BUSCA PELA CATEGORIA "BRUMADO"

  • Criança de 4 anos é ‘esquecida’ dentro de sala de escola de Tempo Integral em Brumado

    Foto: Reprodução l Google Street View Foto: Reprodução l Google Street View
    10/02/2020 - 16:13


    BRUMADO

    - Na última quarta-feira (05), Jonata, de 04 anos de idade, ficou por cerca de 1 hora e meia – sozinho dentro de uma unidade escolar, após o término do turno na Escola Municipal de Educação em Tempo Integral Suzana Guimarães, na Vila Catiboaba, em Brumado. De acordo com o site 97 News, a professora não teria percebido a criança dormindo embaixo de uma das mesas da sala quando terminou o horário.  O menino vai de ônibus escolar da comunidade do Espinheiro, zona rural de Brumado, até a referida unidade escolar. A mãe relatou que quando o ônibus chegou à comunidade, no fim da tarde, as crianças desceram e seu filho não. Ela, junto com o motorista, procurou pela criança dentro do ônibus e não à encontrou. Uma hora e meia depois, a mãe conseguiu encontrar o filho na sala de aula. "Todo mundo desceu e não vi meu filho, fiquei desesperada e chamei meu irmão para ir a escola. Foi quando o motorista ligou para a diretora da escola, que acionou o porteiro e encontrou meu filho dormindo na sala de aula", afirmou Thais. A mulher disse ainda que ficou revoltada. Ela alega que houve falta de atenção por parte da professora e que é preciso uma melhora no serviço da unidade escolar. Além disso, ela disse que não permite mais a ida da criança para a unidade escolar. “Eu não deixei ela ir mais, fiquei com medo”, comentou a mãe. A secretária de educação do município, Edinéia Ataíde disse que a professora é de uma empresa terceirizada da prefeitura, assumiu a falha e chegou a ser demitida, mas a própria mãe da criança pediu para que a funcionária não fosse desligada da unidade escolar por ser uma excelente profissional. “Nós decidimos demitir a professora que é de uma empresa terceirizada. Porém a mãe discordou dessa nossa decisão, porque ela disse que a professora era uma profissional capacitada e que as pessoas gostavam muito do trabalho dela, e que não precisava demitir, que apenas aplicasse uma punição. Então, diante disso, mudamos nosso posicionamento e ligamos para empresa para que revesse a situação de não demiti-la e transferindo-a para outra unidade. Então nossa atitude foi essa”. Ataíde informou ainda que outra professora já foi designada para a unidade escolar da Vila Catiboaba.