior esquerdo e nas extremidades laterais da nota; sempre que possível, comparar a cédula suspeita com outra que se tenha certeza ser verdadeira. São dicas simples que podem evitar que você seja a próxima vítima.

MAIS NOTÍCIAS