• Crimes contra instituições financeiras diminuem 63% na Bahia

    Foto: Elói Corrêa | GOVBA
    Foto: Elói Corrêa | GOVBA
    16/03/2016 - 17:48

    O número de roubos a bancos na Bahia diminuiu 63%, nos meses de janeiro e fevereiro em 2016, em comparação ao igual período do ano passado - foram 17 este ano e 46 em 2015. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP), a redução é consequência do trabalho integrado entre as polícias Civil e Militar com apoio da Superintendência de Inteligência da secretaria, do Exército e de recursos tecnológicos, como  videomonitoramento feito pelo Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR). Segundo o titular da SSP, Maurício Barbosa, há alguns anos acontece uma série de reuniões com os bancos, em especial a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), para que fossem realizadas ações preventivas por parte das agências. “Em 2015, algumas soluções foram adotadas, a exemplo da diminuição dos valores colocados nos caixas eletrônicos, a retirada de caixas eletrônicos de determinados locais, onde não havia [...] segurança reforçada, e a instalação de câmeras de segurança em agências visadas pelos [criminosos]”. Quanto à força policial para combater esta modalidade de crime, Barbosa afirmou que, no ano passado, foram criadas forças-tarefas. “Reunimos policiais militares e civis, peritos e até profissionais do Corpo de Bombeiros com o intuito de focarmos em ações voltadas para prevenção e repressão de roubos a banco. Começamos a fazer inúmeras ações juntamente com o Exército Brasileiro”. O secretário observou ainda que “passamos a catalogar e a [fazer] uma revista mais rigorosa, além de realizar operações articuladas com outros estados como Minas Gerais, Pernambuco, Goiás e São Paulo. Também tivermos um intercâmbio maior com a Polícia Federal”. Entre os principais crimes praticados contra instituições financeiras na Bahia estão arrombamentos e explosões de caixas eletrônicos. Ainda segundo a SSP, o uso de explosivos nesta modalidade criminosa também diminuiu como resultado de apreensões feitas pela polícia. Em 2015, foram apreendidas 224 bananas de dinamite contra 34 em 2014, um aumento de 558%. De acordo com Maurício Barbosa, no ano passado em relação a 2014, houve  diminuição de 20% no índice de crimes consumados contra instituições financeiras. “Nos últimos três anos, também tivemos redução muito grande na modalidade ‘Novo Cangaço’, em que os marginais, em grupos com mais de dez pessoas, entravam nas cidades à luz do dia e criavam uma [espécie] de cena de filme de faroeste. Nesta modalidade, o percentual de redução chega a 80%”.

MAIS NOTÍCIAS