• Sebastião Laranjeiras: Advogado denuncia ‘negligência’ em atendimento no Hospital Municipal

    Foto: Vílson Nunes | Sudoeste Bahia
    Foto: Vílson Nunes | Sudoeste Bahia
    Por Vílson Nunes & Marcos Oliveira

    08/12/2017 - 10:35

    Na noite da última quarta-feira (06/12), o advogado Volney Magalhães se deslocou até o  Hospital Municipal Walter Leão Rocha, no município de Sebastião Laranjeiras (BA), para acompanhar o seu funcionário, Willian Nogueira Domingos, que fora vítima de acidente de trânsito, ocorrido na tarde do mesmo dia. No entanto, conforme relato ao site Sudoeste Bahia, o advogado acusa funcionários da referida unidade de saúde de cometerem negligência no atendimento prestado ao acidentado. Conta o advogado que, após preencher a ficha de atendimento na recepção, Willian foi encaminhado para fazer a triagem. Neste momento, foi atendido por um  enfermeiro de prenome Pedro, que após medir a pressão do paciente o perguntou se possuía alergia a algum medicamento. A resposta foi afirmativa, mas Willian disse não se recordar o nome do medicamento que teria alergia, mas solicitou que verificassem em sua ficha no Hospital, pois já havia recebido atendimento em outras ocasiões e constava sobre qual medicamento teria alergia. Segundo o advogado, de posse dessa informação, o enfermeiro  nada fez, deixando de registrar na ficha de atendimento o que foi relatado por William. Ele então questionou esta postura, tendo o enfermeiro respondido ter as informações nas fichas, mas estas estavam arquivadas. "Observando os fatos e na sala de triagem também estava o enfermeiro Marlos Tércio, então enfermeiro chefe do hospital. Eu o  indaguei sobre providências quando um paciente informa ser alérgico a algum medicamento, e que as informações estariam na ficha hospitalar na recepção, não seria o caso pesquisar  estas  informações na ficha  para se evitar um erro e trazer danos irreparáveis ao paciente. Ele então me respondeu que não iria pesquisar, e nada seria feito. Quando perguntei se algo acontecesse com Willian em decorrência disso ele me respondeu que não era problema dele", relatou o advogado. 

    O denunciante ainda esclareceu que quando chamado pelo médico plantonista, Dr. Roberto, e após breve exame, foram passadas as informações sobre a intolerância de Willian para medicamentos e que inclusive nas três vezes que esteve no hospital o paciente  havia passado mal, por medicamentos ministrados naquela unidade. Olhando a ficha de atendimento, o refedido médico não encontrou as informações, que deveriam ter sido anotadas na triagem de atendimento, vindo a optar em medicar o paciente com medicamentos que não havia no hospital. Para tanto, Willian deveria comprar o medicamento injetável e retornar para tomar no hospital, optando o referido médico por medicar por exclusão de medicamentos inexistente no Hospital e, assim,  deixar de simplesmente buscar as informações nos arquivos. “Penso que o hospital deve zelar e cuidar pela saúde dos pacientes. Após conhecer que William tem alergia a medicamentos, deveriam o enfermeiro Pedro, e o chefe da Enfermaria Marlos Tércio, buscar as informações existentes na ficha hospitalar arquivada. Ao invés disso, omitiram as informações na ficha de atendimento, colocando em risco a saúde de William, o que não aconteceu, por conta de que as informações foram repassadas diretamente ao médico, fazendo com que Willian fosse medicado com medicamentos adquiridos por compra na farmácia e ministrado pelo próprio enfermeiro chefe Marlos Tércio. Quantos casos semelhantes não acontecem no dia a dia do hospital? E quem não pode comprar o medicamento?Até que ponto o enfermeiro e médico podem ser omissos, sabendo da intolerância do paciente?", questionou o advogado. O outro lado: A redação do Site entrou em contato com Marlos Tércio, diretor da enfermaria do referido Hospital, no entanto o mesmo informou, através de mensagem, que a sua versão será prestada na esfera judicial, pois haverá uma ação sobre o fato. A reportagem não conseguiu contato com o outro enfermeiro, identificado pelo prenome, Pedro. O responsável pela Secretaria Municipal de Saúde, Geraldo dos Santos Guimarães, foi procurado, porém até o fechamento da matéria não houve manifestação.

    CONTINUE LENDO

MAIS NOTÍCIAS